Arquivos de Tag: tomate

Macarrão 10 Minutos (Ou: Macarrão da Tia Leo)

Macarrão da Tia Leo

A minha cara de pau não conhece limites. Quando a Tia Leo veio nos visitar, o seguinte diálogo aconteceu:

Eu: “Ah, Tio Carlinhos, sabia que a Tia Leo vai fazer o Macarrão dela pro Tertúlias?”
Tia Leo e Tio Carlinhos: “Ahn?????”
Eu: “Bacana, né?”

Algumas risadas depois, colocamos a mão na massa. Na verdade, a Tia Leo fez tudo e eu só tirei as fotos, falei besteiras e comi! 😀 A versão tradicional é feita com linguiça calabresa, mas o papai teve a ideia brilhante de testarmos com frutos do mar.

500 g de macarrão parafuso (1 pacote)
800 g de molho de tomate (ou 2 sachês de molho pronto, porque a vida é assim mesmo)

250 g de creme de leite (ou 1 caixinha)

200 g de polvo
200 g de lula
500 g de camarão
1 limão, para dar uma lavada nos frutos do mar
1 cebola picadinha

Sal, pimenta do reino, páprica, etc.

Comece preparando o macarrão, que é incrivelmente difícil, extremamente técnico, blá-blá-blá. Coloque o molho e o macarrão na panela de pressão e cubra com água quente. Tampe e marque no celular 10 minutos. (Na panela da Tia Leo, são 12 minutos, mas a minha panela de pressão é grossa, bruta e ignorante).

Nestes 10 minutos, escalde os frutos do mar. Como o camarão e o polvo estavam pré-cozidos, nós escaldamos a lula duas vezes. Na segunda vez, colocamos o suco de um limão e todos os frutos do mar na mesma tigela, deixando por um minuto, mais ou menos, na água fervente.

Macarrão da Tia Leo

Desligue a panela de pressão quando o seu celular apitar os 10 minutos. Corte a cebola miudinha e refogue com um pouco de azeite. Quando ela estiver bem murchinha, acrescente os frutos do mar e tempere com um pouco de sal, pimenta do reino, páprica doce e o que mais der na telha.

Quando toda a pressão tiver saído da panela, abra e misture o creme de leite. Acrescente o refogado, misture bem, e sirva imediatamente.

[Guest Post] Pirarucu Nortista

[Guest Post] Pirarucu Nortista [Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Eduardo e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Calorias: Filho, tenta tirar o couro de um pirarucu e depois vem me falar de calorias.

Trilha Sonora: Calypso (lógico!)

Essa receita é uma realização de Sâmela Ramos, paraense lá de Santarém. Os ingredientes principais, inclusive, vieram de lá.

Ingredientes:
10 kg de disposição.
500 g de filé de pirarucu.
3 bananas-da-terra maduras (banana-comprida).
4 batatas médias.
1 lata de creme de leite.
Azeitonas, pimentão, tomate e cebola.
Temperos: pimenta-do-reino, colorau, sal e pimenta calabresa e o que mais o aprouver.
Azeite
Queijo ralado (usamos muçarela, mas ficaria bom com qualquer queijo branco).

Modo de Fazer
Preliminares: cozinhe e amasse as batatas. Reserve.

O pirarucu. Queridos, ao sul das águas do Amazonas vocês até encontram pirarucu fresco no mercado. Se encontrarem, comprem, porque é um peixe muito delicioso, não importa o preparo. Se você, em um arroubo gastronômico, comprou o pirarucu fresco, possivelmente ele estará em uma bandejinha limpinho, pronto para você iniciar o preparo. Porém, se você tem uma amiga de Santarém que tem como opção comprar o peixe fresco, pescado no rio Tapajós, você terá o ~amável~ trabalho de retirar o couro do pirarucu e transformá-lo em lindos filés.

A receita começa com o preparo dos filés do pirarucu. Para temperá-los, nós usamos pimenta-do-reino, sal, colorau e pimenta calabresa. Não recomendamos o método de colocar em tapaué e sacudir, há o risco dos filés saírem da tapaué prontos para uma farofa de peixe. O passo seguinte é fritar esses filés. Na frigideira, coloque uma parte dos filés de pirarucu. Use azeite suficiente para untar o fundo da frigideira. Quando perceber que cozinhou de um lado, vire os filés. Dependendo do tamanho da sua frigideira, será um processo bem rápido. Depois de pronto, reserve.

As bananas devem ser fatiadas e depois fritas, também com pouco azeite. Precisa de um pouco de cuidado para não queimar, mas é bem tranquilo: fritou de um lado, vira; fritou do outro, tira da panela e coloca em um prato. Reserve

[Guest Post] Pirarucu Nortista

Naquela frigideira do pirarucu, refogue cebola, pimentão, azeitona e tomate. Tempere com pimenta-do-reino, sal e outros temperinhos bacanas. Depois de refogado, desligue o fogo e acrescente o creme de leite. Reserve.

Por fim, a montagem. Utilizando uma travessa de vidro (grande), faça camadas com os ingredientes na seguinte ordem: primeiro o molho, seguido do pirarucu, das bananas e, por último, a batata amassada. Cubra com queijo. Com o prato montado, coloque no forno pré-aquecido por uns 10 ou 15 minutinhos. É só o tempo de derreter o queijo e dar uma grelhada. Usamos arroz para acompanhamento, mas é opcional.

Lógico que um peixe com esse nome não deixaria de ter bons comentários no processo. Por exemplo, vocês sabiam que em Goiânia há criadouros de Pirarucu? Então, Sâmela, que já morou em Goiânia, nos presenteou com a seguinte pérola: “uma amiga em Goiânia fazia com um pirarucu de açude, mas eu nunca provei o pirarucu dela”.

Só uma coisa a dizer. Façam ou venham aqui provar. TUTO DE BOM!

[Guest Post] Macarrão de Abobrinha (Abobrinharrão)

[Guest Post] Macarrão de Abobrinha (Abobrinharrão)

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Eduardo e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Calorias: todas as saudáveis.
Tempo de preparo: 30mim.

Ingredientes:
(Para uma pessoas ou duas pessoas, depende do tamanho da fome)

1 abobrinha (italiana ou brasileira)
1 berinjela pequena
1 cenoura média
1 lata de tomate pelado
1 cebola pequena (eu usei metade da branca e metade da roxa)
½ pimentão verde
Alho, alecrim e pimenta do reino.

Pois bem, a receita é muito rápida e tranquila de ser feita.

Pique a cebola, amasse o alho e reserve. Logo em seguida, corte a berinjela e o pimentão em cubinhos. Coloque a cebola para doirar no azeite, depois acrescente o alho. Quando estiver aquele cheiro bom de alho com cebola fritos, jogue a berinjela e o pimentão. Enquanto a berinjela é refogada, vamos cuidar da cenoura. O Iuri picou a cenoura, eu preferi ralar e acho que deu super certo. Depois de ralada acrescente a cenoura e os demais temperos. Eu usei pimenta do reino e alecrim (amo alecrim e ele deu toque todo especial ao molho). Eu deixei refogar bem refogadinho e só então acrescentei a lata de tomate pelado. Deixei o molho encorpar e fui cuidar da segunda etapa.

[Guest Post] Macarrão de Abobrinha (Abobrinharrão)

A segunda etapa é preparar abobrinharrão. Se você tiver um descascador de legumes sua vida será facilitada, se não, você vai usar toda a sua habilidade em fazer tiras de abobrinha. Eu fatiei lateralmente a abobrinha e, em cada fatia, fiz tirinhas com a faca. Ficou ótimo. Coloque água com sal no fogo e acrescente as tiras de abobrinha quando a água estiver fervendo. Deixe cozinhar até que as tiras fiquem bem moles. O Iuri falou que deveria cozinhar até mudar de cor, mas basicamente, quando você perceber que a abobrinha estiver cozida, escorra a água, igual você faz com macarrão. Sirva-se de uma porção de abobrinha e jogue o molho de berinjela por cima. Impressione-se com a delícia que é esse prato.

Gazpacho

Gazpacho

Olha, não tá fácil. Tá quente. E, para piorar a situação, parece que reclamar do calor no Facebook não está adiantando. Para tentar conviver com a situação, além do combo picolé + praia, resolvi testar para esta #quintadeverão uma receita que sempre quis fazer, mas nunca lembrava de comprar os ingredientes: Gazpacho, a sopa de tomates espanhola servida fria.

Segui mais ou menos a receita do Chef John ( ♥ ♥ ♥ ♥ ). Se vocês não conhecem, recomendo fortemente! ACHO que tenho uma quedinha por ele. ACHO. 😀

Fiz a receita, tirei as fotos, botei para gelar e pensei “ah, vai sair algo gostoso daí”. Mas eu não tinha noção do QUÃO gostosa e forte era essa sopa! Sem exageros, foi uma das melhores coisas que já preparei na vida! Ela é BEM temperada, você sente que está comendo uma refeição propriamente dita, mas sem o calorão e o “peso” depois de comer, porque é só vegetal!

Você vai precisar de:

3 ou 4 tomates maduros, sem pele e sem semente
½ pepino descascado
½ pimentão da cor que você encontrar
½ cebola picada
1 colher (chá) de sal
½ colher (chá) de cominho – fundamental, não se esqueçam dele!!!
Orégano, pimenta caiena, pimenta do reino e páprica a gosto

2 ou 3 xícaras de tomate cereja
Suco de 1 limão
2 dentes de alho
1 ½ colheres (sopa) de shoyo
¼ de xícara de azeite de oliva

Manjericão para decorar

Retire a casca e as sementes dos tomates e corte-os em cubinhos pequenos. Corte o pimentão, a cebola e o pepino em cubinhos pequenos também. Em uma tigela média/grande, misture tudo. Acrescente o cominho, o orégano, as pimentas e o sal e misture bem. O sal vai ajudar a extrair o “suco” do tomate, então não se espante se formar uma piscininha de tomate no fundo da sua tigela… 😀

Enquanto a mistura descansa, jogue no liqui os tomatinhos cereja, o limão, o alho, o shoyo e o azeite. Bata BASTANTE! Quando estiver bem batidinho, sem nenhum pedacinho visível, respire fundo, pegue uma peneira e coe o “suco” do liquidificador sobre a sua tigela de tomate/cebola/pimentão/pepino. É meio chatinho, mas é importante coar para remover as cascas e sementes do tomate cereja. Outra opção é descascar e remover as sementes antes de bater, but AIN’T NOBODY GOT TIME FOR THAT!

Quando estiver tudo coado, despeje metade do conteúdo da tigela no copo do liqui e bata por uns dois minutinhos. Despeje de volta na tigela, cubra com plástico filme e leve à geladeira por pelo menos duas horas.

Sirva com o manjericão picadinho e umas torradinhas! Dizem que dura uns dois dias na geladeira. Aqui em casa não durou nem meia hora!

[Guest Post] Tomates Verdes Fritos

[Guest Post] Tomates Verdes Fritos

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook]

Tempo de preparo: 40 minutos

Há algum tempo, assisti ao famoso drama “Tomates Verdes Fritos” (1991). A história me cativou tanto que a receita que dá nome ao filme nunca me saiu da cabeça: “um dia vou experimentar isso”. Como nunca encontrei nenhum lugar que vendesse esse prato, o jeito foi fazer!

(Façam o favor de assistir ao filme)

Baseado na receita original da Southern Living

Ingredientes:
3 tomates verdes médios cortados em rodelas grossas (aprox. 1 cm)
1 ovo grande
½ xícara de leite*
½ xícara de farinha de trigo (dividida em duas partes)
½ xícara de farinha de milho (eu usei aquela que tem flocos pequenos)
1 colher de chá de sal
½ colher de chá de pimenta do reino (eu botei mais =X)
Óleo vegetal
Sal a gosto (no final)

Modo de Preparo:
Esse prato precisa, acima de tudo, de organização para ser feito rapidamente e sem muita sujeira. Monte uma linha de produção com três pratos contendo os seguintes ingredientes:
Prato (1): ¼ xícara de farinha de trigo;
Prato (2): ovo levemente batido + leite;
Prato (3): ¼ xíc. farinha de trigo + ½ xíc. farinha de milho + sal + pimenta do reino.
O resto é fácil. Basta recobrir as rodelas de tomate com a farinha do prato 1, mergulhá-las em seguida no prato 2 e recobri-las novamente com a mistura do prato 3. Comece pegando cada rodela individualmente com o pegador novo de nylon que você comprou. Perca a paciência e faça todo o resto das rodelas ao mesmo tempo, pegando com a mão. Depois de empanadas, é só fritá-las em óleo bem quente até que fiquem douradas dos dois lados.

Eu coloquei óleo suficiente para cobrir as fatias por inteiro, mas fica a seu critério. Dá pra colocar menos óleo e ficar virando, mas haja paciência. Na hora de fritar, eu me esqueci de fechar a porta do quarto e fui dormir com o travesseiro cheirando a fritura, então #fikdik. Ao final, basta colocar os tomates sobre um papel toalha e temperar com sal, se achar necessário.

*A receita original pede “buttermilk”, mas essa coisa nem existe aqui no Brasil direito. Pelo que li, é um resíduo da produção de manteiga que deixa tudo mais gostoso. Se você encontrar, vá na fé! Se não encontrar, vá de leite mesmo ou utilize um substituto caseiro. Nesse caso, sugiro a dica do La Cucinetta.

Salada de Macarrão

Salada de Macarrão

OK. Eu sei. É um absurdo chamar isso de “salada”. Mas foi assim que eu aprendi. E gente, é fácil, é uma delícia, serve de acompanhamento, serve de prato principal, serve de lanche da madrugada…. Ou seja, é perfeito.

Essa é uma receita que PEDE pra ser feita em maior quantidade, porque ela fica mais gostosa ainda no dia seguinte, depois que ficou lá na geladeira um tempinho…. Vamos à receita.

Calorias: cada vez que você chama isso de “salada”, mais 400 calorias.

Ingredientes:
1 pacote de macarrão parafuso, ou fusilli se você quiser ser metido a italiano
3 latas de atum – ao óleo, tá no inferno, abrace o capeta de vez e largue daquela sem-gracice que é o atum em água
1 cebola grande, picadinha
1 lata de ervilha
1 pimentão da sua cor favorita – dessa vez não tinha, não usei, mas fica bom
2 tomates
1 cenoura grande, ralada – dessa vez não tinha, não usei, mas fica bom
2 beterrabas cozidas e cortadas em cubinhos – nunca tinha testado, resolvi inovar, ficou ótimo
Maionese (comece com meia xícara, talvez precise mais)
Shoyo
Temperos diversos (usei páprica, pimenta do reino e mostarda em pó)

Modo de preparo:

Essa é outra receita fácil, fácil. Comece cortando a beterraba em cubinhos. Cozinhe-a, escorra e deixe esfriar.

Coloque a água do macarrão para ferver.

Enquanto a água está fervendo, corte a cebola, o pimentão e o tomate. Rale a cenoura e escorra o atum e a ervilha. Procure uma tigela que caiba tudo. Misture os vegetais (eu preferi deixar a beterraba por cima, pra não ficar tudo cor de rosa, mas faça como achar melhor), o atum e os temperos. Coloque um pouco de shoyo – uma borrifada generosa, mais ou menos – e vá colocando maionese, misturando até dar um ponto de patê grosso. Reserve.

Quando o macarrão estiver cozido, escorra-o e misture a pasta de atum. Sirva morno ou frio. É um almoço perfeito para esses dias de calor!

Sopa de Tomates e Cenoura com Panquequinhas de Espinafre

Sopa de Tomate e Cenoura com Panqueca de Espinafre

O que dez entre dez #vós fazem quando está frio? Se você não respondeu “sopa”, caçaremos sua carteirinha do clube da 3a idade.

E o que você faz quando tem em casa cenoura, tomate e espinafre? A resposta mais que óbvia é sopa de tomate com cenoura e panquecas de espinafre. Claro, como não?

Para tanto, eu e a Anna tiramos a ideia de juntar as duas coisas (panqueca e sopa) do link do ótimo La Cucinetta, mas devemos advertir: foi só a ideia.

Para a sopa, que serviu bem a três pessoas, você vai precisar de (segurem a emoção): tomate (1 quilo) e cenoura (1/2 quilo). No mais,

– 1 cebola, refogada com azeite suficiente
– 1 talo de alho-poró (que tava fazendo aniversário na geladeira)
– 1 tapaué de caldo de legumes
– temperos a gosto (usamos sal, páprica e todas as pimentas da casa).

Refogue bem (bem mesmo, sem murrinhagem) a cebola e vá acrescentando a cenoura aos poucos. Corte a cenoura em pedaços finos pra cozinhar mais rápido #dica. Vá acrescentando o tomate. Depois de tudo bem unido e refogado, junte o caldo, abaixe o fogo e deixe cozinhar por mais ou menos meia hora (lembre-se de começar a fazer a sopa antes da fome apertar).

Não cometa nosso erro. Enquanto a sopa cozinha, vá fazendo as panquecas. Você vai precisar de:
– 1 receita básica de panquecas (1 ovo, 1 xícara de farinha, 1 xícara de leite ou água)
– 2 xícaras de espinafre cortado fininho (do jeito que sua avó corta couve pra refogar)
– novamente, temperos (sal, cominho, pimentas várias, basicamente tudo que você achar necessário)

Misture todos os ingredientes e acerte o sal. Em uma frigideira com um pouco de azeite, despeje uma concha de feijão da massa. Deixe fritar sem mexer até que você comece a ver bolhinhas na parte superior. Veja vários vídeos no YouTube sobre como virar panquecas, ou use uma espátula para virar e deixar fritar mais um pouquinho. Repita o processo até acabar a massa.

Quando a sopa estiver cozida, bata no liquidificador (nós preferimos deixá-la grossinha, mas é ao gosto do freguês). Volte ao fogo, acerte o que precisar de sal e temperos. Seja feliz e volte para dar seu #testemunho.