Arquivos de Tag: parmesão

Macarrão com Camarões e Espinafre

English version

Macarrão com Camarão e Espinafre

Atrasamos, mas não falhamos! A receita não entrou na sexta-feira por um excelente motivo: estava viajando para a formatura da minha irmã!

Para abrirmos as Tertúlias do Mar, resolvi finalmente fazer uma das inúmeras receitas em vídeo salvas no Facebook – vocês também salvam mil coisas lá e nunca lembram de olhar? Tem algum grupo de apoio, viciados em salvar links anônimos? Tou precisando! 😀

De qualquer maneira, foi bom ter finalmente dado uma olhada nos links salvos. Essa é uma daquelas receitas bem facinhas, que só suja uma panela, sem mistério, mas que impressiona!

Para 2 pessoas, usei:

½ pacote de macarrão – usei espaguete, mas acho que um mais grosso, como o linguine mesmo, ficaria melhor. Ou, se você quiser realmente impressionar, use massa fresca!
8 colheres (sopa) generosas de manteiga
250 g de camarão fresco, sem casca e sem aquela veia nojentinha!
200 g de espinafre, cortado grosseiramente
2 dentes de alho, amassados – não precisa nem dizer que usei mais, né?
¼ de xícara de parmesão ralado
2 colheres (sopa) de salsinha
1 colher (sopa) de orégano
azeite, sal, pimenta-do-reino e páprica

Macarrão com Camarão e Espinafre

Comece cozinhando o macarrão de acordo com o tempo da embalagem. Enquanto ele cozinha, separe os demais ingredientes, porque o processo é vapt-vupt mesmo. Quando estiver al dente, escorra a água e deixe o macarrão no escorredor mesmo.

Na panela que você cozinhou o macarrão, coloque 2 colheres de azeite e umas 2 colheres de manteiga. Deixe aquecer até que a manteiga derreta e coloque os camarões. Tempere com sal, pimenta-do-reino e páprica. Frite os camarões por uns cinco minutos, mexendo para cozinhar por igual. Coloque o alho e deixe fritar por um minutinho.

Macarrão com Camarão e Espinafre

Agora é hora de colocar o espinafre, mexendo sempre até que ele murche. Coloque o macarrão, o resto da manteiga, o orégano, a salsinha e o parmesão, misturando bem até toda a manteiga derreter.

Sirva imediatamente!

Muffins de Parmesão

English Version

Muffin de Parmesão

Vocês repararam nas novas seções do blog aí em cima? 😉

Para continuar a série de muffins, uma receita especial que achei por acaso no Pinterest! A receita original dizia que esse muffin era igualzinho ao do Starbucks, mas eu discordo. O do Starbucks é sempre super seco! 😀

Esse foi sucesso absoluto aqui em casa – desapareceram assim que saíram do forno, tive que “esconder” esses dois para tirar a foto!

Para 12 muffins, você vai precisar de

250 mL de leite

10 g de fermento biológico – ééééé, biológico, não é o de bolo não!

250 g de farinha de trigo

1 colher (sopa) de açúcar

1 colher (chá) de sal

pimenta do reino e orégano

200 g de parmesão ralado grosso – separe um pouquinho para colocar por cima

1 ovo

100 g de manteiga derretida

Muffin de Parmesão

Como esse muffin leva fermento biológico, o processo é um pouquinho diferente do comum. Mas ainda é veloz! 🙂

Misture o fermento no leite e deixe espumar. Em uma tigela, misture a farinha com o sal, pimenta do reino e orégano.

Enquanto isso, derreta a manteiga e deixe esfriar. Quando a manteiga esfriar um pouco, misture o ovo e o leite com fermento. Acrescente a mistura de farinha e a maior parte do queijo ralado. Como sempre, a ideia é misturar com uma espátula de silicone só até que não se veja mais farinha – não é pra bater, nem pra sovar! 🙂

Divida a massa entre as forminhas, sempre no esquema de preencher só 3/4 de cada forminha, e cubra com o queijo ralado reservado.

Agora o processo é diferente: como a massa tem fermento biológico, deixe descansar por 1 hora – ele não cresceeeeeu muito nesse período, mas não me estressei com isso.

Leve para assar em forno pré-aquecido por 30 minutos, mais ou menos, ou até dourar/passar no teste do palito.

Espere esfriar um pouquinho e mande bala!

Na improvável hipótese de sobrar algum, é só colocar no saquinho ziploc e congelar!

Bolachinhas de Parmesão

Bolachinhas de Parmesão

Não sei como está por aí, mas aqui o dia está merecendo uma cerveja. Para acompanhar, que tal um salgadinho caseiro, #vegetariano, fácil e delicioso?

A receita veio do Moldando Afeto. Eu ia fazer igualzinho, mas enquanto amassava resolvi colocar orégano e tomilho também.

Ficou tão gostoso que refiz a receita e congelei!

120 g de farinha de trigo
100 g de parmesão ralado fino
80 g de manteiga
1 gema de ovo
½ colher (sopa) de alecrim seco picado
½ colher (sopa) de orégano
1 tantinho de tomilho

É muito, muito, muito fácil! Numa tigela, misture a farinha, o queijo e as ervas. Junte a manteiga cortada em cubinhos e faça a já famosa farofinha com a ponta dos dedos. Junte a gema e amasse bem.

Agora é repetir o processo de todos os biscoitos fatie-e-asse! Enrole a massa em uma folha de papel manteiga, fazendo um cilindro. Segui (de novo) a dica de colocar o cilindro em um tubo de papel toalha, para manter o formato. Leve à geladeira.

Depois de uma hora, mais ou menos, fatie – a receita original fala em fatias de 5 mm, mas quanto mais fino, mais crocante! Leve para assar em uma assadeira forrada com papel manteiga (ou silpat) até dourar.

Diz que dura uma semana se guardado em um potinho, mas aqui em casa quase não sobrou pra tirar foto! 😀

Empada de Queijo

Empada de Queijo

Aqui no Uruguai é uma tristeza: não tem boteco! Tem restaurante, tem buatchy, mas boteeeeco, boteco mesmo não tem! 😥

Ao decidir as receitas do especial de botecos da página no Facebook, não tive dúvidas: fazer empadinha era obrigação! Resolvi fugir da tradicional (de frango) e testei uma receita nova, de queijo. Comentário do Sky ao provar a primeira: “você vai fazer isso toda semana, né?” 😀

Para a massa, você vai precisar de:
2 xícaras de farinha de trigo
125 g manteiga
1 pitada generosa de sal (se a sua manteiga não for salgada)
2 gemas

Para o recheio:
1 xícara de leite
200 g de queijo parmesão ralado
1 colher (sopa) de manteiga
2 ovos

A massa é muito fácil: Em uma tigela, coloque a farinha, o sal e a manteiga. Incorpore os ingredientes, esmagando os pedacinhos de manteiga com a ponta dos dedos até obter uma farofinha. Acrescente as gemas e amasse até obter uma … massa! 😀 Se o clima estiver muito seco, você pode precisar colocar algumas colheres de água para dar o ponto. Enrole a massa em um plástico filme e leve à geladeira por pelo menos 30 minutos.

Enquanto a massa descansa, prepare o recheio, que é muito complexo: jogue todos os ingredientes no liquidificador, bata por uns 3 minutos e leve à geladeira!

Quando tudo estiver na geladeira, prepare as forminhas. Eu decidi untar e enfarinhar, mas talvez dê certo só untando.

Agora vem a parte mais chatinha: preencha a forminha com a massa, apertando-as contra as laterais e o fundo das formas. Tente não deixar a massa muito grossa, mas é importante que não haja buracos/fissuras, para que o recheio não vaze.

Coloque o recheio (pode colocar até quase o topo mesmo, sem medo) e leve para assar por aproximadamente 30 minutos, ou até dourar!

Torta de Atum

Torta de Atum

Você está de ressaca do carnaval? Bebeu, pulou e dançou (ou fez maratona na Netflix, o que é basicamente a mesma coisa) e agora quer algo rápido, porém gostoso? Essa torta é a solução dos seus problemas!

Você já deve ter tudo que precisa na despensa. Se não tiver azeitonas, pode botar palmito. Ou pode usar os dois, como na receita original! (http://www.spicyvanilla.com.br/2014/04/cinthianacozinha-torta-de-atum-palmito-e-azeitonas-pretas/)

Para a massa, você vai precisar de:

1 ¼ xícara de leite
½ xícara de azeite
½ cebola
1 ¼ xícara de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento
Queijo parmesão ralado (a gosto, usei ¼ de xícara)
Sal (se o seu queijo não for muito salgado)
Pimenta do reino

Esqueci de tirar foto deste passo, mas é muito simples: jogue tudo no liquidificador! 😀 O ideal é colocar os líquidos primeiro, para facilitar na hora de bater. Não usei sal, porque meu queijo já era bem salgadinho, e caprichei na pimenta do reino. Reserve.

Para o recheio, você vai precisar de:

2 latas de atum, escorridas
A outra metade da cebola, picadinha
Umas 15 azeitonas pretas, picadas
Sal, orégano, páprica picante, alho (usei o seco, por motivos de preguiça)

Esse recheio é muito complexo e envolve uma técnica avançada de preparo. Preste bem atenção pra não errar: pegue uma tigela. Coloque todos os ingredientes. Misture.

[plateia exclamando: ooooooooooooh!]

Em um pirex BEM untado, despeje metade da massa, o recheio e a outra metade da massa. Um passo opcional, mas altamente recomendável, é cobrir a torta com bastante queijo parmesão ralado na hora!

Torta de Atum

Leve ao forno preaquecido por mais ou menos 30 minutos. Deixe esfriar por uns 15 minutos, se tiver este tipo de autocontrole, e sirva!

Salada Caesar

Salada Caesar

Comecei a amar salada Caesar na época dos “almoços coletivos” com o pessoal do trabalho. A gente sempre pedia costelas com molho barbecue e uma saladinha pra compensar. Neste Natal, decidimos que faríamos churrasco (como é tradição aqui no Uruguai), com uma salada para acompanhar. Não tive dúvidas: era hora de testar a receita de molho da Bon Appétit.

Eu sei que você pode ir ali no mercado e comprar um molho “tipo Caesar” e jogar na sua salada. Mas o molho feito em casa é INFINITAMENTE melhor – mais forte, menos artificial, etc. Vale tanto a pena que decidimos repetir a dose na ceia de Ano Novo – acompanhando várias rodadas de pizza!

Para o molho, você vai precisar de:

6 filés de aliche (anchovas)
2 gemas de ovo
1 dente de alho gorducho, esmagado
2 colheres de sopa de suco de limão
1 colher de sopa de mostarda Dijon (eu não tinha, fiz com a mostarda normal mesmo)
2 colheres de sopa de azeite
½ xícara de óleo
3 colheres de sopa de parmesão ralado
Pimenta do reino
Sal, se for o caso – eu não usei, o sal das anchovas e do parmesão já deu conta do recado.

Para a salada, você vai precisar de:
Alface, de preferência a romana
Croutons
Queijo parmesão em lascas
Frango grelhado (opcional – usamos o frango do churrasco, ficou show)

Corte as anchovas o mais fino que puder. Esmague com a lateral da faca, para formar um patêzinho.

Em uma tigela, coloque as anchovas, o alho esmagado, as gemas, o suco de limão e a mostarda. Com um fouet (ou garfo) e MUITO MUQUE, bata bem. Acrescente o azeite, bem aos pouquinhos e sem parar de bater. Quando estiver bem incorporado, acrescente o óleo aos poucos, batendo bem, mas bem MESMO, como se fosse fazer uma maionese. Acrescente o parmesão ralado, tempere com pimenta do reino e corrija o sal, se for o caso. Reserve.

Rasgue a alface, lave, seque e reserve.

Agora é só montar a salada. Em uma tigela, misture o molho e as folhas rasgadas. Coloque as folhas temperadas no prato, acrescente os croutons, as lascas de parmesão (não exagere, o molho já tem parmesão) e o frango em tiras, se for usar.

Sirva imediatamente e prometa-se nunca mais comprar molho pronto! 😀

[Guest Post] Dip de Alcachofras com Espinafre

[Guest Post] Dip de Espinafre com Alcachofra

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Sabe aquele restaurante com temática americana, o Applebee’s? Pois então, fui visitá-lo quando meus pais estiveram por Campinas e ficamos fascinados numa espécie de gratinado de alcachofra e espinafre que eles serviram como “dip” para acompanhar as tortilhas.

Como o restaurante é meio caro e não existe em Passos, corremos pra internet para aprender a receita. Adaptamos daqui e ficou MARAVILHOSO. Vamos lá!

Tempo de preparo: 1 hora

Ingredientes:
200 g de creme de leite fresco
50 g de manteiga
1 xícara de chá de parmesão ralado
280 g de espinafre picadinho (essa medida é a que está na receita; nós não pesamos)
1 potinho de fundo (ou coração) de alcachofra em conserva escorridos e picados
1 xícara de chá de parmesão ralado (usamos mais, hihi)
1/2 xícara de chá de mussarela ralada (usamos mais =X)
3 dentes de alho amassado
115 g de cream cheese

Modo de Preparo:
Zero complicação. Enquanto seu forno aquece a 220 graus, pegue uma panela e aqueça a manteiga com o creme de leite, misturando bem. Ferveu? Desligue e adicione o parmesão, misturando. Misture esse molho e o restante dos ingredientes na própria panela mesmo e experimente o sal. Normalmente o sal dos queijos já dá conta do recado, mas fica a seu critério. Coloque tudo num refratário e leve ao fogo para gratinar. Sirva com aqueles Doritos sem sabor ou se arrisque a preparar suas próprias tortilhas! Isso fica pra uma próxima receita ;D
Bom apetite!

[Guest Post] Risoto de Carne com Brócolis

[Guest Post] Risoto de Carne e Brócolis

[Nota: Esta receita foi feita pela Tia Dona Mãe do Rafa
e escrita pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Cansei! Minha mãe fez tanta receita aqui nessa página que agora ela tem as próprias tag: Tia Dona Mãe do Rafa!

Dessa vez a receita é de risoto. Surpreendentemente fácil de fazer e, ainda por cima, delicioso. Destruímos a panela numa tacada só.

Tempo de preparo: 40 min

Ingredientes:

2 copos de arroz tipo arbóreo (ou qualquer outro pra risoto)
4 a 5 copos de água
1 fio de azeite (ou 1 colher de manteiga)
1 cubo de caldo de carne [Nota: NÃO, usem o caldo de legumes caseiro!]
1 cebola pequena bem picada
3 dentes de alho amassados
400-500 g de alcatra cortada em cubinhos
1 copo de vinho tinto
1 copo de brócolis picado (opcional)
1/2 copo de cebolinha picada
sal e pimenta-do-reino a gosto
queijo parmesão ralado

Modo de Preparo:

A palavra chave pra essa receita ser fácil e dar certo é preparação. Apenas deixe a carne e o brócolis já picadinhos, bem como o restante dos ingredientes à disposição, como mostrado no nosso MISE EN PLACE (aprendi a expressão esse final de semana e vou usar sempre que puder, porque soa CHIQUE #mejulguem). Aqueça a água com o tablete de caldo de carne e mantenha-a sempre quente ao longo de todo preparo.

O resto é fácil. Refogue a carne picada com azeite (ou manteiga), cebola, alho, sal e pimenta até dourar. Acrescente o arroz arbóreo ou qualquer outro tipo que seja próprio para risoto (sim, tem de ser esses. Não, não faça substituições.) e mexa por 3 minutos. Adicione o vinho e mexa até que ele seja absorvido/evapore. Acrescente o brócolis e uma concha daquela água quente com caldo. Vá mexendo SEMPRE até que o líquido quase seque. Mexer é importante para que o grão solte bastante amilose e o risoto fique cremoso. Repita o processo de adicionar concha de água e mexer até que o arroz esteja ‘al dente’ (ir provando é importante, leva cerca de 18 minutos). Desligue o fogo e acrescente o queijo e a cebolinha, sempre mexendo. Sirva e seja feliz.

Para aprender um pouco mais sobre os tipos de arroz para risoto, acessem esse link aqui.

[Guest Post] Nhoque de Mandioca

[Guest Post] Nhoque

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook]

Já vou logo dizendo que esse prato foi baseado numa receita do site da Ana Maria Braga. Me julguem! Lá está escrito “gnocchi”, mas me recuso.

Tempo de preparo: chame algum amigo (né, Sabrina?) e bote uma música, pq demora um pouco.

Ingredientes:
• 1 kg de mandioca cozida (com sal)
• 1 ovo
• 1 colher (café) de canela
• ½ colher (café) de noz moscada
• 1 colher (chá) açúcar
• 1 colher (sopa) de sal
• 100 grs de queijo parmesão ralado
• 100 grs de manteiga
• 1 xícara de farinha de trigo (125 grs)
• Queijo parmesão para polvilhar (a gosto)

A parte enjoada dessa receita é amassar a mandioca cozida. Você pode usar aqueles espremedores de batata aliados a uma força sobre-humana. Como eu não tenho nenhum dos dois, joguei as mandiocas no processador e boa. A mandioca processada vai formar uma bolota super grudenta e vai dar vontade de comer um pedacinho com sal, mas se segure (ou não). Reserve.

Numa tijela separada, bata bem o ovo e, em seguida, misture a noz moscada, a canela (sim, use!!!), o açúcar, o sal, a manteiga e os 100 grs de parmesão. Vai ficar mega esquisito. Você joga essa mistura por cima da mandioca e vai sovando. Quando estiver homogêneo, adicione a farinha de trigo e continue sovando até que a massa fique lisa. Se estiver muito grudento, jogue um pouco mais de farinha, mas cuidado, pois se jogar demais vai dar aquele gostão. Pronto, sua mão está amanteigada e a cozinha já está começando a se sujar, mas garanto que não haverá arrependimentos.

Sabe o(a) amigo(a) que você tinha chamado pra te ajudar? Agora é a hora. Jogue um pouco de farinha numa superfície lisa (de preferência de pedra, mas aqui foi na mesa de madeira mesmo). Pegue pedaços da massa e vá fazendo rolinhos do tamanho que você quiser que o nhoque fique. Recapitule como sua vó fazia. Reconheça o esforço dela em te agradar. Prossiga com o rolinho. Corte o rolinho no tamanho padrão de nhoque da ABNT. Vá jogando-os num pote qualquer e não se preocupe, eles desgrudam na hora de cozinhar. Acabou tudo? Agora pegue um panelão de água fervendo e comece a jogar os nhoques lá dentro. Aqui é bem rápido: logo eles sobem, o que significa que está na hora de retirá-los. Jogue os nhoques cozidos IMEDIATAMENTE em água fria, para parar o cozimento e evitar que eles fiquem moles. Acabando esse processo, finalmente a recompensa. Sabe aquele molho que ensinei no domingo e que você já fez e já congelou? Pois então, aqueça esse molho e jogue por cima do nhoque. Polvilhe com queijo. Devore. Repita. Culpe-se. Repita. Cochile. Culpe-se novamente. Ah! Já disse que é pra, realmente, usar canela? Fica super diferente e muito gostoso!