Arquivos de Tag: noz-moscada

Quiche Lorraine

English Version

Quiche Lorraine

Nessa ida a Brasília ganhei um presente maravilhoso da minha tia Paula: o livro do Gui Poulain, Cartas Amarelas! Além do autógrafo maravilhoso, o livro é lindo de tudo quanto é jeito. Claro que já estava agoniada querendo começar a fazer receitas dele – para começarmos as Tertúlias de Tortas, resolvi fazer a receita de Quiche Lorraine, porque é uma das minhas tortas favoritas!

Segui a receita quase à risca – mudei o jeito de abrir a massa, porque não queria sujar a bancada! Como esperado, ficou sensacional. O mais legal é que é uma delícia quente E em temperatura ambiente. Essa receita rendeu seis porções – almoço, jantar e almoço de novo! E ninguém reclamou de comer a mesma coisa três vezes seguidas… 😉

Para a massa

250 g de farinha de trigo
125 g de manteiga sem sal gelada, cortada em cubinhos
2 colheres (chá) de sal – da próxima vez, vou usar uma colher só, achei a massa um cadinho salgada
1 colher (chá) de açúcar
1 gema de ovo
50 mL de água

Para o recheio

300 g de bacon, cortado em cubinhos
1 cebola, cortada em cubinhos
3 ovos
250 g de creme de leite
sal, pimenta-do-reino e noz-moscada
150 g de queijo gruyère, ralado grosso – tenho certeza que dá pra usar a boa e velha muçarela aqui sem problemas

Quiche Lorraine

Comece fazendo a massa. Com um fuê, misture a farinha de trigo, sal e açúcar. Coloque a manteiga e, com a ponta dos dedos, amasse até formar uma farofinha úmida. Acrescente a gema e a água e amasse só até conseguir formar uma bola – não sove, para que a massa não fique dura! Envolva em um plástico-filme e leve para a geladeira por uns 20 minutos, para descansar.

Isso é o oposto do que você vai fazer, porque agora é hora de cortar o bacon em cubinhos! Frite em fogo baixo, com paciência, para que a gordura do bacon derreta bem. Quando o bacon tiver bem fritinho, retire um pouco da gordura que ficou na panela, acrescente a cebola picadinha e doure no restinho de gordura do bacon. Reserve o bacon e a cebola em um prato, tentando não beliscar muito até a hora de montar a torta.

Em uma tigelinha, bata os ovos com o creme de leite e tempere com sal, pimenta-do-reino e noz-moscada.

Tire a massa da geladeira. O jeito normal de abrir é polvilhando a bancada com farinha e usando o rolo. Pra reduzir a bagunça, eu cortei duas folhas de papel manteiga em um tamanho maior do que a minha forma (que tinha 23 cm), coloquei a massa entre as duas folhas e usei um rolo para abrir. Daí tirei o papel de cima, coloquei a forma sobre a massa, girei todo mundo e a massa ficou certinha na forma! (E, lógico, tirei a segunda folha de papel manteiga).

Montar a torta é muito fácil: coloque o refogadinho de cebola e bacon, cobrindo bem o fundo, despeje a mistura de ovos e creme de leite e cubra tudo muito bem com o gruyère ralado!

Leve ao forno preaquecido por uns 40 minutos, mais ou menos, ou até que tudo fique douradinho e firme! Você pode atacar assim que sair do forno (foi o que fizemos aqui) ou esperar esfriar e comer em temperatura ambiente (o que também fizemos aqui :D)

Patê de Cebola Roxa

English Version

No primeiro fim de semana de fevereiro, temos o Super Bowl. No último fim de semana de fevereiro, temos o carnaval – celebraremos na Unidos da Netflix. Todas essas coisas pedem um petisco, não pedem?

Para abrirmos as Tertúlias de Patê, adaptei levemente essa receita da Rita Lobo, porque não tinha cebola amarela em casa. 🙂 Já fiz com a cebola amarela também, mas pra falar a verdade com cebola roxa fica muuuuuuito mais gostoso! Agora só faço assim!

Você vai precisar de:

350 g de creme de ricota – eu usei sour cream, porque é o que tem aqui. Se não encontrar creme de ricota, pode bater a ricota normal com um pouco de creme de leite, vai dar certo.

2 cebolas roxas grandonas (ou 4 médias), fatiadas o mais fininho possível

4 colheres (sopa) de azeite

suco de 1 limão

sal, pimenta-do-reino e noz-moscada a gosto

Comece cortando as cebolas. Se tiver um mandolim, é hora de tirá-lo da gaveta! 😀 Eu (ainda) não tenho, então fui na faca bem afiada mesmo.

Em uma frigideira grande, esquente duas colheres de azeite em fogo baixo e coloque as cebolas. Agora é hora de caramelizar: mexa as cebolas de vez em quando, até elas mudarem bem de textura – elas ficarão bem macias e a parte branca ficará translúcida. Aqui, o processo levou uns 20 minutos. Como a Rita Lobo disse que “não adianta aumentar o fogo, a cebola vai queimar em vez de caramelizar”, eu obedeci!

Em uma tigela, misture o creme de ricota com as outras duas colheres de azeite, o suco de limão e os temperos. Reserve.

Quando a cebola estiver bem caramelizada, reserve um pouquinho para decorar e pique BEEEEM picadinho o resto. Adicione ao creme de ricota temperado, cubra e leve à geladeira até esfriar (eu acho mais gostoso frio). Sirva com torradinhas ou cenouras e pepinos cortados em rodelas.

É uma ótima opção para uma noite de jogos (aqui em casa, Cards Against Humanity), porque, além de ser uma delícia, você pode fazer no dia anterior!

Rolinhos de Canela e Nozes (Cinnamon Rolls)

Cinnamon Rolls

E finalmente chegamos à CENTÉSIMA (!) receita do Tertúlias! Com esse frio, nada melhor do que um rolinho de canela quentinho! Essa receita é ótima para o café da manhã do dia dos namorados – você pode fazer hoje, congelar e esquentar no domingo.

Há muito tempo, testei uma receita maravilhosa da Technicolor Kitchen: pãezinhos de geleia. Foi a minha primeira tentativa de fazer qualquer coisa tipo rocambole e deu super certo. Depois de ter comido uns quatro pãezinhos, Sky virou e perguntou: quando você vai fazer cinnamon rolls?

Fui atrás de receita, mas nada me agradava muito. Então, resolvi o óbvio: usar a massa do pãozinho de geleia, mas fazer um recheio de canela da minha cabeça. Por nada não, mas ficou fantástico!

Para a massa, você vai precisar de:

1 ¼ colheres (chá) de fermento biológico seco

2/3 xícara (160ml) de leite integral morno

55g de açúcar cristal

450g de farinha de trigo comum

½ colher (chá) de canela em pó

1 pitada de sal

2 ovos, levemente batidos com um garfo

2 colheres (chá) de extrato de baunilha

100g de manteiga sem sal, derretida e fria

 

Para o recheio, você vai precisar de:

120 g de manteiga

3 colheres (sopa) de mel

3 colheres (sopa) de açúcar mascavo

1 ½ colheres (sopa) de canela

½ colher (sopa) de noz-moscada

1 xícara de nozes picadas

 

Para a cobertura, que é bem opcional, você vai precisar de:

Mais ou menos 1 xícara de açúcar de confeiteiro

Suco de limão

 

Obviamente, vamos começar pela massa. Em uma tigela grande, misture o fermento, o leite e uma pitada do açúcar. Reserve até espumar. Adicione a farinha, o resto do açúcar, a canela, o sal, os ovos, a baunilha e a manteiga e misture com uma espátula de silicione até incorporar os ingredientes.

Agora é muque (ou batedeira com batedor em formato de gancho): sove bem a massa, até que ela fique lisa e elástica. Quando isto acontecer, forme uma bola, coloque em uma tigela grande – ou a tigela original, sabe como é. Cubra com filme plástico e deixe crescer em um lugar quentinho até dobrar de volume.

 

Cinnamon Rolls

Enquanto a massa cresce, prepare o recheio, que é bem fácil: basta derreter a manteiga e misturar o mel, açúcar, canela e noz-moscada. Pique as nozes e reserve.

Se você não tem uma bancada de mármore linda e grande, boa para abrir massas, faça como eu: cubra uma mesinha com plástico-filme, para facilitar abrir (e limpar depois).

Como ainda sobrou tempo, aproveite para untar a assadeira/pirex – a minha tem x cm e coube certinho.

Massa crescida, é hora de abrir. Polvilhe um pouco de farinha sobre a superfície e abra a massa com um rolo, formando um retângulo de mais ou menos 60 x 25 cm.

Espalhe o recheio sobre a massa, deixando uma bordinha de mais ou menos 1 cm sem recheio. Vai parecer que é pouco, mas espalhando bem você vai cobrir a massa direitinho. Cubra com as nozes.
Começando do lado mais longo, enrole a massa firmemente, como um rocambole. Parece tenso, mas não é – é só ir com calma. Ao terminar de enrolar, aprecie sua obra por 1 minuto, pensando “nossa, eu tenho a manha”. Corte em 12 pedaços mais ou menos iguais e coloque os pedaços (com o lado cortado para cima) na assadeira preparada.
Cubra com aquele pano de prato e deixe crescer novamente, agora por 40 minutos. Enquanto isso, preaqueça o forno, lave a louça, etc.
Cinnamon Rolls

Asse os pãezinhos por 25-30 minutos ou até que dourem e estejam assados por dentro. Deixe esfriar na forma por 10 minutos, e então desenforme com cuidado e transfira para a gradinha.
Se quiser, faça a cobertura. Coloque o açúcar de confeiteiro em uma tigelinha e acrescente suco de limão, uma colher por vez, mexendo bem até chegar no ponto da foto. Despeje sobre os rolinhos já mornos. Você também pode só polvilhar o açúcar de confeiteiro, fica bonito!
Como dá um trabalhinho, não vale a pena fazer metade da receita. Eu faço tudo e congelo de dois em dois (sem a cobertura). Daí é só descongelar! Se quiser quentinho (eu sempre quero), pulverize um pouquinho de água sobre os pãezinhos e leve ao forno por uns 10 minutos.

Quiche de Bacalhau

Quiche de Bacalhau

Aqui no Uruguai só encontramos bacalhau na Páscoa. E o pior, é quase impossível encontrar bacalhau bacana, a maioria é aquele fininho e chato de lidar! 😦 Mas obviamente isso não me impede de comprá-lo quando aparece – você disse bolinhos? Bacalhoada? Basicamente qualquer coisa que leve bacalhau?

Procurando algo diferente, encontrei esta receita no Receitas de Minuto. Ficou muito gostoso – um jeito bem mais leve de comer bacalhau!

 

Para uma quiche de 22 cm, você vai precisar de:

1 xícara de farinha de trigo

80 g de manteiga gelada

1 gema

1 pitada de sal

 

Para o recheio:

½ xícara de alho-poró ou cebola

Mais ou menos 10 azeitonas

200 g de bacalhau dessalgado e desfiado

1 xícara de creme de leite

2 ovos

pimenta-do-reino, noz-moscada e páprica

 

Comece fazendo a massa, que é praticamente a mesma da empada de queijo. Em uma tigela, coloque a farinha, o sal e a manteiga. Incorpore os ingredientes, esmagando os pedacinhos de manteiga com a ponta dos dedos até obter uma farofinha. Acrescente a gema e misture até obter uma massa. Se o clima estiver muito seco, você pode precisar colocar algumas colheres de água para dar o ponto.

 

Abra a massa sobre uma forma de 22 cm, pressionando bem no fundo e nas laterais. Fure toda a massa com um garfo, liberando bem qualquer instinto assassino reprimido, e leve para assar em forno preaquecido por 15 minutos. Retire e reserve.

Quiche de Bacalhau

O recheio é bem prático: refogue o alho-poró e as azeitonas até que murchem. Junte o bacalhau desfiado e tempere com pimenta-do-reino, noz-moscada e páprica. Dê uma provadinha para ver se precisa de sal.

Retire do fogo, misture o creme de leite e deixe esfriar antes de acrescentar os ovos – você quer comer quiche, não ovos mexidos! 😀

Depois de misturar os ovos, despeje o recheio na massa e leve para assar por mais ou menos 40 minutos, ou até dourar e firmar. Espere uns cinco minutinhos antes de cortar e sirva com salada!

Bolinhos de Frango Super Cremosos

Bolinhos de Frango Super Cremosos

Somos apaixonados por futebol americano. Obviamente, todo Super Bowl é um evento aqui em casa. Para acompanhar o Super Bowl 50 (FINALMENTE, Broncos!!!), resolvi testar uma receita do Chef John que parecia excelente.

Já aviso: não foi fácil modelar. O truque é deixar a massa ficar BEM gelada antes de tentar fazer bolinhas. Perdi um tempinho me estressando até pensar nisso… O melhor é fazer esta receita de um dia pro outro. Por outro lado, os bolinhos quentinhos, quase escorrendo o recheio de tão cremosas, compensaram qualquer estresse! 🙂

Outra coisa legal desta receita é que você pode reaproveitar sobras de frango – e pode congelar as bolinhas que não fritar no dia!

 

Você vai precisar de:

½ xícara de manteiga

½ cebola, picada beeeem miudinha

½ xícara de farinha de trigo

2 ½ xícaras de leite integral gelado

pimenta-do-reino, noz-moscada, pimenta-caiena e sal – pra variar só um pouco, eu coloquei páprica.

2 xícaras bem cheias de frango cozido e picado beeeeeem miudinho – usei sobras do churrasco

½ xícara de presunto picado beeeeem miudinho

2 colheres (sopa) de salsinha picada

 

Farinha de trigo, ovos e farinha de rosca para empanar.

 

Comece preparando o molho branco – que vai ser bem mais grosso do que o molho branco da lasanha 😀

Em uma panela que caiba todos os ingredientes, derreta a manteiga e doure a cebola. Acrescente a farinha de trigo, misture muito bem e cozinhe por uns três minutos, para tirar aquele gostinho tosco de farinha crua. Enquanto cozinha, tempere com a pimenta-do-reino, noz-moscada, pimenta-caiena e sal.

Passados esses três minutos, desligue o fogo e despeje, DE UMA VEZ SÓ, o leite GELADO. Misture bem com o batedor de arame e ligue o fogo em temperatura média-alta.

“Mas não vai empelotar?”. Não! Como o Chef John sempre diz: “hot roux, cold milk, no lumps”. A primeira vez que fiz assim também tive medinho, mas dá super certo e dá bem menos trabalho do que o método tradicional.

Bolinhos de Frango Super Cremosos

Cozinhe bem, misturando sempre, até ferver. Quando ferver, continue cozinhando por uns três minutos e desligue o fogo. Você vai notar que está bem mais grosso do que o molho branco tradicional – é isso mesmo!

Enquanto o molho dá uma esfriada, pique finamente a salsinha, o frango cozido e o presunto. Você pode usar o processador, se preferir. Eu morro de preguiça de lavar o processador e acho que não fica com uma textura muito legal, mas tem quem goste!

Misture a salsinha, o frango cozido e o presunto no molho e misture bem. Cubra com um filme plástico e leve para gelar por pelo menos 4 horas – o ideal, descobri depois, é de um dia pro outro.

Com a massa gelada, forme bolinhas e empane DUAS vezes: passe na farinha de trigo, no ovo, na farinha de rosca, e de novo no ovo e na farinha de rosca. A ideia é formar uma casquinha um pouco mais grossa, pra evitar que exploda quando fritar!

Frite em óleo quente por uns quatro minutos, ou até dourar e ficar lindão!

Se não for usar todas as bolinhas, leve-as ao congelador até que fiquem firmes. Quando estiverem totalmente congeladas, transfira para um saquinho ziploc e congele por até três meses.

Muffins de Canela tipo Donuts

Muffins de Canela tipo Donuts

Um dia desses, entrei no pinterest pra ver uma receita que tinha pinado, pensando no almoço. Mas, logo na página inicial, bem na frente, sabe, apareceram esses muffins de canela, recheados com geleia e cobertos com açúcar e canela. Foi mais forte do que eu: tive que abrir a receita, ver como era fácil, levantar da cadeira e fazer.

Ainda bem que a receita rende só nove muffins.

 

Você vai precisar de

1 ¾ xícaras de farinha de trigo

1 ½ colheres (chá) de fermento para bolo

½ colher (chá) de sal

½ colher (chá) de noz-moscada ralada – eu ralei UM TANTO na hora e essa foi a medida.

¼ de colher (chá) de canela

¾ de xícara de açúcar

1/3 de xícara de óleo

1 ovo

¾ de xícara de leite

geleia – usei uma de morango. A minha era meio líquida, acho que ficaria mais fácil com uma geleia mais consistente

 

Para a cobertura, você vai precisar de

¼ de xícara de manteiga

1/3 de xícara de açúcar

1 colher (chá) de canela

Muffins de Canela tipo Donuts

Prepare uma forma de cupcake (ou forminhas de empada): você pode untar bem ou só colocar as forminhas de papel mesmo!

Em uma tigela grande, misture bem com o batedor de arame a farinha, o fermento, o sal, a canela e a noz-moscada. Em uma tigelinha, misture o açúcar, o óleo, o ovo e o leite.

Agora é só pegar uma espátula de silicione e misturar os secos com os líquidos, mas atenção: muffin não é bolo. A massa deve ser misturada só até você não ver mais pedacinhos de farinha. Ela fica meio empelotadinha mesmo, não se estresse. Aliás, vai parecer mais massa de pão do que de bolo!

Encha metade das forminhas e coloque uma colher de chá de geleia bem no centro. Agora vem a parte mais chatinha, que é cobrir a geleia com mais massa. Tente o máximo possível encher as forminhas só até ¾ da capacidade: eu enchi mais do que isso e alguns meio que transbordaram, não ficaram tão bonitos.

Leve para assar em forno preaquecido por mais ou menos 20 minutos. Faça o teste do palito, mas seja esperto e espete nos ladinhos, pra não vir geleia 😀

Enquanto assa, derreta a manteiga da cobertura e misture o açúcar e canela. Deixe tudo prontinho, porque precisa ser jogo rápido. Aproveite pra passar um café. Sério.

Muffins de Canela tipo Donuts

Assim que tirar do forno, remova-os da forma, mergulhe a parte de cima dos muffins na manteiga derretida e depois na mistura de açúcar e canela, tentando cobrir bem.

Em tese, você pode servir morno ou em temperatura ambiente. Mas o certo, certo mesmo, é comer eles morninhos com o café que você acabou de passar! 🙂

 

Biscoitos de Maple e Noz-Moscada

Biscoitos de Maple e Noz Moscada

Quando vi esta receita no Smitten Kitchen tive um mini siricotico e pinei na hora. Sabia que ia fazer pro Natal, mas ainda era outubro! Originalmente, estes seriam biscoitos tradicionais, abertos e cortados com cortadores bonitinhos – vejam as fotos lindas no blog dela! Mas eu realmente não sei como alguém tem tempo/saco para fazer isso em dezembro!

Sei que xarope de bordo não é fácil de achar, nem barato – o meu vem na mala do Sky quando ele visita a família, ou na mala da família dele quando vêm pra cá. Usamos com muuuuuita parcimônia, porque é muito raro! E toda vez que uma receita pede este ingrediente, eu penso 100 vezes antes de fazer.

Então deixa eu dizer uma coisa: VALE. A. PENA. Vale a pena pagar uma fortuninha neste ingrediente, vale a pena usar o restinho dele que você estava economizando, vale. Eles são sensacionais – talvez os biscoitinhos mais gostosos desta série! O sabor do xarope é claramente perceptível no biscoito e … fica na boca, sabe? Um espetáculo.

1 xícara (226 g) de manteiga em temperatura ambiente

1 xícara (200 g) de açúcar

½ xícara (118 ml) de xarope de bordo (maple syrup) puro – como sempre, deve ser possível substituir por melaço de cana, mas o sabor é diferente. Não compre aqueles que são 10% maple syrup (90% xarope de milho), não vale a pena, porque o gosto não vai ser perceptível no biscoito pronto.

1 gema

3 xícaras (375 g) de farinha de trigo

½ colher (chá) de noz-moscada ralada na hora (ou ¼ de colher de chá de noz moscada já moída)

1 colher (chá) de sal

a batedeira, bata o açúcar e a manteiga até obter um creme fofo e claro. Com ela ligada, adicione a gema e despeje o xarope de bordo lentamente. Desligue a batedeira.

Ao ler a receita original, amei o fato de que ela não manda peneirar os ingredientes secos, mas segue o truque (que aprendi com o Chef John do Foodwishes.com) de misturar tudo muito bem com um batedor de arame! Muito mais fácil!

Em uma tigela, misture a farinha, a noz-moscada e o sal. Despeje esta mistura sobre a massa da batedeira e, com uma espátula, amasse até que esteja homogêneo e você não veja a farinha.

Vocês vão reparar que sim, esta parte é igual em todas as receitas do tipo fatie-e-asse!  Divida a massa em duas partes. Despeje uma metade sobre uma folha de papel manteiga e faça um rolinho bem ajeitadinho. Eu não tinha nenhum rolo de papel toalha vazio em casa, mas se você tiver, melhor: coloque o rolinho de massa dentro do rolo de papel toalha vazio, para que ele mantenha a forma cilíndrica, e leve ao freezer por duas horas. Se não for assá-los todos no mesmo dia, é legal enrolar os rolinhos em papel alumínio ou plástico filme, para formar uma segunda camada de proteção. Em tese, eles duram um mês no freezer.

Tire o rolinho do freezer. Se você for uma pessoa mais organizada do que eu, deixe na geladeira por algumas horas, deve ficar mais fácil de fatiar. Digo “deve” porque nunca fiz isso! 😀 Com uma faca bem afiada, corte rodelas de mais ou menos 0,5 cm e coloque em uma assadeira forrada com silpat ou papel manteiga.

Biscoitos de Maple e Noz Moscada

Asse, em forno preaquecido, por 8-10 minutos, ou até dourar levemente nas bordas. Transfira para uma gradinha, para que eles esfriem completamente. Eles duram alguns dias em um pote bem fechado. Ou 20 minutos na minha casa. O que acontecer primeiro. 😀

Biscoitos de Açúcar Mascavo e Coco

Biscoitos de Açúcar Mascavo e Coco

Está com vontade de algo doce, mas não muito? Com gosto de casa de vó? Que combina super bem com aquele café passado na hora? Então… é esse. Só precisa lembrar de tirar a manteiga da geladeira por uma horinha, pra amolecer 😀

Esta receita foi levemente adaptada da Technicolor Kitchen, porque eu não tinha coco em flocos adoçados aqui – aliás, nunca encontrei no Uruguai! #pobrezas

Você vai precisar de:
2 xícaras de farinha de trigo
½ colher (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de bicarbonato de sódio
¼ colher (chá) de sal
¼ colher (chá) de noz-moscada (da próxima vez vou colocar mais, achei o sabor muuuuito suave. Sabe o que também seria bom? CANELA ♥ )
½ xícara de manteiga em temperatura ambiente
½ xícara de açúcar mascavo
½ xícara de açúcar cristal
1 ovo
2 colheres (chá) de extrato de baunilha
1 colher (sopa) de leite
1 ½ xícaras de coco ralado

Misture a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e a noz-moscada. Reserve.

Pegue sua batedeira (ou seu muque!) e bata a manteiga e os açúcares até obter um creme claro – é nessa hora que a manteiga em temperatura ambiente faz todo o sentido, imagina bater manteiga gelada no muque? 😀 😀

Acrescente o ovo, a baunilha e o leite e bata novamente. Adicione os ingredientes secos reservados e bata rapidamente, somente para incorporar a farinha.

Finalmente, com uma espátula, acrescente o coco. Novamente, não bata muito, é só para incorporar mesmo.

Agora o certo seria usar uma quantidade X de massa por biscoito, para fazer coisinhas uniformes e lindas como a da foto do site original.

OU você pode fazer umas bolinhas do tamanho daqueles brigadeiros que vendem na porta da faculdade (aqueles grandões, bons mesmo) e achatá-las com um garfo para dar o toque autêntico de biscoito de vó.

Leve para assar em forno preaquecido por mais ou menos 13 minutos, ou até que eles estejam douradinhos e ligeiramente firmes. TENTE deixa-los esfriar antes de comer, embora eu saiba que isso é algo humanamente impossível 😀

[Guest Post] Nhoque de Mandioca

[Guest Post] Nhoque

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook]

Já vou logo dizendo que esse prato foi baseado numa receita do site da Ana Maria Braga. Me julguem! Lá está escrito “gnocchi”, mas me recuso.

Tempo de preparo: chame algum amigo (né, Sabrina?) e bote uma música, pq demora um pouco.

Ingredientes:
• 1 kg de mandioca cozida (com sal)
• 1 ovo
• 1 colher (café) de canela
• ½ colher (café) de noz moscada
• 1 colher (chá) açúcar
• 1 colher (sopa) de sal
• 100 grs de queijo parmesão ralado
• 100 grs de manteiga
• 1 xícara de farinha de trigo (125 grs)
• Queijo parmesão para polvilhar (a gosto)

A parte enjoada dessa receita é amassar a mandioca cozida. Você pode usar aqueles espremedores de batata aliados a uma força sobre-humana. Como eu não tenho nenhum dos dois, joguei as mandiocas no processador e boa. A mandioca processada vai formar uma bolota super grudenta e vai dar vontade de comer um pedacinho com sal, mas se segure (ou não). Reserve.

Numa tijela separada, bata bem o ovo e, em seguida, misture a noz moscada, a canela (sim, use!!!), o açúcar, o sal, a manteiga e os 100 grs de parmesão. Vai ficar mega esquisito. Você joga essa mistura por cima da mandioca e vai sovando. Quando estiver homogêneo, adicione a farinha de trigo e continue sovando até que a massa fique lisa. Se estiver muito grudento, jogue um pouco mais de farinha, mas cuidado, pois se jogar demais vai dar aquele gostão. Pronto, sua mão está amanteigada e a cozinha já está começando a se sujar, mas garanto que não haverá arrependimentos.

Sabe o(a) amigo(a) que você tinha chamado pra te ajudar? Agora é a hora. Jogue um pouco de farinha numa superfície lisa (de preferência de pedra, mas aqui foi na mesa de madeira mesmo). Pegue pedaços da massa e vá fazendo rolinhos do tamanho que você quiser que o nhoque fique. Recapitule como sua vó fazia. Reconheça o esforço dela em te agradar. Prossiga com o rolinho. Corte o rolinho no tamanho padrão de nhoque da ABNT. Vá jogando-os num pote qualquer e não se preocupe, eles desgrudam na hora de cozinhar. Acabou tudo? Agora pegue um panelão de água fervendo e comece a jogar os nhoques lá dentro. Aqui é bem rápido: logo eles sobem, o que significa que está na hora de retirá-los. Jogue os nhoques cozidos IMEDIATAMENTE em água fria, para parar o cozimento e evitar que eles fiquem moles. Acabando esse processo, finalmente a recompensa. Sabe aquele molho que ensinei no domingo e que você já fez e já congelou? Pois então, aqueça esse molho e jogue por cima do nhoque. Polvilhe com queijo. Devore. Repita. Culpe-se. Repita. Cochile. Culpe-se novamente. Ah! Já disse que é pra, realmente, usar canela? Fica super diferente e muito gostoso!