Arquivos de Tag: vegetariana

Patê de Queijo de Cabra

English Version

Patê de Queijo de Cabra

No carnaval, você vai desfilar na Unidos da Netflix ou na Acadêmicos da Leitura Atrasada? 😀

Para finalizarmos as Tertúlias de Patê, nada melhor que uma receita diferente (adaptada do Chef John) e que parece que leva horas para fazer − todo mundo vai achar que você é super cozinheiro, mas na verdade você só vai ter misturado um monte de coisas em uma tigela! É a receita mais fácil da série!

Como você já ia mesmo passar no mercado depois do trabalho pra comprar cerveja pro feriadão, aproveite para comprar o queijo de cabra e tirar onda no carnaval! 😀

Você vai precisar de:

200 g de cream cheese
200 g de queijo de cabra suave* – aqui usei o cremoso, mas já fiz com o duro. Nesse caso, é só ralar o queijo de cabra grosseiramente.
1 dente de alho amassado – usei alho em flocos porque estava com preguiça! #verdades
¼ de xícara de ervas de sua preferência, picadas – usei só salsinha e cebolinha mesmo, mas já fiz com manjericão, com endro…. vai muito do seu gosto!
Sal, pimenta-do-reino e páprica picante a gosto

*Se o seu queijo de cabra for daqueles com sabor mais forte, comece colocando só metade! Adicione o restante aos poucos, provando sempre para não ficar muito forte.

 Patê de Queijo de Cabra

O modo de preparo é extremamente adequado para o carnaval. Coloque todos os ingredientes em uma tigela. Com a espátula de silicone, amasse e misture tudo muito bem. Prove para ver se está bom de sal e temperos e pronto. É isso!

Mas, né, claro que dá para fazer uma firulinha! Coloque um pedaço grande de plástico-filme sobre a bancada. Despeje o patê sobre o plástico e molde em forma de cilindro. Leve à geladeira por duas horas, mais ou menos, para firmar bem. Na hora de servir, tire o plástico (lógico, né?) e fatie o patê! 🙂

Patê de Beterraba e Feijão Branco

English version

Patê de Beterraba e Feijão Branco

Procurando receitas de “coisas de passar no pão” que fossem diferentes do tradicional (e, se possível, veganas), acabei encontrando essa receita. Como já tinha feito um patê de feijão branco e outro de beterraba, não tive dúvidas: juntar os dois ia ser sucesso! 🙂

Além do visual bonitão, o que realmente me motivou a testar essa receita foi ver que ela pedia para assar as beterrabas – que, convenhamos, é a forma mais gostosa de comê-las! Depois que descobri isso, nunca mais tive coragem de só cozinhar em água e sal! Como achei a receita original um pouco suave, dei uma incrementadinha nos temperos.

Patê de Beterraba e Feijão Branco

Você vai precisar de:

1 lata de feijão branco – como eu não compro feijão enlatado, usei 1 ½ xícara de feijão branco cozido
2 beterrabas grandes
1 dente de alho – claro que eu usei mais do que isso: aqui foram 6 😀
2 colheres (sopa) de azeite
sal, pimenta-do-reino e páprica a gosto – usei páprica doce e páprica defumada

Corte as beterrabas em cubinhos – como a minha assadeira era razoavelmente grande, cortei mais algumas, para aproveitar o forno 😀

Tempere GENEROSAMENTE as beterrabas com azeite, sal, pimenta-do-reino e páprica, misturando bem para que todos os pedacinhos fiquem bem temperados. Coloque alguns dentes de alho sobre as beterrabas e leve para assar em forno preaquecido por uns 40 minutos, até que elas fiquem macias.

Quando elas saírem do forno, coloque no liquidificador as beterrabas, o feijão branco e uma ou duas colheres de água, só para ajudar a bater. Como o meu liquidificador faleceu #RIP e eu ainda não comprei outro, fui no mixer. Demorou, mas deu certo!

Aí é só levar para a geladeira e servir com torradinhas, batatinhas, etc 😀

Patê de Cebola Roxa

English Version

No primeiro fim de semana de fevereiro, temos o Super Bowl. No último fim de semana de fevereiro, temos o carnaval – celebraremos na Unidos da Netflix. Todas essas coisas pedem um petisco, não pedem?

Para abrirmos as Tertúlias de Patê, adaptei levemente essa receita da Rita Lobo, porque não tinha cebola amarela em casa. 🙂 Já fiz com a cebola amarela também, mas pra falar a verdade com cebola roxa fica muuuuuuito mais gostoso! Agora só faço assim!

Você vai precisar de:

350 g de creme de ricota – eu usei sour cream, porque é o que tem aqui. Se não encontrar creme de ricota, pode bater a ricota normal com um pouco de creme de leite, vai dar certo.

2 cebolas roxas grandonas (ou 4 médias), fatiadas o mais fininho possível

4 colheres (sopa) de azeite

suco de 1 limão

sal, pimenta-do-reino e noz-moscada a gosto

Comece cortando as cebolas. Se tiver um mandolim, é hora de tirá-lo da gaveta! 😀 Eu (ainda) não tenho, então fui na faca bem afiada mesmo.

Em uma frigideira grande, esquente duas colheres de azeite em fogo baixo e coloque as cebolas. Agora é hora de caramelizar: mexa as cebolas de vez em quando, até elas mudarem bem de textura – elas ficarão bem macias e a parte branca ficará translúcida. Aqui, o processo levou uns 20 minutos. Como a Rita Lobo disse que “não adianta aumentar o fogo, a cebola vai queimar em vez de caramelizar”, eu obedeci!

Em uma tigela, misture o creme de ricota com as outras duas colheres de azeite, o suco de limão e os temperos. Reserve.

Quando a cebola estiver bem caramelizada, reserve um pouquinho para decorar e pique BEEEEM picadinho o resto. Adicione ao creme de ricota temperado, cubra e leve à geladeira até esfriar (eu acho mais gostoso frio). Sirva com torradinhas ou cenouras e pepinos cortados em rodelas.

É uma ótima opção para uma noite de jogos (aqui em casa, Cards Against Humanity), porque, além de ser uma delícia, você pode fazer no dia anterior!

Rolinho Primavera Vietnamita

English version

Rolinhos Primavera Vietnamitas

Um amigo tem um restaurante “portas fechadas” aqui em Punta, de inspiração asiática. Quando fui pela primeira vez, vi no cardápio a opção de rolinhos primavera e já pensei no tradicional, chinês e frito. Em vez disso, recebi umas trouxinhas de vegetais frescos e crus. Provei suspeitando de tudo, mas amei! Bem leve e fresquinho!

Para finalizarmos as Tertúlias de Verão, resolvi fazer essa receita. Ela não é difícil, mas dá um pouco de trabalho fazer vários rolinhos. Mas o resultado compensa muito – e eles duram alguns dias na geladeira, servindo como um lanchinho saudável no verão. Além disso, eles são muito versáteis: você pode rechear como quiser. Eu fiz uma versão vegana, mas você pode colocar camarões cozidos, por exemplo.

O papel de arroz para fazer esses rolinhos pode ser encontrado em lojas de produtos naturais/orientais. Aqui, encontrei na seção gluten-free do supermercado (a população celíaca no Uruguai é aparentemente grande: a seção gluten-free existia mesmo antes da modinha e várias empresas nacionais fazem produtos sem glúten).

As quantidades listadas são só uma sugestão. Ajuste conforme o seu gosto!

1 pacote de discos de papel de arroz

1 pepino cortado em tirinhas – idealmente, cortado em julienne, mas eu ainda não dominei esse corte…

1 cenoura cortada em tirinhas

1/3 de pimentão verde em tirinhas

1/3 de pimentão vermelho em tirinhas

1/3 de pimentão amarelo em tirinhas

1/2 cebola roxa, cortada em fatias finas

1 pacote de broto de feijão – broto de alfafa seria ainda mais legal, mas não achei no mercado! 😀

Folhas de menta

Folhas de alface

Molho

4 colheres (sopa) de shoyo – tradicionalmente, usa-se molho de peixe tailandês (comprado em lojas de produtos asiáticos), mas aí a receita deixa de ser vegana. Eu testei das duas formas e as duas ficam boas.

1 colher (sopa) de açúcar

suco de meio limão

2 alhos picadinhos

1 xícara de água.

Rolinhos Primavera Vietnamitas

Comece cortando toooooodos os vegetais em tirinhas.

Quando você tiver cortado tudo, monte sua estação de trabalho: os vegetais, o broto de bambu, a menta, os discos de papel de arroz, um prato fundo cheio de água para hidratar os discos, um pano de prato limpo e um prato para colocar os rolinhos prontos.

Coloque um disco de papel de arroz no prato com água e deixe hidratar por um minuto. Você vai ver que ele amolece bastante! Com cuidado, retire do prato e coloque sobre o pano, tentando deixar esticado. Nas primeiras vezes, talvez seja um pouco trabalhoso, mas logo você pega o jeito!

Coloque os ingredientes do recheio no centro do disco, tentando não encher muito. Dobre a parte de baixo do disco para cobrir o recheio, dobre os lados para dentro, formando um envelope e dobre a parte de cima, fechando o rolinho. Repita esse processo até acabar o recheio ou os disquinhos 😀

Misture os ingredientes do molho e sirva!

Agua Fresca de Melancia e Menta

English version

Agua Fresca

Para a terceira receita das Tertúlias de Verão, resolvi fazer a primeira bebida do blog! 🙂 Enquanto pesquisava “receitas de verão” no Pinterest, descobri a tal da “agua fresca”, uma bebida mexicana bem refrescante. Ela é um ponto intermediário entre o suco e a água saborizada… ou simplesmente “refresco”, como diria sua avó! 🙂

Dentre as várias opções de agua fresca, resolvi fazer esta do Epicurious, que tem um detalhe diferente: ela leva xarope de menta caseiro. Nunca tinha feito xarope em casa e fiquei surpresa com o quanto é fácil! E o mais legal: você pode usar o xarope para fazer  agua fresca de abacaxi, combina muito bem!

Para uma jarra grande de agua fresca, você vai precisar de:

5 xícaras de melancia sem semente – eu usei meia melancia média e julguei que seria mais ou menos cinco xícaras 😀  Para a versão de abacaxi, usei 2 xícaras de abacaxi picado.

1/4 de xícara de suco de limão

MUITO gelo (eu usei duas formas!)

Para o xarope de menta:

1/4 de xícara de folhinhas de menta fresca

1/4 de xícara de açúcar

1/4 de xícara de água

Agua Fresca

Em uma panelinha, coloque todos os ingredientes do xarope e leve ao fogo médio até ferver. Misture bem para dissolver o açúcar. Retire do fogo e deixe esfriar completamente.

Enquanto o xarope esfria, retire as sementes da melancia e corte em cubinhos. Quando terminei de cortar, vi um abacaxi dando sopa na bancada. Como eu tinha dobrado a receita do xarope, resolvi fazer “agua fresca de abacaxi”: o método foi exatamente o mesmo, só que usei mais ou menos duas xícaras de abacaxi picado.

Coloque no liquidificador a melancia, o suco de limão e o xarope de menta e bata bem.

Coe diretamente na jarra que for servir. Adicione duas xícaras de água, misture bem e complete com bastante gelo. Sirva bem gelada!

Freezer: Coloque a agua fresca em forminhas de picolé e deixe congelar – vai ser sucesso absoluto!

Salada Grega

English version

Salada grega

Janeiro costuma ser sempre o mesmo esquema: calor infernal, “este ano eu vou comer menos tranqueira”, “pra que é mesmo que eu tenho um forno se basta abrir a janela?”, etc. Então, como aqui não é nada diferente e também está um calor infernal, nada melhor do que começarmos o ano com as Tertúlias de Verão! Uma série de receitas levinhas que combinam muito com esse calorão! 😀

A receita de hoje é uma salada SEM ALFACE (tenho birra) e muito muito gostosa. O legal é que você só suja a tábua e os pratos! A receita da Deb pedia queijo feta, que nunca encontrei aqui: fiz com ricota mesmo e ficou ótimo. Já testei também com queijo de cabra, fica excelente!

Para duas pessoas, você vai precisar de

1 pepino médio – usei esse da foto, qual é? Japonês? Normal? Não sei.

1/2 pimentão verde

1 xícara de tomates cereja

1/4 de xícara de azeitonas pretas – você pode omitir, se quiser. Não entendo, mas você pode fazer isso sim, a salada é sua.

1/2 cebola roxa pequena – a minha era grande, usei só 1/4

Fatias grossas de ricota, feta ou queijo de cabra – para uma versão vegana, use tofu grelhado

suco de 1 limão – me empolguei e usei dois, mas a receita falava em um só mesmo 😀

azeite, sal, pimenta-do-reino, orégano (fresco seria ideal, mas usei o seco mesmo)

Salada grega

A montagem da salada não tem mistério.

Se você acha cebola crua uma coisa muito forte, você pode fatiá-la bem fininha e deixar descansando no suco de limão enquanto prepara os demais ingredientes. Eu amo cebola crua (mamãe conta que eu roubava cebola crua da geladeira quando tinha 5 anos, daí vocês tirem), então só fiz cortar fininho mesmo! 😀

Corte também o pepino em pedaços médios, o pimentão em cubinhos pequenininhos e os tomates cereja ao meio. Eu cortei cada ingrediente e coloquei direto nos pratos, para economizar uma louça! #preguiça

Coloque as azeitonas e as fatias de ricota sobre a salada e tempere tudo com suco de limão (se você deixou as cebolas descansando nele, pode usar do mesmo jeito), azeite, sal, pimenta-do-reino e as folhinhas de orégano.

Coma e se sinta super bem por ainda não ter largado a promessa de ano novo! 😀

Salada de Cenoura, Grão-de-Bico e Tahine

English Version

Salada de Cenoura, Grão-de-Bico e Tahine

Sabe como é mudança, né? Você tem que fazer umas “limpas”, para não levar tranqueira para casa nova. Quando chegou a vez da geladeira, encontrei meia latinha de tahine dando sopa – sobra de uma receita de hommus, com certeza. Tinha grão-de-bico congelado, então o óbvio seria fazer hommus de novo… mas também tinha bastante cenoura, então lembrei de uma receita linda que tinha visto no smittenkitchen.

Essa foi, sem dúvida, uma das melhores saladas da minha vida! E olha, é uma refeição completa (quem disse que comida vegana não sustenta?). Fiz a receita inteira para o almoço – nós dois morremos de tanto comer e ainda sobrou um pouco!

Eu poderia passar horas falando sobre como o molhinho de tahine combina com a cenoura, sobre como o grão-de-bico quentinho e bem temperado dá aquela sensação de comfort food… mas vou me conter!

Pra ficar embasbacado, você vai precisar dos seguintes ingredientes:

Para o grão-de-bico:

1 lata de grão-de-bico escorrida – eu usei duas xícaras de grão-de-bico cozido

1 colher (sopa) de azeite

½ colher (chá) de cominho

½ colher (chá) de páprica – nem tava na receita original, mas eu sempre ponho, me deixem

½ colher (chá) de sal

Para a salada em si:

400 g de cenoura, ralada grossa

¼ de xícara de salsinha picada grosseiramente – ou seja, “um tanto”

¼ de xícara de pistaches, picados grosseiramente – não sou muito fã deles, então não usei.

Para o molhinho sucesso absoluto:

1 dente de alho médio, picado – eu usei mais. Eu sempre uso mais.

¼ de xícara de suco de limão

3 colheres (sopa) generosas de tahini – misture bem antes de medir

2 colheres (sopa) de água

2 colheres (sopa) de azeite

Sal e pimenta do reino.

Salada de Cenoura, Grão-de-Bico e Tahine

Comece preparando o grão-de-bico: misture bem o grão-de-bico com o azeite e os temperos, para cobrir todos. Coloque em uma assadeira grande, sem empilhar, e leve ao forno preaquecido por uns 20-30 minutos, até ficarem dourados e crocantes. Dê umas sacudidas na assadeira de vez em quando, para garantir que o grão-de-bico asse por igual.

Com um batedor de arame, misture todos os ingredientes do molho em uma tigela. Misture com a cenoura e a salsinha. Reserve.

Na hora de servir, misture os pistaches (se estiver usando) e o grão-de-bico. Coma e fique pensando seriamente na possibilidade de comer isso todos os dias da sua vida 😀

Muffin Salgado de Fubá e Queijo

English version

Depois da pausa para a Olimpíada (já estamos com síndrome de abstinência!), é hora de uma nova série! Muffins, ou ainda “bora usar aquela forma de cupcake que compramos em 2011 e está esquecida desde então” 😀

Enquanto escolhia as receitas para a série, o Sky fez um pedido específico: um “cornbread”, mas com queijo. Fui procurar uma receita bacana e acabei achando essa, que fiz mais ou menos como ela mandava – usei muçarela porque era o que tinha em casa, esqueci de colocar ervinhas, o buttermilk era o caseiro mesmo, sabe como é.

Quando saiu do forno, Sky devorou uns três de uma vez. Eu comi um, achei gostoso, mas não me apaixonei. No dia seguinte, descongelei uma das sopas da série passada (a de cenouras!) e resolvi reaquecer os muffins. SUCESSO ABSOLUTO! Esse muffin foi o acompanhamento perfeito para a sopa!

Para fazer 12 muffins, você vai precisar de:

1 xícara de farinha de trigo

1 xícara de fubá

1/4 xícara de açúcar

1 colher (chá) de fermento químico (de bolo)

1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio

1 colher (chá) de sal – se o seu queijo for muito salgado, use menos.

2 dentes de alho – aqui sou mais exagerada, usei 3 grandões

1 xícara de queijo ralado grosso – usei muçarela, mas qualquer queijo que derreta bem serve.

2 ovos

1 xícara de buttermilk – para fazer em casa, coloque uma colher (sopa) de suco de limão ou vinagre na xícara medidora, preencha com leite integral e deixe talhar por uns 10-15 minutos. Use tudo na receita.

100 g de manteiga, derretida

Muffin Salgado de Fubá e Queijo

A melhor coisa dos muffins é que eles costumam ser MUITO fáceis de fazer. Se você usar forminhas de papel, então, não tem nem que untar a forma!

Comece preparando o buttermilk. Enquanto isso, tire a forma de cupcake do armário, dê uma lavada porque eu sei que está empoeirada, seque e coloque as forminhas de papel.

Derreta a manteiga em uma panela que caiba todos os ingredientes, para diminuir a quantidade de louça ao final do projeto! 😀  Depois de derretida, espere esfriar um pouco, misture o buttermilk e os ovos. Reserve.

Em uma tigela separada, misture a farinha, o fubá, o açúcar, o fermento, o bicarbonato e o sal com um fuê. Acrescente o queijo ralado e misture. Despeje os secos sobre os líquidos e misture levemente com uma espátula – massa de muffin não deve ser batida muito, tá? Se bater muito ele fica duro! Misture só mesmo até não enxergar mais pontinhos de farinha.

Coloque a massa nas forminhas – encha só 3/4 de cada forminha, para não transbordar no forno. Aqui deu certinho 12 muffins. Asse em forno pré-aquecido por 20 minutos, mais ou menos, ou até que um palito espetado saia limpo.

Sirva morno, com uma sopa bem quentinha!

Para congelar, basta colocar em saquinhos tipo ziploc e fechar bem!

Sopa de Cenouras Assadas

Sopa de Cenouras Assadas

Cenouras bonitas no mercado, com aquela cara de “me compre”. Era a hora de fazer uma receita que tinha pinado há séculos. Sabe aquelas receitas que você acha que vai dar super certo, mas rola uma certa preguicinha de fazer? Então.

Mas a preguiça era besteira minha, porque ela é bem fácil – e maravilhosa! Sem dúvida, essa é uma das sopas mais interessantes que já fiz, provando mais uma vez que Patricia Scarpin é uma gênia. ❤ Pra variar, dei uma leve modificada na receita, porque sou enxerida.

A receita é vegetariana, mas para veganizar basta trocar o creme de leite por um creme de soja/arroz/etc.

Você vai precisar de

1 kg de cenoura – descasque e corte em pedaços grandes

350 g de cebola – mesmo esquema

Mais ou menos umas 3 colheres (sopa) de azeite

sal e pimenta-do-reino (botei páprica também)

Uns 5 dentes de alho, com casca e tudo (da série: coisas que pensei em colocar enquanto preparava a foto dos ingredientes 😀 )

1 colher (chá) de cominho em pó

1,5 litros de caldo de legumes – usei o caseiro, concentrado, e completei com água

250 mL de creme de leite fresco (ou um substituto vegano, se for o caso)

 

Coloque as cenouras, as  cebolas e os alhos com casca e tudo em uma assadeira. Despeje o azeite, o sal, a pimenta-do-reino, a páprica e o cominho. Misture bem e leve ao forno pré-aquecido por mais ou menos 40 minutos, ou até que a cenoura esteja macia.

Sopa de Cenouras Assadas

Quando ela estiver macia, coloque os ingredientes da assadeira em um processador/liqui, acrescente o caldo e bata. Eu, a #semliqui, coloquei tudo na panela mesmo e usei o mixer (amor eterno).

Quando tudo estiver bem batido, acrescente o creme de leite e aqueça a sopa até levantar fervura. Sirva imediatamente.

Creme de Abóbora com Gorgonzola

Creme de Abóbora com Gorgonzola

Está frio aí? Aqui está GELADO! Com a chegada oficial do inverno, é hora de uma temporada de sopas no Tertúlias! 🙂

Esta receita está guardada tem um tempinho. Fizemos quando a Tia Leo veio nos visitar ANO PASSADO. Aqui ainda estava frio, mas como já estava um calorão danado no Brasil, achei melhor não ostentar 😀

Quem fez, fez mesmo, foi a Tia Leo. Meu papel na execução da sopa foi tirar foto, dar pitaco e beber vinho! Tinha um pouco de birra com abóboras, porque achava chato de lidar, mas ela me ensinou o método FÁCIL: cozinhe com casca e tudo, depois retire a polpa! Duh! Muito mais fácil!

 

Você vai precisar de:

1 abóbora cabotiã média, cortada em pedaços (mas com casca, bem mais fácil)

2 tabletes de caldo de legumes, ou um litro do Caldo de Legumes caseiro (que não tinha pronto, #vergonha)

50 ml de creme de leite de caixinha ou fresco

60 g de queijo gorgonzola

Salsinha, cebolinha, etc, para servir

 

Corte a abóbora em pedaços grandes – A Tia Leo mandou avisar que tem que lavar antes, viu? 😀

Coloque os pedaços na panela de pressão e cubra-os com o caldo de legumes. Tampe a panela e espere pegar pressão. Quando isto acontecer, conte mais ou menos 8 minutinhos. Enquanto isso, esmague o gorgonzola, meça o creme de leite e pique as salsinhas. Desligue e espere sair a pressão.

Abra a panela e retire os pedaços de abóbora. Reserve o caldo do cozimento, porque vamos usar uma parte (ou quase todo). Agora que elas estão cozidas, fica muito mais fácil raspar a polpa!

Coloque as abóboras aos poucos no liquidificador, usando um pouco do caldo para bater – a textura deve ser um purê mais líquido, sabe? Precisei fazer este processo duas vezes para dar conta de toda a abóbora.

Creme de Abóbora com Gorgonzola

Volte o purê para a panela. Acrescente o creme de leite e o gorgonzola. Misture bem e deixe esquentar.

Acrescente as cebolinhas/salsinhas picadas e sirva com torradas! Aqui, comemos com o Pão Apressadinho, na versão integral!