Arquivos de Tag: queijo

Broccoli Melts (Sanduíche de Brócolis)

English version

Broccoli Melts

É, eu sei. “Sanduíche de brócolis” não parece ser uma coisa boa. Eu fiquei levemente intrigada quando li a receita na Smitten Kitchen no ano passado, mas depois pensei “er… não. Isso é sanduíche de brócolis”. Deixei quieto.

Isso até a semana passada. Sky comprou não-sei-quantos brócolis porque estava em promoção. Eu não aguentava mais comer brócolis puxado na manteiga. Lembrei dessa receita. Li de novo, achei menos estranha e resolvi fazer. Ela rende oito fatias e eu realmente achei que iria sobrar. Que inocência! Sky mordeu a primeira e falou: você fez pouco. Eu provei e concordei – quase deu briga pelo último pedaço! 😀

Sabe quando uma receita entra imediatamente pro cardápio semanal? Pois é! A combinação do brócolis com as raspas de limão e o queijo fica realmente muito boa!!

Para deixar o ceticismo de lado e fazer essa delícia, você vai precisar de:

500 g de brócolis
2 colheres (sopa) de azeite de oliva
3 dentes de alho, picados – eu usei alho em flocos, porque não tinha alho em casa #desespero
Pimenta calabresa, a gosto
Raspas e suco de meio limão – eu raspei o limão siciliano inteiro 😀
Sal e pimenta do reino
½ xícara de queijo parmesão ralado no ralador mais fininho
8 fatias de pão
manteiga, se quiser passar no pão
8 fatias de muçarela

Broccoli Melts

Comece preparando o brócolis: corte os floretes em pedaços médios (de uns 5 cm) e os talos, que são mais duros, em pedaços pequenos (de uns 2 cm). Em uma panelinha, coloque cerca de um dedo de água para ferver. Quando estiver fervendo, coloque o brócolis picado, tampe a panela e deixe cozinhar por uns 4-5 minutinhos. Escorra bem a água – a receita original sugere secar com papel toalha, mas eu esqueci e não fiz isso – e transfira para uma tábua.

Corte o brócolis mais uma vez, agora pra que tudo fique em pedacinhos pequenos. Seque a panelinha que você usou para cozinhar o brócolis e aqueça o azeite por um minuto, em fogo médio. Coloque a pimenta calabresa e o alho e deixe aquecer por mais um minuto. Coloque o brócolis e misture bem, para envolver o brócolis no azeite. Acrescente uma pitada de sal e
cozinhe por uns dois minutos e reserve.

Coloque as fatias de pão na assadeira – eu usei a do forninho elétrico, porque meu forno não tem grill. Toste levemente as fatias, dos dois lados – eu passei manteiga dos dois lados porque, né?

Quando o pão estiver levemente tostado, pegue aquela panelinha com brócolis e acrescente o queijo parmesão ralado, as raspas e o suco de limão. Prove para ver se está bom de sal – se não estiver, agora é a hora de acertar!

Coloque uma montanhinha da mistura de brócolis sobre cada fatia de pão. Coloque uma fatia de muçarela e leve ao forno para derreter o queijo. Devore sem neuras, porque né, brócolis = saudável. 😀

Anúncios

Bolinho de Mandioca, Coco e Queijo

English Version

Bolo de Mandioca, Coco e Queijo

O Tertúlias andou paradinho no último mês, né? A razão é forte: me mudei! Entre procurar apartamento, assinar contrato, tentar arrumar tudo, desistir e pedir ajuda da mamãe e do papai para fazer a mudança e, claro, trabalhar, ficou difícil postar aqui. Mas agora que já estou estabelecida na casa nova, é hora de correr atrás e encarar a pasta “Receitas com foto – só falta escrever”! Para começar, uma receita que fiz lá em Brasília e que vale MUITO a pena! 🙂

Assim que ganhei o livro da Rita Lobo, corri para marcar as receitas que só davam para fazer no Brasil: a salada de feijão fradinho e bacalhau, um nhoque de banana-da-terra (que acabei não fazendo) e este bolinho sensacional.

Ralar a mandioca foi muuuuuito chato. Pior foi a mamãe me contar, quando eu já estava terminando de ralar, que dá pra comprar a mandioca já ralada!!! >.< Fora a ralação (tudum-tss), a receita foi extremamente fácil.

Na hora que saiu do forno, pensamos “ah, vamos dividir um, só pra provar, já comemos muito hoje”. Depois da primeira mordida, tive que esconder dois pra foto, porque todo mundo ATACOU! Ficou MUITO gostoso! 🙂

Você vai precisar de

1 ½ xícara de mandioca sem casca, ralada grossa – sim, compre a mandioca já ralada 😀

2 ovos

¾ xícara de açúcar

¼ xícara de óleo

1 xícara de queijo meia-cura ralado fino – ACHO que usei queijo estepe. Mas qualquer queijo que seja firme, mas não duro como parmesão, serve! 😀 E ralei grosso, porque já estava cansada de ralar mandioca 😛

1 xícara de coco ralado seco

manteiga e maisena para polvilhar e sair dizendo que você fez um bolinho gluten-free, ou seja, saudável, ou seja, você pode comer todos de uma vez só sem estresse.

Bolo de Mandioca, Coco e Queijo

Comece colocando a mandioca ralada em uma tigela e cobrindo com ½ xícara de água. Enquanto ela descansa, unte a forma de cupcake e “enfarinhe” com maisena – vai fazer uma zona, tá? Não se estresse.

Em uma tigela grande, bata com o batedor de arame os ovos, o açúcar e o óleo, até obter um creme liso.

Aperte a mandioca em uma peneira para escorrer bem a água. À mistura de ovos, acrescente o coco, a mandioca e o queijo ralado. (PAUSA para falar que tentei, mas não consegui escrever “mandioca” sem pensar nesse vídeo [não é putaria, pode clicar]).

Coloque a massa nas forminhas, sem ultrapassar a borda e sem apertar a massa nas forminhas. Leve ao forno preaquecido por 30 minutos, mais ou menos, ou até dourar – é tão estranho fazer um bolo que não dá pra fazer o teste do palito!

Deixe esfriar UM POUQUINHO antes de desenformar. Tente se controlar e não comer todos de uma vez só.

Muffin Salgado de Fubá e Queijo

English version

Depois da pausa para a Olimpíada (já estamos com síndrome de abstinência!), é hora de uma nova série! Muffins, ou ainda “bora usar aquela forma de cupcake que compramos em 2011 e está esquecida desde então” 😀

Enquanto escolhia as receitas para a série, o Sky fez um pedido específico: um “cornbread”, mas com queijo. Fui procurar uma receita bacana e acabei achando essa, que fiz mais ou menos como ela mandava – usei muçarela porque era o que tinha em casa, esqueci de colocar ervinhas, o buttermilk era o caseiro mesmo, sabe como é.

Quando saiu do forno, Sky devorou uns três de uma vez. Eu comi um, achei gostoso, mas não me apaixonei. No dia seguinte, descongelei uma das sopas da série passada (a de cenouras!) e resolvi reaquecer os muffins. SUCESSO ABSOLUTO! Esse muffin foi o acompanhamento perfeito para a sopa!

Para fazer 12 muffins, você vai precisar de:

1 xícara de farinha de trigo

1 xícara de fubá

1/4 xícara de açúcar

1 colher (chá) de fermento químico (de bolo)

1/2 colher (chá) de bicarbonato de sódio

1 colher (chá) de sal – se o seu queijo for muito salgado, use menos.

2 dentes de alho – aqui sou mais exagerada, usei 3 grandões

1 xícara de queijo ralado grosso – usei muçarela, mas qualquer queijo que derreta bem serve.

2 ovos

1 xícara de buttermilk – para fazer em casa, coloque uma colher (sopa) de suco de limão ou vinagre na xícara medidora, preencha com leite integral e deixe talhar por uns 10-15 minutos. Use tudo na receita.

100 g de manteiga, derretida

Muffin Salgado de Fubá e Queijo

A melhor coisa dos muffins é que eles costumam ser MUITO fáceis de fazer. Se você usar forminhas de papel, então, não tem nem que untar a forma!

Comece preparando o buttermilk. Enquanto isso, tire a forma de cupcake do armário, dê uma lavada porque eu sei que está empoeirada, seque e coloque as forminhas de papel.

Derreta a manteiga em uma panela que caiba todos os ingredientes, para diminuir a quantidade de louça ao final do projeto! 😀  Depois de derretida, espere esfriar um pouco, misture o buttermilk e os ovos. Reserve.

Em uma tigela separada, misture a farinha, o fubá, o açúcar, o fermento, o bicarbonato e o sal com um fuê. Acrescente o queijo ralado e misture. Despeje os secos sobre os líquidos e misture levemente com uma espátula – massa de muffin não deve ser batida muito, tá? Se bater muito ele fica duro! Misture só mesmo até não enxergar mais pontinhos de farinha.

Coloque a massa nas forminhas – encha só 3/4 de cada forminha, para não transbordar no forno. Aqui deu certinho 12 muffins. Asse em forno pré-aquecido por 20 minutos, mais ou menos, ou até que um palito espetado saia limpo.

Sirva morno, com uma sopa bem quentinha!

Para congelar, basta colocar em saquinhos tipo ziploc e fechar bem!

Frico

Frico

Na primeira vez que o Sky viajou pra ver a família, eu aproveitei para testar váááárias receitas que tinha pinado. Todo dia era uma receita nova! Pena que na época o Tertúlias não existia, senão eu teria várias fotos já prontas pra postar! 😀

Como toda fase de testar receitas, algumas não dão certo, outras são só ok, e algumas poucas fazem você falar OMG COMO EU VIVI SEM ISSO?

Frico é uma delas.

Eu sei que não é uma receita assim… bonita. Essa foto aí foi a menos esquisita que consegui – no La Cucinetta, de onde veio a receita, tem uma foto melhorzinha. Mas gente, é batata. É queijo. Sério que você está preocupado com a cara da receita? 😀

 

Para uma pessoa comer bem, você vai precisar de

1 colher (sopa) de manteiga

½ cebola, cortada em meias-luas finas

1 alho – opcional, mas gente, alho é amor.

1 batata média, fatiada bem fininha

Mais ou menos 1 xícara de caldo de legumes (sim, você pode usar o industrializado, mas pra quê?)

Sal e pimenta do reino a gosto (eu sempre coloco páprica também)

Várias fatias de qualquer queijo que derreta bem.

 

Frico

Essa receita é bem fácil e rápida (solteiros, universitários e preguiçosos em geral, é hoje!).

Em uma frigideira que caiba todos os ingredientes, derreta a manteiga e refogue a cebola e o alho.

Junte a batata, o sal e a pimenta, misture tudo muito bem. Cubra com o caldo de legumes (se não cobrir as batatas, acrescente mais água, ninguém tá olhando).

Deixe ferver e reduza o fogo. Cozinhe em fogo baixo até que as batatas fiquem macias e que o caldinho tenha engrossado, virando um molhinho classe.

Coloque o queijo por cima (vejam na foto que eu aloprei: é assim mesmo, muito melhor) e deixe derreter e dourar nas bordas.

Seja civilizado: transfira para um prato antes de comer! 😀

Pão de Batata Recheado

Pão de Batata Recheado

Há um tempinho, Sky fez jus à sua natureza gringa: viu um saco de SEIS QUILOS de batata a um preço bom no mercado e comprou, sem pensar no que diabos nós DOIS faríamos com seis quilos de batata em casa….

Procurando receitas com batatas que pudessem ser congeladas, já que não daríamos conta de comer tudo de uma vez, encontrei esta receita no site do Edu Guedes. Nunca tinha feito nenhuma receita de lá, mas a vovó Morena tem várias revistinhas de receitas dele, então confiei! E valeu a pena, porque estes pãezinhos são deliciosos, levinhos e congelaram super bem!

Para a massa, você vai precisar de:

½ xícara de leite morno
1 colher (sopa) de açúcar
1 envelope de fermento biológico seco
2 xícaras de purê de batata (eu cozinhei um mundo de batata, amassei e medi duas xícaras – o que sobrou virou nhoque, que um dia aparece aqui….)
1 ovo
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de sal
3 a 4 xícaras de farinha de trigo (aqui usei 3 ½ , mas depende muito da sua batata, da umidade relativa do ar, etc.)
1 gema para pincelar

Mais ou menos duas xícaras de recheio. Eu usei o clássico queijo e presunto, mas pão de batata recheado de frango com catupiry é excelente!

Em uma tigelONA, coloque todos os ingredientes da massa, exceto a farinha. Dê uma misturada e prepare o muque. Acrescente umas duas xícaras de farinha, sove um pouco, e vá acrescentando farinha (e sovando) até que a massa desgrude da mão.

Quando a massa estiver soltando da mão, cubra a tigelona com um pano e deixe crescer por uns 40 minutos.

Divida a massa em 12 pedaços mais ou menos iguais. Abra uma bolinha, coloque o recheio e feche, cuidando pra que fique bem fechado (para não vazar recheio, o que aconteceu comigo porque ignorei essa parte de fechar bem!).

Macarrão da Tia Leo

Quando todas as bolinhas estiverem prontas, deixe crescer por outros 40 minutos. Pincele com a gema, coloque gergelim por cima (eu não tinha no dia, mas super recomendo). Leve para assar em forno médio por 30-40 minutos. Se for congelar, espere esfriar bem, taque tudo em um saquinho ziploc da vida e pronto!

Empada de Queijo

Empada de Queijo

Aqui no Uruguai é uma tristeza: não tem boteco! Tem restaurante, tem buatchy, mas boteeeeco, boteco mesmo não tem! 😥

Ao decidir as receitas do especial de botecos da página no Facebook, não tive dúvidas: fazer empadinha era obrigação! Resolvi fugir da tradicional (de frango) e testei uma receita nova, de queijo. Comentário do Sky ao provar a primeira: “você vai fazer isso toda semana, né?” 😀

Para a massa, você vai precisar de:
2 xícaras de farinha de trigo
125 g manteiga
1 pitada generosa de sal (se a sua manteiga não for salgada)
2 gemas

Para o recheio:
1 xícara de leite
200 g de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) de manteiga
2 ovos

A massa é muito fácil: Em uma tigela, coloque a farinha, o sal e a manteiga. Incorpore os ingredientes, esmagando os pedacinhos de manteiga com a ponta dos dedos até obter uma farofinha. Acrescente as gemas e amasse até obter uma … massa! 😀 Se o clima estiver muito seco, você pode precisar colocar algumas colheres de água para dar o ponto. Enrole a massa em um plástico filme e leve à geladeira por pelo menos 30 minutos.

Enquanto a massa descansa, prepare o recheio, que é muito complexo: jogue todos os ingredientes no liquidificador, bata por uns 3 minutos e leve à geladeira!

Quando tudo estiver na geladeira, prepare as forminhas. Eu decidi untar e enfarinhar, mas talvez dê certo só untando.

Agora vem a parte mais chatinha: preencha a forminha com a massa, apertando-as contra as laterais e o fundo das formas. Tente não deixar a massa muito grossa, mas é importante que não haja buracos/fissuras, para que o recheio não vaze.

Coloque o recheio (pode colocar até quase o topo mesmo, sem medo) e leve para assar por aproximadamente 30 minutos, ou até dourar!

[Guest Post] Pirarucu Nortista

[Guest Post] Pirarucu Nortista [Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Eduardo e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Calorias: Filho, tenta tirar o couro de um pirarucu e depois vem me falar de calorias.

Trilha Sonora: Calypso (lógico!)

Essa receita é uma realização de Sâmela Ramos, paraense lá de Santarém. Os ingredientes principais, inclusive, vieram de lá.

Ingredientes:
10 kg de disposição.
500 g de filé de pirarucu.
3 bananas-da-terra maduras (banana-comprida).
4 batatas médias.
1 lata de creme de leite.
Azeitonas, pimentão, tomate e cebola.
Temperos: pimenta-do-reino, colorau, sal e pimenta calabresa e o que mais o aprouver.
Azeite
Queijo ralado (usamos muçarela, mas ficaria bom com qualquer queijo branco).

Modo de Fazer
Preliminares: cozinhe e amasse as batatas. Reserve.

O pirarucu. Queridos, ao sul das águas do Amazonas vocês até encontram pirarucu fresco no mercado. Se encontrarem, comprem, porque é um peixe muito delicioso, não importa o preparo. Se você, em um arroubo gastronômico, comprou o pirarucu fresco, possivelmente ele estará em uma bandejinha limpinho, pronto para você iniciar o preparo. Porém, se você tem uma amiga de Santarém que tem como opção comprar o peixe fresco, pescado no rio Tapajós, você terá o ~amável~ trabalho de retirar o couro do pirarucu e transformá-lo em lindos filés.

A receita começa com o preparo dos filés do pirarucu. Para temperá-los, nós usamos pimenta-do-reino, sal, colorau e pimenta calabresa. Não recomendamos o método de colocar em tapaué e sacudir, há o risco dos filés saírem da tapaué prontos para uma farofa de peixe. O passo seguinte é fritar esses filés. Na frigideira, coloque uma parte dos filés de pirarucu. Use azeite suficiente para untar o fundo da frigideira. Quando perceber que cozinhou de um lado, vire os filés. Dependendo do tamanho da sua frigideira, será um processo bem rápido. Depois de pronto, reserve.

As bananas devem ser fatiadas e depois fritas, também com pouco azeite. Precisa de um pouco de cuidado para não queimar, mas é bem tranquilo: fritou de um lado, vira; fritou do outro, tira da panela e coloca em um prato. Reserve

[Guest Post] Pirarucu Nortista

Naquela frigideira do pirarucu, refogue cebola, pimentão, azeitona e tomate. Tempere com pimenta-do-reino, sal e outros temperinhos bacanas. Depois de refogado, desligue o fogo e acrescente o creme de leite. Reserve.

Por fim, a montagem. Utilizando uma travessa de vidro (grande), faça camadas com os ingredientes na seguinte ordem: primeiro o molho, seguido do pirarucu, das bananas e, por último, a batata amassada. Cubra com queijo. Com o prato montado, coloque no forno pré-aquecido por uns 10 ou 15 minutinhos. É só o tempo de derreter o queijo e dar uma grelhada. Usamos arroz para acompanhamento, mas é opcional.

Lógico que um peixe com esse nome não deixaria de ter bons comentários no processo. Por exemplo, vocês sabiam que em Goiânia há criadouros de Pirarucu? Então, Sâmela, que já morou em Goiânia, nos presenteou com a seguinte pérola: “uma amiga em Goiânia fazia com um pirarucu de açude, mas eu nunca provei o pirarucu dela”.

Só uma coisa a dizer. Façam ou venham aqui provar. TUTO DE BOM!

[Guest Post] Bolinhos de Arroz

[Guest Post] Bolinho de Arroz

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Eduardo e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Seguindo a superdica da Giuliana Elena Bosco…

Calorias: as que você guardou para usar depois.

Trilha sonora: Demônios da Garôa.

A proposta é bem simples. Você vai receber amigos em casa para um almoço e faz aquela boa panela de arroz. Depois que suas visitas vão embora você olha e se pergunta: o que farei com esse mundaréu de arroz? Bolinho, claro.

Ingredientes:

Arroz (o que você tiver na geladeira)
Trigo (o suficiente para dar liga)
Ovo (o suficiente para dar liga)
Queijos (eu usei uma sobra de muçarela e parmesão)
Temperos (cebola, pimentão, orégano, pimentas, o que a inspiração mandar)
Fermento

Preparo:

Despeje o arroz em uma vasilha. Com o auxílio do garfo deixe o arroz bem soltinho. Adicione os temperos e os queijos e misture. Depois coloque os ovos e misture bem. Coloque a farinha de trigo. A quantidade de farinha de trigo e dos ovos é relativa, sempre depende da quantidade de arroz. Desta vez tínhamos bastante, então usamos dois ovos e uma xícara de farinha.

Por fim, acrescente o fermento, que também depende da quantidade de arroz, nesta receita foi uma colher de sopa.

Com a colher molde os bolinhos e coloque no óleo quente. Quando estiver já dourando, vire o bolinho, aguarde só mais um pouco, retire e coloque para escorrer em papel toalha. É rápido, prático e superdelícia.

O acompanhamento ideal é uma cervejinha gelada, mas estávamos sem cerveja neste dia. 8(

[Guest Post] Batatas da Perseverança

[Guest Post] Batatas da Perseverança

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Eduardo e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Calorias: as melhores.

Tempo de preparo: 1h.

Ingredientes:
Batatas médias (de preferência de tamanhos próximos)
Bacon (prefiro os mais carnudos)
Queijos (eu usei coalho e muçarela)
Temperos: azeite, pimenta do reino, sal, caldo de carne.

Para o creme de alho:
Creme de leite
Azeite
Alho

Modo de preparo

Primeiro, tenha fé!

Comece colocando as batatas para cozinhar com o caldo de carne. Eu usei panela de pressão, mas sugiro cozinhar em panela aberta, para verificar mais facilmente o ponto (Essa dica, inclusive, serve para mim mesmo). Se usar panela de pressão, não pode deixar muito tempo, 10 minutinhos de pressão no máximo. O ponto da batata é aquele em que você enfia o garfo e dá para sentir o meio da batata ainda duro. Retire a batata do fogo e passe na água fria, assim, elas esfriam um pouco e você pode passar à etapa seguinte.

Depois que as batatas estão cozidas, você vai fazer os cortes. Aqui o bicho pega. Corte a batata como se fosse fazer rodelas grossas, mas não pode transpassar a batata. É um corte suficiente para abrir espaço para as fatias de bacon e queijo.
Faça fatias finas, mas não finíssimas, de queijo e bacon. Em seguida, corte a fatias em pedações menores. Lembre-se que você vai coloca-las dentro da batata. Para introduzir na batata, é melhor um queijo mais durinho, eu usei coalho (fácil e barato no Amapá), mas você poderia usar provolone, por exemplo.

Depois de brincar de deus, você coloca a batata em uma forma untada com um pouco de azeite (eu uso forma de vidro e para esse prato recomendo muitíssimo forma de vidro. Sério!). Leve as batatas ao forno em fogo alto (eu sempre uso fogo alto, veja aí as características do seu forno).

Com as batatas no forno, você começa o preparo do creme de alho. Por conta das limitações do meu liquidificador, eu busquei uma receita de creme de alho alternativa. O Rafael é expert em fazer a tradicional, cobrem dele. Eu encontrei algumas receitas que não usam leite, mas creme de leite. Nesse caso, você descasca e macera os dentes de alho e depois mistura com o creme de leite (sem soro) e um fio de azeite. Para a porção de hoje, eu usei meia lata de creme de leite para 3 dentes de alho, mas fica a gosto. Bate tudo no liquidificador até misturar bem o alho no creme de leite. A diferença principal da receita tradicional é o sabor mais suave do creme de alho.

Voltando às batatas. O tempo de forno é o suficiente para terminar de cozinhar as batatas e tostar o bacon e o queijo dentro das batatas. Quando você perceber que está tudo assado, retire a forma do forno. Despeje o creme de alho nas batatas e jogue uma dose cavalar de queijo (aqui eu usei muçarela, mas poderia ser um parmesão). Devolva as batatas para o forno e espere gratinar. Nesse intermeio você pode ficar na porta do forno babando. Retire as batatas quando o queijo estiver douradinho. Aí é só correr para o abraço! Ah! Cuidado com o queijo quente!

Chipá, o legítimo pão de queijo paraguaio

Chipá

Antes de começar, é preciso esclarecer: pão de queijo é outra coisa. #mineirices #disclaimer Mas, se na sua cidade não vende nem polvilho azedo, muito menos queijo canastra….. Faça chipá, que lembra muito pão de queijo, que dá para comer como pão de queijo (entenda-se, recheado com pernil) e alguns hereges até chamam de pão de queijo!

A receita veio do blog da Sheila, e conta com um ingrediente diferente: banha! Aqui no Uruguai a gente encontra banha em literalmente qualquer supermercado e, após o nojinho inicial, achei que valeu a pena! Ficou muito gostoso! Se você não encontrar (ou não quiser procurar, eu super entendo), use óleo. Dá mesma, é tudo gordura! 🙂

Calorias: nada que vá ser sovado tem calorias. #fato

Você vai precisar de
3 xícaras de queijo – usei “semimagro”, que é o que tem aqui, mas você pode usar queijo minas, muçarela… um queijo não muito macio que seja gostoso, derreta bem e seja fácil de ralar.

500 g de polvilho doce
3 ovos
1 colher de sopa de fermento em pó (aquele para bolos)
3 colheres de sopa de óleo vegetal ou banha
Sal, se o seu queijo não for salgado.

½ xícara de leite

Rale o queijo no ralo grosso. Em uma tigeLONA, coloque o queijo, o polvilho, os ovos, o fermento, a banha e o sal. Amasse até incorporar todos os ingredientes. Não se desespere: nesse momento, a massa fica com uma textura farofenta mesmo. E sim, esse pó branco que agora está nos seus cabelos, nos armários e provavelmente na sua alma é polvilho mesmo.

Quando você tiver decidido que não dá mais pra misturar esses ingredientes, é hora de acrescentar o leite AOS POUCOS. É fundamental colocar aos poucos, para que a massa não desande. Coloque um cadinho, sove bem, coloque outro cadinho e vá fazendo isso até obter uma textura mágica de massinha de modelar. Aqui em casa, precisei usar um pouquinho mais do que meia xícara para alcançar o ponto.

Chipá

Sério. Se você colocar o leite devagarzinho, não tem como errar: a massa fica exatamente como massinha de modelar. Nesse momento, faça bolinhas! É muito divertido! #idademental5anos Eu tentei fazer a ferradura, formato clássico das chipás, mas não recomendo. É chato, demora, fica feio quando assado… vai na bolinha mesmo.

Quando todas as bolinhas estiverem prontas, leve ao forno pré-aquecido, lembrando de deixar um espaço bacana entre as chipás, e asse até dourar.

Você pode também congelar a massa para assar depois. Faça as bolinhas, leve ao congelador em uma assadeira (ou prato, tá valendo) até congelar. Quando elas estiverem bem congeladas, retire e coloque-as em um saquinho tipo ziploc. Para assar, é só levar direto ao forno, como aquele produto que parece chipá que vende no supermercado… 😛 😀