Arquivos de Tag: pepino

Rolinho Primavera Vietnamita

English version

Rolinhos Primavera Vietnamitas

Um amigo tem um restaurante “portas fechadas” aqui em Punta, de inspiração asiática. Quando fui pela primeira vez, vi no cardápio a opção de rolinhos primavera e já pensei no tradicional, chinês e frito. Em vez disso, recebi umas trouxinhas de vegetais frescos e crus. Provei suspeitando de tudo, mas amei! Bem leve e fresquinho!

Para finalizarmos as Tertúlias de Verão, resolvi fazer essa receita. Ela não é difícil, mas dá um pouco de trabalho fazer vários rolinhos. Mas o resultado compensa muito – e eles duram alguns dias na geladeira, servindo como um lanchinho saudável no verão. Além disso, eles são muito versáteis: você pode rechear como quiser. Eu fiz uma versão vegana, mas você pode colocar camarões cozidos, por exemplo.

O papel de arroz para fazer esses rolinhos pode ser encontrado em lojas de produtos naturais/orientais. Aqui, encontrei na seção gluten-free do supermercado (a população celíaca no Uruguai é aparentemente grande: a seção gluten-free existia mesmo antes da modinha e várias empresas nacionais fazem produtos sem glúten).

As quantidades listadas são só uma sugestão. Ajuste conforme o seu gosto!

1 pacote de discos de papel de arroz

1 pepino cortado em tirinhas – idealmente, cortado em julienne, mas eu ainda não dominei esse corte…

1 cenoura cortada em tirinhas

1/3 de pimentão verde em tirinhas

1/3 de pimentão vermelho em tirinhas

1/3 de pimentão amarelo em tirinhas

1/2 cebola roxa, cortada em fatias finas

1 pacote de broto de feijão – broto de alfafa seria ainda mais legal, mas não achei no mercado! 😀

Folhas de menta

Folhas de alface

Molho

4 colheres (sopa) de shoyo – tradicionalmente, usa-se molho de peixe tailandês (comprado em lojas de produtos asiáticos), mas aí a receita deixa de ser vegana. Eu testei das duas formas e as duas ficam boas.

1 colher (sopa) de açúcar

suco de meio limão

2 alhos picadinhos

1 xícara de água.

Rolinhos Primavera Vietnamitas

Comece cortando toooooodos os vegetais em tirinhas.

Quando você tiver cortado tudo, monte sua estação de trabalho: os vegetais, o broto de bambu, a menta, os discos de papel de arroz, um prato fundo cheio de água para hidratar os discos, um pano de prato limpo e um prato para colocar os rolinhos prontos.

Coloque um disco de papel de arroz no prato com água e deixe hidratar por um minuto. Você vai ver que ele amolece bastante! Com cuidado, retire do prato e coloque sobre o pano, tentando deixar esticado. Nas primeiras vezes, talvez seja um pouco trabalhoso, mas logo você pega o jeito!

Coloque os ingredientes do recheio no centro do disco, tentando não encher muito. Dobre a parte de baixo do disco para cobrir o recheio, dobre os lados para dentro, formando um envelope e dobre a parte de cima, fechando o rolinho. Repita esse processo até acabar o recheio ou os disquinhos 😀

Misture os ingredientes do molho e sirva!

Salada Grega

English version

Salada grega

Janeiro costuma ser sempre o mesmo esquema: calor infernal, “este ano eu vou comer menos tranqueira”, “pra que é mesmo que eu tenho um forno se basta abrir a janela?”, etc. Então, como aqui não é nada diferente e também está um calor infernal, nada melhor do que começarmos o ano com as Tertúlias de Verão! Uma série de receitas levinhas que combinam muito com esse calorão! 😀

A receita de hoje é uma salada SEM ALFACE (tenho birra) e muito muito gostosa. O legal é que você só suja a tábua e os pratos! A receita da Deb pedia queijo feta, que nunca encontrei aqui: fiz com ricota mesmo e ficou ótimo. Já testei também com queijo de cabra, fica excelente!

Para duas pessoas, você vai precisar de

1 pepino médio – usei esse da foto, qual é? Japonês? Normal? Não sei.

1/2 pimentão verde

1 xícara de tomates cereja

1/4 de xícara de azeitonas pretas – você pode omitir, se quiser. Não entendo, mas você pode fazer isso sim, a salada é sua.

1/2 cebola roxa pequena – a minha era grande, usei só 1/4

Fatias grossas de ricota, feta ou queijo de cabra – para uma versão vegana, use tofu grelhado

suco de 1 limão – me empolguei e usei dois, mas a receita falava em um só mesmo 😀

azeite, sal, pimenta-do-reino, orégano (fresco seria ideal, mas usei o seco mesmo)

Salada grega

A montagem da salada não tem mistério.

Se você acha cebola crua uma coisa muito forte, você pode fatiá-la bem fininha e deixar descansando no suco de limão enquanto prepara os demais ingredientes. Eu amo cebola crua (mamãe conta que eu roubava cebola crua da geladeira quando tinha 5 anos, daí vocês tirem), então só fiz cortar fininho mesmo! 😀

Corte também o pepino em pedaços médios, o pimentão em cubinhos pequenininhos e os tomates cereja ao meio. Eu cortei cada ingrediente e coloquei direto nos pratos, para economizar uma louça! #preguiça

Coloque as azeitonas e as fatias de ricota sobre a salada e tempere tudo com suco de limão (se você deixou as cebolas descansando nele, pode usar do mesmo jeito), azeite, sal, pimenta-do-reino e as folhinhas de orégano.

Coma e se sinta super bem por ainda não ter largado a promessa de ano novo! 😀

Salada de Pepino, Castanha de Caju e Gengibre

Salada de Pepino, Castanha de Caju e Gengibre

Tá, eu sei. Pepino é uma coisa muito sem graça. Ninguém AMA pepino, ninguém pensa “ai que vontade de comer um pepino agora”. Mas toda vez que eu vou ao sacolão e vejo pepinos, compro, quase no automático. Antes era para comer com hommus, mas agora acho que a culpa é dessa salada. Não consigo me lembrar COMO cheguei no blog da Manjula, uma senhorinha indiana que faz pratos bacaníssimos.

A primeira receita que fiz de lá foi justamente essa, que virou sucesso absoluto aqui em casa!

Como boa parte das saladas, esta receita é muito simples! Você vai precisar de:

2 pepinos cortados em meias-luas finas. Eu costumo descascar um pouco, porque acho a casca meio amarga, mas não tiro toda a casca.
Mais ou menos 50 g de castanha de caju – ela usa castanha em pó, mas eu prefiro a textura da castanha cortada em pedaços pequenos.
Algumas folhinhas de menta – eu não tinha, então não usei. Mas já fiz com menta e com hortelã, fica ótimo!

Para o molho:
1 colher (sopa) de azeite
suco de 1/2 limão
um pedaço de mais ou menos 0,5 cm de gengibre, ralado (não esqueça do gengibre, ele dá toda a graça da salada)
sal e pimenta do reino a gosto.
algumas folhinhas de erva-doce – eu não costumo usar, porque o Sky odeia, mas fica bem gostoso!

Salada de Pepino, Castanha de Caju e Gengibre

O preparo é veloz: misture os ingredientes do molho em uma tigelinha e bata bem com o garfo até incorporar. Reserve. Não misture o molho com os pepinos até a hora de servir, para evitar que o coitado do pepino murche e fique sem graça.

Na hora de servir, despeje o molho sobre o pepino e a menta e só então acrescente as castanhas de caju. PRONTO. Acabou.

Coma e fique pensando “nossa, mas não é que isso é gostoso mesmo?”.

Gazpacho

Gazpacho

Olha, não tá fácil. Tá quente. E, para piorar a situação, parece que reclamar do calor no Facebook não está adiantando. Para tentar conviver com a situação, além do combo picolé + praia, resolvi testar para esta #quintadeverão uma receita que sempre quis fazer, mas nunca lembrava de comprar os ingredientes: Gazpacho, a sopa de tomates espanhola servida fria.

Segui mais ou menos a receita do Chef John ( ♥ ♥ ♥ ♥ ). Se vocês não conhecem, recomendo fortemente! ACHO que tenho uma quedinha por ele. ACHO. 😀

Fiz a receita, tirei as fotos, botei para gelar e pensei “ah, vai sair algo gostoso daí”. Mas eu não tinha noção do QUÃO gostosa e forte era essa sopa! Sem exageros, foi uma das melhores coisas que já preparei na vida! Ela é BEM temperada, você sente que está comendo uma refeição propriamente dita, mas sem o calorão e o “peso” depois de comer, porque é só vegetal!

Você vai precisar de:

3 ou 4 tomates maduros, sem pele e sem semente
½ pepino descascado
½ pimentão da cor que você encontrar
½ cebola picada
1 colher (chá) de sal
½ colher (chá) de cominho – fundamental, não se esqueçam dele!!!
Orégano, pimenta caiena, pimenta do reino e páprica a gosto

2 ou 3 xícaras de tomate cereja
Suco de 1 limão
2 dentes de alho
1 ½ colheres (sopa) de shoyo
¼ de xícara de azeite de oliva

Manjericão para decorar

Retire a casca e as sementes dos tomates e corte-os em cubinhos pequenos. Corte o pimentão, a cebola e o pepino em cubinhos pequenos também. Em uma tigela média/grande, misture tudo. Acrescente o cominho, o orégano, as pimentas e o sal e misture bem. O sal vai ajudar a extrair o “suco” do tomate, então não se espante se formar uma piscininha de tomate no fundo da sua tigela… 😀

Enquanto a mistura descansa, jogue no liqui os tomatinhos cereja, o limão, o alho, o shoyo e o azeite. Bata BASTANTE! Quando estiver bem batidinho, sem nenhum pedacinho visível, respire fundo, pegue uma peneira e coe o “suco” do liquidificador sobre a sua tigela de tomate/cebola/pimentão/pepino. É meio chatinho, mas é importante coar para remover as cascas e sementes do tomate cereja. Outra opção é descascar e remover as sementes antes de bater, but AIN’T NOBODY GOT TIME FOR THAT!

Quando estiver tudo coado, despeje metade do conteúdo da tigela no copo do liqui e bata por uns dois minutinhos. Despeje de volta na tigela, cubra com plástico filme e leve à geladeira por pelo menos duas horas.

Sirva com o manjericão picadinho e umas torradinhas! Dizem que dura uns dois dias na geladeira. Aqui em casa não durou nem meia hora!