Arquivos de Tag: pão

Rolinhos de Canela e Nozes (Cinnamon Rolls)

Cinnamon Rolls

E finalmente chegamos à CENTÉSIMA (!) receita do Tertúlias! Com esse frio, nada melhor do que um rolinho de canela quentinho! Essa receita é ótima para o café da manhã do dia dos namorados – você pode fazer hoje, congelar e esquentar no domingo.

Há muito tempo, testei uma receita maravilhosa da Technicolor Kitchen: pãezinhos de geleia. Foi a minha primeira tentativa de fazer qualquer coisa tipo rocambole e deu super certo. Depois de ter comido uns quatro pãezinhos, Sky virou e perguntou: quando você vai fazer cinnamon rolls?

Fui atrás de receita, mas nada me agradava muito. Então, resolvi o óbvio: usar a massa do pãozinho de geleia, mas fazer um recheio de canela da minha cabeça. Por nada não, mas ficou fantástico!

Para a massa, você vai precisar de:

1 ¼ colheres (chá) de fermento biológico seco

2/3 xícara (160ml) de leite integral morno

55g de açúcar cristal

450g de farinha de trigo comum

½ colher (chá) de canela em pó

1 pitada de sal

2 ovos, levemente batidos com um garfo

2 colheres (chá) de extrato de baunilha

100g de manteiga sem sal, derretida e fria

 

Para o recheio, você vai precisar de:

120 g de manteiga

3 colheres (sopa) de mel

3 colheres (sopa) de açúcar mascavo

1 ½ colheres (sopa) de canela

½ colher (sopa) de noz-moscada

1 xícara de nozes picadas

 

Para a cobertura, que é bem opcional, você vai precisar de:

Mais ou menos 1 xícara de açúcar de confeiteiro

Suco de limão

 

Obviamente, vamos começar pela massa. Em uma tigela grande, misture o fermento, o leite e uma pitada do açúcar. Reserve até espumar. Adicione a farinha, o resto do açúcar, a canela, o sal, os ovos, a baunilha e a manteiga e misture com uma espátula de silicione até incorporar os ingredientes.

Agora é muque (ou batedeira com batedor em formato de gancho): sove bem a massa, até que ela fique lisa e elástica. Quando isto acontecer, forme uma bola, coloque em uma tigela grande – ou a tigela original, sabe como é. Cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar quentinho até dobrar de volume.

 

Cinnamon Rolls

Enquanto a massa cresce, prepare o recheio, que é bem fácil: basta derreter a manteiga e misturar o mel, açúcar, canela e noz-moscada. Pique as nozes e reserve.

Se você não tem uma bancada de mármore linda e grande, boa para abrir massas, faça como eu: cubra uma mesinha com plástico-filme, para facilitar abrir (e limpar depois).

Como ainda sobrou tempo, aproveite para untar a assadeira/pirex – a minha tem x cm e coube certinho.

Massa crescida, é hora de abrir. Polvilhe um pouco de farinha sobre a superfície e abra a massa com um rolo, formando um retângulo de mais ou menos 60 x 25 cm.

Espalhe o recheio sobre a massa, deixando uma bordinha de mais ou menos 1 cm sem recheio. Vai parecer que é pouco, mas espalhando bem você vai cobrir a massa direitinho. Cubra com as nozes.
Começando do lado mais longo, enrole a massa firmemente, como um rocambole. Parece tenso, mas não é – é só ir com calma. Ao terminar de enrolar, aprecie sua obra por 1 minuto, pensando “nossa, eu tenho a manha”. Corte em 12 pedaços mais ou menos iguais e coloque os pedaços (com o lado cortado para cima) na assadeira preparada.
Cubra com aquele pano de prato e deixe crescer novamente, agora por 40 minutos. Enquanto isso, preaqueça o forno, lave a louça, etc.
Cinnamon Rolls

Asse os pãezinhos por 25-30 minutos ou até que dourem e estejam assados por dentro. Deixe esfriar na forma por 10 minutos, e então desenforme com cuidado e transfira para a gradinha.
Se quiser, faça a cobertura. Coloque o açúcar de confeiteiro em uma tigelinha e acrescente suco de limão, uma colher por vez, mexendo bem até chegar no ponto da foto. Despeje sobre os rolinhos já mornos. Você também pode só polvilhar o açúcar de confeiteiro, fica bonito!
Como dá um trabalhinho, não vale a pena fazer metade da receita. Eu faço tudo e congelo de dois em dois (sem a cobertura). Daí é só descongelar! Se quiser quentinho (eu sempre quero), pulverize um pouquinho de água sobre os pãezinhos e leve ao forno por uns 10 minutos.

Pão de Leite

Pão de Leite

Algumas pessoas têm medo de fazer pão. “Nooossa, quem é que tem saco, dá muito trabalho, demora….”. OK, fazer bagels dá trabalho. Fazer pão normal? Não dá trabalho nenhum – e tem até umas versões bem rápidas!

Este, da Cozinha da Ceci, é super fácil – não precisa nem sovar! Se você sabe bater bolo, você dá conta de fazer este pão. É só misturar tudo, colocar na forma, deixar crescer por uma hora e tacar no forno! 🙂

Para uma forma de , você vai precisar de:

2 colheres (sopa) de açúcar
1 xícara de leite morno
½ xícara de óleo
2 ovos
2 colheres (chá) de fermento biológico seco
3 xícaras de farinha de trigo – você pode usar 2 de farinha branca, 1 de integral (ou de centeio)
1 colher (chá) de sal

Misture o leite, o óleo, os ovos e o açúcar em uma tigelona que caiba todos os ingredientes. Lembre-se que o leite não pode estar muito quente para não “matar” o fermento – se você aguentar deixar seu dedo por uns 10 segundos, está de boa.

Acrescente a farinha e o sal e misture bem com uma espátula de silicone, até que todos os ingredientes estejam bem incorporados. Viu? Só isso. Não é difícil!

Coloque a massa em uma forma grande, cubra com um pano de prato/plástico filme e deixe crescer em um local quentinho por mais ou menos uma hora – a massa vai quase dobrar de volume.

Asse em forno preaquecido até dourar bem dos lados – se você bater na parte superior, ele vai estar firme e você vai ouvir um leeeeeve som de oco. Espere uns cinco minutinhos, retire da forma e deixe esfriar em uma grade. Resista à tentação de cortar o pão ainda quente: ele é muito macio, então vai esfarelar!

Para congelar, corte porções, enrole bem em plástico filme e pronto!

Pão de Batata Recheado

Pão de Batata Recheado

Há um tempinho, Sky fez jus à sua natureza gringa: viu um saco de SEIS QUILOS de batata a um preço bom no mercado e comprou, sem pensar no que diabos nós DOIS faríamos com seis quilos de batata em casa….

Procurando receitas com batatas que pudessem ser congeladas, já que não daríamos conta de comer tudo de uma vez, encontrei esta receita no site do Edu Guedes. Nunca tinha feito nenhuma receita de lá, mas a vovó Morena tem várias revistinhas de receitas dele, então confiei! E valeu a pena, porque estes pãezinhos são deliciosos, levinhos e congelaram super bem!

Para a massa, você vai precisar de:

½ xícara de leite morno
1 colher (sopa) de açúcar
1 envelope de fermento biológico seco
2 xícaras de purê de batata (eu cozinhei um mundo de batata, amassei e medi duas xícaras – o que sobrou virou nhoque, que um dia aparece aqui….)
1 ovo
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de sal
3 a 4 xícaras de farinha de trigo (aqui usei 3 ½ , mas depende muito da sua batata, da umidade relativa do ar, etc.)
1 gema para pincelar

Mais ou menos duas xícaras de recheio. Eu usei o clássico queijo e presunto, mas pão de batata recheado de frango com catupiry é excelente!

Em uma tigelONA, coloque todos os ingredientes da massa, exceto a farinha. Dê uma misturada e prepare o muque. Acrescente umas duas xícaras de farinha, sove um pouco, e vá acrescentando farinha (e sovando) até que a massa desgrude da mão.

Quando a massa estiver soltando da mão, cubra a tigelona com um pano e deixe crescer por uns 40 minutos.

Divida a massa em 12 pedaços mais ou menos iguais. Abra uma bolinha, coloque o recheio e feche, cuidando pra que fique bem fechado (para não vazar recheio, o que aconteceu comigo porque ignorei essa parte de fechar bem!).

Macarrão da Tia Leo

Quando todas as bolinhas estiverem prontas, deixe crescer por outros 40 minutos. Pincele com a gema, coloque gergelim por cima (eu não tinha no dia, mas super recomendo). Leve para assar em forno médio por 30-40 minutos. Se for congelar, espere esfriar bem, taque tudo em um saquinho ziploc da vida e pronto!

Pão Apressadinho

Pão Apressadinho

A maioria das receitas de pão leva quase três horas para ficar pronta. 10/15 minutos de preparo + 1 hora de descanso + 5/10 minutos para modelar (dependendo da sua frescura) + 1 hora de descanso de novo + 25/30 minutos de forno.

Então é meio óbvio que tive que testar uma receita, encontrada no Pinterest, que prometia pão pronto em uma hora! Fiz meio na dúvida, achando que não ia dar certo, mas me enganei redondamente. Depois de uma hora (5/10 minutos de preparo + 25 minutos de fermentação + 25/30 minutos de forno), estava comendo um pão gostoso!

É um pão simples, com os ingredientes básicos de todo pão, nada de inovador. É só gostoso. E fácil. E rápido.

Já virou a receita padrão aqui de casa!

Para dois pães grandões, ou quatro pães médios, você vai precisar de

5 xícaras de farinha
1 ½ colher (sopa) de fermento biológico SECO (tem que ser o seco. É ele que permite que a receita seja tão rápida!)
4 colheres (sopa) de açúcar
1 ½ colher (chá) de sal
2 colheres (sopa) de óleo
2 xícaras de água morna (lembra, né? 10 segundos sem queimar o dedo)

O passo-a-passo é muuuuuito besta! Sem segredo nenhum!Misture os ingredientes secos. Depois, acrescente os líquidos e dê uma misturada só para facilitar a sova.

Daí é sovar. Se for na mão, sove por uns 5 minutos. Na batedeira com batedor em formato de gancho, 1-2 minutinhos resolvem. A ideia é conseguir uma massa lisa.

ATENÇÃO: se você for fazer esta receita na batedeira, é bom saber que essa quantidade é meio que o máximo que elas aguentam. Bata em uma velocidade mais baixa que o normal pra não forçar a barra. É tão rapidinho que não tem estresse bater em velocidade baixa.

Neste momento, uma receita normal falaria em “descanse por uma hora”. Como o esquema aqui é veloz, essa etapa não existe. Assim que terminar de sovar, modele os pães como desejar. Eu fiz quatro bisnagas, porque achei que assaria melhor do que os dois pães giga que tinha feito quando testei a receita. Estava certa. 😀

Coloque-os em uma assadeira untada ou forrada com silpat. Cubra com um pano de prato #vó e deixe descansar por 25 minutos.

Durante os 25 minutos, você vai:
1. pré-aquecer o forno;
2. lavar a louça que você sujou;
3. Achar aquela faca afiada da sua casa.

Passados os 25 minutos, faça cortes de mais ou menos meio centímetro de profundidade nos pães (veja a foto). Antes eu achava que isso era frescura, mas depois descobri que isso permite que o pão cresça de forma uniforme no forno, alcançando o volume máximo, etc. Ou seja: faça.

Pão Apressadinho

Coloque o pão no forno quente e deixe assar por 25-30 minutos. O ponto é o de sempre: quando você der soquinhos no fundo do pão, ele vai fazer um som de oco. O meu forno não doura (mágoas), por isso o meu ficou meio branquelão. Da próxima vez, vou pincelar uma manteiguinha antes de levar ao forno….

Como a maioria dos pães, este também pode ser congelado. Basta esperar esfriar bem e colocar num saquinho ziploc!

Pão Integral de Aveia

Pão Integral de Aveia

Organizando meu “banco de receitas pra postar no TFF”, encontrei esta receita que fiz na outra casa, na outra cozinha, etc, e percebi que nunca tinha postado! 😮 😮 😮

Um verdadeiro absurdo, já que este pãozinho é super fácil, praticamente saudável e muito gostoso. Foi uma das primeiras receitas de pão que fiz – o que fica evidente pela tosquice das fotos – e vale muito a pena!!! 🙂

Encontrei a receita no Cantinho Vegetariano, um site que sai juntando receitas vegetarianas de outros blogs – sempre com os devidos créditos.

Para 11 pãezinhos, ou 12 se você souber dividir direito:

1/2 colher (chá) de fermento biológico instantâneo seco
1 xícara de água morna
1/3 de xícara de açúcar mascavo
1/3 de xícara de azeite de oliva
1 xícara de farinha de trigo integral
1 xícara de aveia em flocos
1 1/2 a 2 xícaras de farinha de trigo
1 colher (chá) rasa de sal

Como 99,9% dos pães, comece misturando o fermento, o açúcar e a água em uma tigela – lembre a água deve estar morna, ou seja, em uma temperatura que você consiga deixar seu dedo lá dentro por uns 10 segundos sem sofrer 😀

Quando o fermento espumar, junte os demais ingredientes e sove até obter uma massa que desgrude bem das mãos. Esse eu sovei na batedeira, mas nem precisa, porque é fácil de sovar. Eu costumo sovar em uma tigelona, pra não fazer sujeira na bancada! #preguiças

Forme uma bola com a massa e deixe crescer até dobrar de volume. Modele a massa como preferir. Nesse dia eu fiz pãezinhos, mas você pode só fazer um pãozão mesmo e pronto! 😀

Coloque em uma forma (eu coloquei num pirex untado, nos tempos pré-silpat!) e deixe crescer novamente.Asse até que o pão esteja dourado, ou o já tradicional “som oco ao bater no fundo”.

Sirva quentinho com uma manteiga, um requeijão, um não-sei-o-quê…. 😀

Pão Australiano

Pão Australiano

Eu tinha três saudades panificadoras do Brasil: pão de milho, o pãozinho do Roadhouse Grill e o pão australiano do Outback. Ainda não consegui resolver a primeira saudade, a segunda superei com um pãozinho diferente, e a terceira superei LINDAMENTE com esta receita!

Adaptei levemente a receita do blog da Cecília (que conheci lá nos 365 dias de comida honesta). Eu só não coloco o fubá em cima do pão antes de assar, porque fubá NÃO EXISTE aqui 😀

Para dois ou três pães grandes e bonitos, você vai precisar de:

1 pacote de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) de açúcar mascavo
2 colheres (sopa) de mel
250 ml de água morna
2 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de farinha de centeio
2 colheres (sopa) de cacau em pó
2 colheres (sopa) de manteiga à temperatura ambiente
½ colher (chá) de sal

Comece com o básico de qualquer pão: misture o fermento biológico com os açúcares (no caso: açúcar mascavo e mel) e a água morna. O que é água morna? Água que você aguenta deixar seu dedo lá dentro por uns 10 segundos. 😀
Deixe espumar, o que leva alguns minutinhos.

Como sempre, você pode fazer na batedeira com o batedor em formato de gancho ou no muque. Já fiz dos dois jeitos, dá certo dos dois jeitos, etc.

Quando o fermento tiver espumado, peneire as farinhas e o cacau sobre o liquido e misture. Quando tiver bem misturado, acrescente a manteiga e o sal, arregace as mangas (ou ligue a batedeira) e sove! Na mão, o processo leva uns 10 minutos. Na batedeira, uns 4, talvez?

Coloque a massa em uma tigela, cubra com um pano e deixe descansar até dobrar de volume. Enquanto isso, vá descansar, tomar um banho, botar uma cerveja pra gelar, porque daqui a uma hora e quarenta minutos, você terá um pão delicioso pra petiscar.

Divida a massa em duas ou três partes e modele os pães, colocando-os em um tabuleiro untado e enfarinhado. O certo é polvilhar os pães com fubá neste momento, mas eu nunca fiz isso. Cubra de novo com um pano e deixe descansar até dobrar de volume, o que costuma levar uma hora.

Passados uns 40 minutos, ligue o forno, que precisa estar quente. Leve os pães para assar por uns 30-35 minutos, ou até que você ouça um som oco ao dar soquinhos no fundo.

Exerça todo seu autocontrole e deixe o pão esfriar um pouco antes de fatiar!

Meu avô gostou de comer PURO, sem nada mesmo! Eu costumo comer com hommus, mas na foto servi com uma pastinha vegana de feijão branco que é DIVINA e vai aparecer por aqui logo logo! 😀

Pão Rústico de Batata

Pão Rústico de Batata

Logo que descobri que adorava fazer pão em casa, aprendi muito lendo o blog La Cucinetta! Este é outro pão dela. Eu confesso que o método original de preparo  me deu preguiça só de ler…. Daí resolvi fazer do meu jeito.

Se você não tem batedeira com batedor em formato de gancho, prepare o muque, porque o começo da sova é difícil. Mas funciona e vale a pena! 🙂

1 ½ colher (chá) de fermento biológico seco
½ xícara de água morna – se for a água do cozimento das batatas, melhor.
500 g de batatas cozidas e amassadas (ou purê de batata que sobrou de ontem e tá lá feiosão na geladeira)
1 colher (sopa) de sal (ou 2 colheres (chá), se estiver usando purê)
3 xícaras de farinha de trigo.

Na tigela da batedeira, junte a água morna e o fermento e deixe espumar. Quando ele espumar, acrescente os demais ingredientes e leve para sovar com o batedor em formato de gancho ou com o muque.

No começo é difícil até para a batedeira potente. Você tem que dar uma forcinha, empurrando um pouquinho com uma espátula de silicone até que o trem pegue no tranco!! 😀 Não se assuste. No começo vai ser meio seco e pesadão, mas a coisa melhora à medida em que a batata vai se incorporando.

Quando você tiver uma massa lisa e elástica, pare de sovar, leve para uma tigela e deixe crescer até quase dobrar de volume.

Modele o pão como desejar e deixe crescer novamente. Aí é só assar em forno preaquecido! Como quase todos os pães, ele estará pronto quando você ouvir um som oco ao dar soquinhos na parte de baixo.

Este pão pode ser congelado por até três meses. É só assar, deixar esfriar bem e colocar em saquinhos tipo ziploc.

Pão Integral de Centeio

Pão Integral de Centeio

De tempos em tempos eu cismo com um ingrediente e não sossego até encontrar. Desta vez, o alvo da cisma foi o centeio.
Depois de uma mini odisseia por vários supermercados, acabei encontrando em uma lojinha perto de casa (ódio/amor) e corri para testar esta receita da La Cucinetta (com leves adaptações na forma de preparo por motivos de preguiça), que nunca me desaponta quando o assunto é pão!

Este não foi exceção. Os pãezinhos ficaram muito fofos, com um sabor delicado de centeio. E, o que é melhor, são muito fáceis de fazer! Na primeira vez que fiz, usei batedeira, mas repeti a receita no dia seguinte (é bom de verdade, vocês não tão entendendo) e sovei na mão mesmo. Eu fiz neste formato de bolinhas, porque prefiro para congelar. Se você preferir, pode fazer um único pão redondo, bem bonitão!

Você vai precisar de

250 g de farinha de trigo branca
125 g de farinha de trigo integral
125 g de farinha de centeio
300 ml de água morna
5 g (ou meio pacotinho) de fermento biológico seco
25 g de manteiga amolecida
10 g de sal (se usar manteiga salgada, use menos sal!)

Se possível, uma tigelona grande, para que você possa sovar a massa dentro dela e nem precise sujar a bancada! 😀

Na tigelona, junte as farinhas, a água morna e o fermento biológico seco. Misture bem até obter uma massa mais ou menos uniforme. Acrescente a manteiga e o sal e sove por alguns minutos. A massa vai ficar um pouco grudenta depois da sova, mas resista bravamente à tentação de adicionar mais farinha: as farinhas integrais meio que “chupam” a umidade durante o crescimento!

Tampe a tigelona com um pano de prato e deixe fermentar por mais ou menos 30 minutos, ou até dobrar de volume. Quando li a receita e vi “30 minutos”, pensei “ha! Até parece que vai ser só isso!”, mas precisei só de 30 minutos mesmo 😀

Passado o crescimento inicial, dê um soquinho na massa para retirar o ar e modele. Eu fiz bolinhas de 70 g, mas é porque eu tenho probleminhas. Você pode fazer bolinhas do tamanho que quiser, ou pode fazer uma bola grande pra fazer um pão só, bem bonito. ♥

Cubra com o pano de prato e deixe crescer, agora por 1 hora. Leve ao forno pré-aquecido por 20 minutos, mais ou menos.

Para saber se seu pão está pronto, basta levantá-lo (com cuidado, já que ele vai estar BEM quente, né, pelamor) e dar umas batidinhas na parte de baixo. Se você escutar um som oco, está pronto! No começo, saber o que é ~um som oco~ pode ser complicado, mas com a prática você aprende direitinho! 😀

Como qualquer pão, você pode congelar assado (e já frio, claro) por até três meses!

Foccacia

Foccacia

Tem dias que você só quer um belisquete pra tomar com cerveja. De preferência, algo que você não tenha que fritar, com ingredientes fáceis, etc., mas mesmo assim bem gostoso. E às vezes você precisa de algo pra acompanhar uma salada e já enjoou dos croutons da vida. Pra esses dias, a solução é a focaccia.

Eu segui a receita do Chef John – sim, ele de novo – e cobri a minha somente com alecrim e sal grosso, mas você pode fazer com o que quiser: queijo ralado, um molhinho de tomate pra ficar tipo uma pizza simples, azeitonas picadinhas…. Dá pra fazer uma diferente a cada fim de semana! 🙂

Para a massa, você vai precisar de

1 pacote de 10 g de fermento biológico seco
1 xícara de água morna
6 colheres (sopa) de azeite, acrescentadas aos poucos.
¾ de colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de alecrim picado
2 1/2 xícaras de farinha de trigo (você pode precisar usar um pouco mais, dependendo do clima da sua cidade)

Para a cobertura:

Aproximadamente 4 colheres (sopa) de azeite
Sal grosso ou flor de sal (usei flor de sal, era o que tinha em casa)
Alecrim

Misture o fermento, a água, 2 colheres do azeite, o sal, o alecrim e a farinha de trigo em uma tigela. Eu usei uma tigelona para não precisar sujar a bancada – sovei lá mesmo e fui feliz. Se você não tiver uma tigelona, transfira a massa para uma superfície enfarinhada.

Sove por mais ou menos 3 minutos e acrescente mais 2 colheres de azeite. Sove por 2 minutos, acrescentando um pouquinho de farinha se a massa estiver muito grudenta – a minha não precisou. Adicione as 2 colheres de azeite restantes e sove por mais alguns minutinhos. Faça uma bola, cubra com plástico filme e deixe crescer por 1 hora ou até dobrar de volume.

Coloque a massa sobre a assadeira untada com azeite e forme um retângulo. Deixe este retângulo descansar por 20 minutos, cubra generosamente com azeite e, com os dedos, faça buracos sobre toda a massa (veja a foto). O buraco precisa ir até praticamente o fundo – sinta a assadeira, mas não “rasgue” 😀

Foccacia

Deixe crescer por mais ou menos 40 minutos. Pincele delicadamente uma fina camada de azeite e acrescente sal grosso e alecrim sobre toda a massa – não tenha medo, não vai ficar muito salgado! Outra opção é pincelar a massa com uma camada de molho de tomate e acrescentar queijo ralado.

Leve para assar por mais ou menos 15 minutos, ou até começar a dourar. Assim que sair do forno, pincele uma última camada de azeite (ou molho de tomate, se for o caso) e deixe esfriar. Sirva com uma cerveja geladíssima! 🙂

Enroladinho de Linguiça

1

Enroladinho de salsicha. Taí um salgadinho que nunca me cativou. Toda vez que eu comia, quando era criança, pensava “afff, com lingüiça ia ficar melhor, que treco seco” (sim, porque naquela época linguiça tinha trema). Dia desses, lendo os sites de receitas de sempre, vi uma receita de enroladinho de salsicha. Achei a receita meio estranha, porque pedia fermento biológico e não deixava crescer. Deixei quieto, mas não conseguia tirar a ideia da cabeça.

Decidi fazer, adaptando a questão do crescimento. E, já que ia fazer, era hora de testar a tese da minha infância. E não é que é muito melhor mesmo?

Você vai precisar de:

10 g de fermento biológico seco
2 colheres (sopa) de açúcar
1 ½ xícara de água
2 colheres (sopa) de óleo
600 g de farinha de trigo
1/2 colher (sopa) de sal
Mais ou menos 3 colheres de sopa de temperos diversos para a farinha – usei páprica, orégano, pimenta moída na hora, tomilho e ervas finas.
4 linguiças toscanas

Corte as linguiças ao meio e depois em quatro tiras – ou seja, cada linguiça irá render 8 tirinhas. Frite a linguiça e passe para um prato coberto com papel toalha. O ideal é que a linguiça esteja fria e sequinha na hora de montar o enroladinho.

Agora é fazer a massa, que segue o processo básico de fazer pão. Misture o fermento com o açúcar e a água e deixe espumar. Em uma tigela, meça a farinha de trigo, acrescente o sal e os temperos que desejar e misture bem. Quando o fermento estiver espumado, acrescente o óleo e a farinha de trigo temperada. Sove (ou bata na batedeira com o batedor em formato de gancho, né) até a massa desgrudar da tigela. Deixe crescer até dobrar de volume.

Abra a massa na palma de sua mão, coloque uma tira de linguiça e feche. Tá, você pode cortar a massa com um cortador, bla bla bla, mas quem é que faz isso? Coloque-os em uma assadeira untada, deixando espaço entre os salgadinhos, que vão crescer um pouco no forno. Leve para assar em forno pré-aquecido por mais ou menos 20 minutos.

SEJA SAGAZ: faça a receita dobrada e congele os enroladinhos já assados! Quando quiser, é só descongelar e botar no forno por uns cinco minutinhos para esquentar!