Arquivos de Tag: torta

Cheesecake de Ferrero Rocher

English Version

Cheesecake de Ferrero Rocher

Antes de ir a Brasília, fiz uma lista das receitas que queria fazer lá para postar aqui – coisas com couve, mandioquinha e outros ingredientes que não encontro no Uruguai. Com a correria, não fiz nenhuma! 😮 Aí inventamos de fazer uma série “Receitas do Jota”, que seria só com receitas testadas pelo meu irmão. Separamos algumas receitas para fazer e… só fizemos uma! 😦

MAS QUE RECEITA! Sempre fiz a mesma cheesecake de sempre, que leva ricota, mas essa é bem diferente e gostosa – além disso, ao contrário do que imaginei, essa não é uma receita muito doce! E dá tempo de fazer para o almoço de Páscoa! 😉

Para a base:
240 g de flocos de milho – corn flakes mesmo 😀
70 g de manteiga sem sal, derretida
4 colheres de sopa de cacau em pó

Para o recheio:
200 g de avelãs
500 g de cream cheese
1 caixinha de creme de leite
85 g de açúcar
1 colher de chá de essência de baunilha

Para a cobertura:
170 g de chocolate meio amargo
1 caixinha de creme de leite
Bombons Ferrero Rocher, para decorar

Cheesecake de Ferrero Rocher

Comece fazendo a base: no processador/liquidificador, triture bem os flocos de milho. Acrescente a manteiga derretida e o cacau em pó e misture bem. Cubra o fundo de uma forma de fundo removível (a nossa tinha 25 cm de diâmetro) com essa massinha, apertando bem, e leve para a geladeira, para firmar. Como a massa já tem manteiga, não precisa untar.

Enquanto a massa está na geladeira, coloque as avelãs em uma assadeira e leve ao forno para tostar. O processo leva uns 15 minutos, mais ou menos. De vez em quando, sacuda a assadeira para que as avelãs não queimem. Você vai saber que está pronto quando a cozinha ficar com um cheiro maravilhoso de avelãs 😀

Coloque as avelãs quentes no liquidificador e bata BEM, para que forme uma pasta. Esse processo demora bastante: eu e o Jota estávamos com pressa e só trituramos mesmo, ficou bom #realidades

Em uma tigela, coloque as avelãs, o cream cheese, uma caixa de creme de leite, a baunilha e o açúcar. Bata bem – eu bati o cream cheese com o creme de leite com uma espátula, para depois acrescentar os demais ingredientes, mas era só porque não queria sujar uma batedeira também! 😀 Despeje esse creme sobre a massa já fria, cubra com plástico-filme e leve para a geladeira para firmar.

Enquanto firma, coloque o creme de leite e o chocolate em uma panelinha em fogo bem baixo (ou em banho-maria, se você for mais cauteloso do que eu), mexendo bem até derreter todo o chocolate. Deixe esfriar um pouquinho e cubra a cheesecake com essa ganache.

Decore com os bombons – gente, parece tão receita de pavê isso, né, “decore com bombons”, hahahahah! – volte à geladeira por pelo menos 30 minutos e sirva!

Quiche Lorraine

English Version

Quiche Lorraine

Nessa ida a Brasília ganhei um presente maravilhoso da minha tia Paula: o livro do Gui Poulain, Cartas Amarelas! Além do autógrafo maravilhoso, o livro é lindo de tudo quanto é jeito. Claro que já estava agoniada querendo começar a fazer receitas dele – para começarmos as Tertúlias de Tortas, resolvi fazer a receita de Quiche Lorraine, porque é uma das minhas tortas favoritas!

Segui a receita quase à risca – mudei o jeito de abrir a massa, porque não queria sujar a bancada! Como esperado, ficou sensacional. O mais legal é que é uma delícia quente E em temperatura ambiente. Essa receita rendeu seis porções – almoço, jantar e almoço de novo! E ninguém reclamou de comer a mesma coisa três vezes seguidas… 😉

Para a massa

250 g de farinha de trigo
125 g de manteiga sem sal gelada, cortada em cubinhos
2 colheres (chá) de sal – da próxima vez, vou usar uma colher só, achei a massa um cadinho salgada
1 colher (chá) de açúcar
1 gema de ovo
50 mL de água

Para o recheio

300 g de bacon, cortado em cubinhos
1 cebola, cortada em cubinhos
3 ovos
250 g de creme de leite
sal, pimenta-do-reino e noz-moscada
150 g de queijo gruyère, ralado grosso – tenho certeza que dá pra usar a boa e velha muçarela aqui sem problemas

Quiche Lorraine

Comece fazendo a massa. Com um fuê, misture a farinha de trigo, sal e açúcar. Coloque a manteiga e, com a ponta dos dedos, amasse até formar uma farofinha úmida. Acrescente a gema e a água e amasse só até conseguir formar uma bola – não sove, para que a massa não fique dura! Envolva em um plástico-filme e leve para a geladeira por uns 20 minutos, para descansar.

Isso é o oposto do que você vai fazer, porque agora é hora de cortar o bacon em cubinhos! Frite em fogo baixo, com paciência, para que a gordura do bacon derreta bem. Quando o bacon tiver bem fritinho, retire um pouco da gordura que ficou na panela, acrescente a cebola picadinha e doure no restinho de gordura do bacon. Reserve o bacon e a cebola em um prato, tentando não beliscar muito até a hora de montar a torta.

Em uma tigelinha, bata os ovos com o creme de leite e tempere com sal, pimenta-do-reino e noz-moscada.

Tire a massa da geladeira. O jeito normal de abrir é polvilhando a bancada com farinha e usando o rolo. Pra reduzir a bagunça, eu cortei duas folhas de papel manteiga em um tamanho maior do que a minha forma (que tinha 23 cm), coloquei a massa entre as duas folhas e usei um rolo para abrir. Daí tirei o papel de cima, coloquei a forma sobre a massa, girei todo mundo e a massa ficou certinha na forma! (E, lógico, tirei a segunda folha de papel manteiga).

Montar a torta é muito fácil: coloque o refogadinho de cebola e bacon, cobrindo bem o fundo, despeje a mistura de ovos e creme de leite e cubra tudo muito bem com o gruyère ralado!

Leve ao forno preaquecido por uns 40 minutos, mais ou menos, ou até que tudo fique douradinho e firme! Você pode atacar assim que sair do forno (foi o que fizemos aqui) ou esperar esfriar e comer em temperatura ambiente (o que também fizemos aqui :D)