Arquivos de Tag: freezer

Muffins de Panetone

English version

Muffins de Panetone

Uma das coisas que aprendi com a minha mãe foi o amor pelo panetone – a melhor coisa do Natal! Como hoje é aniversário dela, nada melhor do que postar essa receita – que é beeeem mais fácil do que fazer o panetone tradicional!

A primeira vez que fiz esses muffins foi no Natal do ano passado. Eles foram um sucesso e resolvi repetir a dose – como eles congelam super bem, são uma ótima pedida para fazer agora, que as coisas ainda não estão enlouquecidas e dar de presente no Natal! 🙂

Não se assuste com a quantidade de ingredientes – é muita coisa mesmo, mas não é difícil! Eu substituí o Amaretto e o Cointreau por essência de amêndoas e essência de laranja. Você também pode substituir o damasco, as cranberries (nunca na vida vou escrever “oxicoco”!) e as passas pela mesma quantidade de frutas cristalizadas – vai do gosto!

Para 12 muffins bem generosos, você vai precisar de:

1/3 xícara de passas claras
1/3 xícara de passas escuras
1/3 de damascos secos em cubinhos pequenos – pique, depois meça
1/3 xícara de cranberries secas
¼ xícara (60 mL) de suco de laranja
raspas da casca de 1 limão siciliano
raspas da casca de 1 laranja
1/3 xícara de cerejas cristalizadas – a receita original pedia raspas de laranja, mas eu não encontrei aqui, então inventei esse lance da cereja! 😀
½ xícara (100g) de açúcar cristal
¼ xícara (56g) de manteiga sem sal, amolecida
2 colheres (sopa) de óleo de canola
2 ovos grandes
1 colher (chá) de extrato de baunilha
1 colher (chá) de Cointreau – eu usei extrato de laranja
1 colher (chá) de Amaretto – eu usei extrato de amêandoas
2 ¼ xícaras (315g) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
¼ colher (chá) de sal
2/3 xícara (160ml) de leite integral
1 ½ colheres (sopa) de açúcar demerara, para polvilhar sobre os muffins – eu usei açúcar mascavo claro, porque é o que tem aqui

Muffins de Panetone

Em uma panelinha, coloque os damascos picadinhos, as passas claras e escuras, as cranberries e o suco de laranja. Misture bem e leve ao fogo alto até que o suco comece a ferver. Desligue o fogo e deixe esfriar. Adicione as cerejas e reserve.

Pré-aqueça seu forno em temperatura média. Coloque forminhas de papel em uma forma de cupcake comum, de 12 cavidades e reserve.

Na tigela da batedeira, coloque as raspas de laranja e limão e o açúcar. Com os dedos, esfregue o açúcar nas raspinhas, pra extrair mais aroma das raspinhas – esse passo é opcional, mas é tão divertido! Adicione a manteiga e o óleo e bata até obter um creme claro. Você vai precisar raspar as laterais da tigela com uma espátula de silicone.

Junte os ovos, um a um batendo bem a cada adição. Eu sempre faço isso, mas confesso que não sei se teria problema colocar todos os ovos de uma vez só! Hahahahahah!

Acrescente a baunilha, o Cointreau (ou essência de laranja) e o Amaretto (ou essência de amêndoas). Misture bem.

Muffins de Panetone

Em uma tigela, misture a farinha de trigo, o fermento e o sal usando um batedor de arame. Adicione 1/4 da mistura de farinha à massa, bata, adicione 1/3 do leite e bata. Repita esse procedimento até terminar os dois – a última coisa que você vai acrescentar é a mistura de farinha de trigo.

Adicione as frutas reservadas e qualquer restinho de suco de laranja que tenha sobrado na panelinha. Misture com a espátula de silicone.

Divida a massa entre as forminhas de cupcake. Salpique o açúcar mascavo sobre a massa e leve para assar por uns 20 minutos, ou até que passem o teste do palito.

Deixe esfriar sobre uma gradinha. Quando estiverem esfriado completamente, coloque em uma caixinha ou saquinho bonitinho e presenteie! 🙂

Anúncios

Anéis de Pimentão Recheados

English version

Anéis de Pimentão Recheados

Nostalgia de comida. Não é uma coisa que eu tenha com muita frequência, mas de vez em quando sinto uma saudade de algumas receitas que comi quando criança e nunca mais ninguém preparou. Sabe, como pavê de biscoito champagne.

Dessa vez, o sentimento foi bem estranho: me deu saudade de uma receita que minha mãe deve ter feito uma vez só na vida E QUE EU NEM GOSTEI. Ok, eu sei que isso pode ser um sinal de loucura. Mas fiquei pensando em pimentões recheados por uns dias e resolvi fazer algo a respeito.

A ideia para essa versão veio, pra variar, enquanto eu procrastinava algum trabalho olhando receitas no Pinterest. Achei que ia fazer exatamente igual a essa receita, mas acabei fazendo bem diferente 😀

Para duas pessoas com fome, você vai precisar de

2 pimentões grandes – da cor que você preferir/a que estiver em promoção no mercado
400 g de carne moída
1 ovo
¼ de xícara de parmesão ralado fininho
1 cebola cortada em cubinhos
Alho a gosto – usei vários!
½ maço de salsinha picadinha
Sal, pimenta-do-reino, páprica picante, pimenta calabresa e mostarda em pó
400 mL de molho de tomate – eu usei passata mesmo #preguiças
Mais ou menos 300 g de muçarela

Anéis de Pimentão Recheados

Corte os pimentões em fatias grossas, de uns 2 dedos de altura – eu consegui três fatias por pimentão. Reserve. Corte as pontinhas que sobraram do pimentão em cubinhos.

Em uma tigela, misture a carne moída com o ovo e o parmesão ralado fininho. Acrescente a cebola, as aparas do pimentão, o alho e a salsinha. Tempere bem com sal e pimenta-do-reino. Eu, pra variar, coloquei páprica e outros temperos (pimenta calabresa e mostarda em pó). Reserve.

Recheie os anéis de pimentão com a carne moída. Seja delicado: se você SOCAR a carne moída, o pimentão vai quebrar! 😀

Em uma frigideira/chapa bem quente, sele os anéis recheados por 3 minutinhos de cada lado.

Coloque o molho de tomate em um refratário e vá colocando os anéis assim que eles estiverem selados. Cubra com a muçarela – eu usei a fatiada, porque era o que tinha em casa, mas acho que derreteria melhor se tivesse usado a muçarela ralada grossa.

Leve para assar em forno pré-aquecido por mais ou menos 30 minutos e sirva!

FREEZER: Congele pronto para assar: cubra um refratário (eu usei aquelas quentinhas de alumínio mesmo!) com o molho de tomate, coloque os anéis já selados, cubra e congele. Quando for usar, descongele, cubra com o queijo ralado e asse normalmente.

Barrinhas Lamington

English version

Lamington Bars
Sabe, às vezes a gente só precisa de uma receita fácil, mas com cara de trabalhosa, complexa, sofisticada. Ou com um nome chique.

Essa receita, da Technicolor Kitchen, atendeu um antigo desejo meu: sempre quis fazer Lamingtons, mas morria de preguiça.

Você vai precisar de:

125g de manteiga sem sal, amolecida – sério, não é tirar da geladeira e esperar 5 minutos. Ok, se você morar em um lugar muito quente, talvez seja…. hahahaha! Pense em “manteiga macia, tipo uma pomada”. Agora tente não pensar em pomada de manteiga! 😀
¾ xícara de açúcar cristal – dá pra fazer com o normal? Provavelmente.
1 colher (chá) de extrato de baunilha – usei a famosa medida “tampinha”.
2 ovos
1 ¼ xícaras de farinha de trigo
1 ¼ colheres (chá) de fermento em pó
1 pitada de sal
½ xícara de leite integral
1 xícara de coco em flocos adoçados – eu usei a famosa medida “um tanto de coco”. Como aqui não tem coco em flocos adoçados, usei coco ralado comum mesmo

Para a calda, você vai precisar de:

¾ xícara de açúcar de confeiteiro, peneirado – dá pra fazer com o normal? Provavelmente NÃO.
2 colheres (sopa) de cacau em pó, sem adição de açúcar, peneirado
1/3 xícara de água fervente
1 ½ colheres (sopa) de manteiga sem sal, derretida

Como nas receitas de brownie, comece preparando a forma (usei uma de 20×30 cm): forre-a com papel alumínio e unte o papel CUIDADOSAMENTE, para não rasgar. Eu não tinha papel alumínio (absurdo!), então usei papel manteiga – bem untado também, o nome é papel manteiga só porque ele serve para GUARDAR o ingrediente! #truestory #euacho
Bata a manteiga, o açúcar e a baunilha na batedeira até obter um creme claro e fofo. Isso leva uns 5 minutos, mais ou menos.  Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição – use a espátula de silicone para raspar as laterais da tigela, pra que tudo misture bem.

Desligue a batedeira. Com a sua espátula, misture a farinha, fermento e sal até incorporar. Junte o leite e misture mais um pouco. Você vai ter uma massa razoavelmente grossa. Espalhe a massa na assadeira e alise a superfície – com a mesma espátula.

Asse por cerca de 30 minutos, ou até que um palito espetado no meio saia limpo – o bolo não cresce/doura muito, mas é assim mesmo. Deixe esfriar COMPLETAMENTE na forma, sobre uma gradinha.

Quando o bolo estiver frio, corte em barrinhas – cortar antes de jogar a calda vai ajudar a absorver e ficar bonitão dos lados!

Faça a calda – misture todos os ingredientes em uma tigelinha e pronto. Com uma colher e um cadinho de paciência (mas não muita), espalhe a calda sobre as barrinhas. Polvilhe o coco ralado e sirva!

O legal dessas barrinhas é que elas congelam PERFEITAMENTE. Enrolei-as em plástico filme, de duas em duas, e quando quero é só tirar do freezer, aguardar alguns minutinhos e mandar ver!

Caldo de Carne

English version

Caldo de Carne

Logo no comecinho da página do Facebook (o Tertúlias nem era blog ainda!), postei como fazer caldo de legumes caseiro. Uma receita bem fácil, mas que faz toda a diferença na hora de fazer uma sopa, um risoto, etc… Muito melhor que o caldo em cubinhos!

Embora eu ainda faça o caldo de legumes, a verdade é que ultimamente tenho usado o caldo de carne caseiro para a maioria das minhas sopas. Quando comecei a preparar as fotos para as Tertúlias de Sopa, Sky me perguntou se eu já tinha vertido a receita do caldo para postar no Culinary Tertulias (a versão em inglês do blog) – e ficou chocado ao saber que eu não tinha nem postado! “Como assim, o caldo de carne faz toda a diferença nas suas sopas, etc”. Então eu resolvi finalmente fotografar!

Existem várias formas de fazer caldo de carne. Eu costumo seguir uma combinação da receita do Chef John com a da Pat Feldman. Não é difícil, mas é demorado: o caldo precisa cozinhar por pelo menos 12 horas! Em geral, eu deixo cozinhando por 24 horas. Depois, eu reduzo BASTANTE, para congelar em porções individuais.

Você vai precisar de:

Mais ou menos 2,5 kg de ossos – no açougue, eles vendem ossos para cachorro, com até que bastante carne. A Pat Feldman e o Chef John listaram de forma detalhada que ossos são melhores, mas eu simplesmente peço ossos no açougue e pronto.

Folhas de salsão

1 cebola grande, cortada em quatro

2 cenouras, descascadas e cortadas em pedaços grandes – como não tinha cenoura no dia das fotos, não usei 😀

Utensílios:

Assadeira
Duas panelas grandes, de fundo grosso, com tampa – as minhas têm capacidade para seis litros, mas se você tiver uma panela maior, pode aumentar a receita e fazer mais caldo!
Peneira
Potes para congelar o caldo – eu prefiro usar potes de vidro, porque eles não pegam gosto e são mais fáceis de limpar, mas é claro que você pode usar o tapaué de sempre!

Caldo de Carne

O caldo começa com um passo que geralmente marca o fim de uma receita 😀

Coloque todos os ossos em uma assadeira e asse-os em forno pré-aquecido por uns 60 minutos, girando-os de vez em quando para que dourem por igual. Cuidado para não queimar!

Quando os ossos estiverem dourados, transfira-os para uma panela grande de fundo grosso – se tiver qualquer restinho grudado na assadeira, jogue-o na panela também! Cubra-os com água FRIA, coloque o salsão, a cebola e a cenoura, tampe a panela e leve ao fogo alto até que a água comece a ferver. Eu prefiro colocar os vegetais por cima, para facilitar a retirada!

Quando a água começar a ferver, remova a camada de espuma com a escumadeira e reduza o fogo para a menor temperatura possível – eu costumo colocar na menor boca do fogão, na temperatura mínima. Como o caldo vai cozinhar a noite inteira, o ideal é que ele não ferva muito rapidamente, para não secar: você quer ver aquelas bolinhas beeem discretas, sabe?

Umas duas ou três horas depois que o caldo pegou fervura, eu costumo retirar os vegetais. O Chef John não faz isso, mas como eu uso as folhas do salsão (e não o talo, que uso para outras coisas!), eu acho melhor retirar.

Durante o cozimento, os ossos devem estar sempre cobertos com água. Se você estiver usando uma panela de fundo grosso, tampada e em fogo mínimo, você não deve ter problemas com isso – mas, se tiver, basta acrescentar mais água!

Quando os ossos estiverem limpos (sem nenhuma carne neles e, geralmente, com buraquinhos, de onde saiu o tutano!), o que costuma levar entre 12-15 horas de cozimento, você já pode retirá-los da panela. Se quiser deixar por mais tempo, não tem problema nenhum – e o sabor ficará mais intenso! Eu geralmente deixo por 24 horas.

Retire os ossos da panela – eu sempre deixo eles escorrendo na peneira, para aproveitar o máximo de caldo possível. Depois de remover os ossos, peneire o caldo, passando para uma segunda panela o caldo puro, sem nenhum resíduo.

Leve essa nova panela ao fogo alto, para reduzir o caldo – “reduzir” parece chique, né, mas é só deixar a água evaporar mesmo. Em geral, o processo rende uns 3,5 litros de caldo, que eu reduzo para 1,5 litros – quanto mais concentrado, menos espaço vai ocupar no freezer! 😀

Deixe o caldo esfriar na panela. Quando estiver frio, transfira para os potes. Eu costumo dividir em 5 potes com 300 mL cada, o que me dá a base para cinco sopas grandes, já que o caldo é bem concentrado!

Quando esfriar bem, você vai notar uma capa de gordura sobre a superfície do caldo. Eu costumo congelar com a gordura, que retiro apenas na hora de cozinhar – é bem mais fácil!

Você pode congelar o caldo por até seis meses. Para fazer sopas, eu simplesmente descongelo um pouco, removo a gordura e jogo na panela, completando com água. Para risotos, você precisa diluir o caldo antes, já que o ele deve estar quente. Um potinho de 300 mL rende cerca de 2 litros de caldo!

Pãezinhos de batata doce

English version

Pãezinhos de batata doce

Antes de decidir qual seria o último pãozinho da série, estava invocada. Sabe quando você olha várias receitas, mas nada diz “me faça”? Fiquei assim um tempinho… Até que resolvi procurar receitas de pães veganos. Encontrei esta receita, percebi que tinha uma batata doce na geladeira que não tinha ido parar na última sopa que fiz, então era óbvio!

Esses pãezinhos são os mais fáceis de sovar de toda a série. Eu quase sempre uso a batedeira planetária, mas dessa vez fiquei pensando “aff, devia ter feito na mão e evitado sujar a louça” 😀 Quando eles saíram do forno, provei um e adorei. De tarde, comi com queijo e fiquei imaginando como seria gostoso como pão de hambúrguer! Como sempre, congelei uma parte. Ontem descongelamos e fizemos mini-hamburguinhos com esses pães, ficaram sensacionais!

Você vai precisar de:

Para a esponja:
2 1/4 colheres (chá) de fermento biológico seco
1/2 xícara de água morna – lembre-se sempre de testar a temperatura: se você aguentar ficar com seu dedo na água por 10 segundos, tá bom!
1/2 xícara de farinha de trigo

Para a massa:
1 xícara de batata doce cozida e amassada – eu usei a batata doce laranja
2 colheres (sopa) de mel – a receita pedia xarope de bordo, mas, né, maple syrup é caro e difícil de achar – o que eu tenho é de uso exclusivo para panquecas (e esse biscoito aqui) 😀
1 1/2 colher (chá) de sal
4 1/2 colheres (sopa) de óleo
1 colher (chá) de fermento químico – é, eu também achei estranho quando li uma receita de pão com os dois fermentos, mas não é que deu certo?
2 1/2 xícara de farinha de trigo – se o dia estiver muito úmido, você talvez precise usar um pouco mais de farinha para dar o ponto. Eu não precisei!

Pãezinhos de batata doce

Comece fazendo o purêzinho de batata doce. Eu descasquei e cortei uma batata doce média em cubinhos e fervi em uma panelinha com um pouco de água até que ela ficasse macia. Daí foi só escorrer, amassar bem com o garfo e esperar esfriar.
Enquanto a batata doce cozinha, faça a esponja. Misture todos os ingredientes da esponja na tigela da batedeira planetária (ou na tigelona grande que você vai usar para sovar), cubra com um pano de prato e deixe descansar por uns 20 minutos, até que comece a borbulhar.

À esponja, junte todos os ingredientes da massa. Na batedeira com o batedor em formato de gancho (ou no muque), sove por uns 5-7 minutos, até formar uma massa que não grude nos dedos. Se estiver fazendo na batedeira, você vai notar que as laterais da tigela ficam quase limpinhas – mas não adianta, você ainda vai ter que lavar a louça! 🙂

Agora o método é o mesmo de todos os pãezinhos desta série: Coloque a massa na tigela e cubra com plástico-filme. Deixe crescer em um lugar quentinho por mais ou menos uma hora, ou até que dobre de tamanho.

Quando a massa tiver dobrado de volume, dê um soquinho para desinflar e transfira-a para uma bancada enfarinhada.
Eu dividi a massa em 24 pedaços, mas você também pode dividir em 8 e fazer pães de hambúrguer, acho que ficariam ótimos! Modele os pãezinhos em bolinhas e coloque-os sobre uma assadeira de 25 x 35 cm, untada ou coberta com silpat. Lembre-se que massa de pão não é brigadeiro – se você tentar enrolar como se fosse um brigadeiro, não vai ficar tão bonitinho. Esse vídeo (em inglês, mas não faz diferença) mostra a técnica que eu uso – parece demorado, mas com o tempo você pega a manha e faz rapidinho! 😀

Cubra os pães levemente com plástico-filme ou um pano de prato (não use aqueles felpudos!) e deixe crescer de novo, até que quase dobrem de volume.
Agora é só assar em forno pré-aquecido por cerca de 20-25 minutos (se tiver dividido a massa em 8 partes, aumente o tempo de forno!), ou até que dourem e você ouça um som de oco quando der batidinhas na superfície.
Deixe esfriar em uma gradinha e sirva! 😀

FREEZER: Como todos os pães desta série, estes congelam lindamente. Basta colocar os pãezinhos frios em um saquinho ziploc!

Pãezinhos de Mel

English version

Pãezinhos de Mel

Quando eu morava em Brasília, eu e meus amigos do trabalho de vez em quando chutávamos o balde e almoçávamos no Texas Roadhouse Grill, que tinha um pãozinho de couvert maravilhoso. Eu sempre ameaçava ir lá só para comer o pãozinho e tomar chopp, sem pedir almoço mesmo! Infelizmente, nunca fiz isso. Mas também nunca esqueci do pãozinho.

Continuando as Tertúlias de Pãozinho, resolvi fazer uma receita que tinha pinado despretensiosamente no Pinterest. Não parecia nada demais: um pãozinho bem fofinho, pronto. Fácil e simples. Quando saiu do forno, pincelei a manteiga de mel, peguei um pãozinho e dei outro pro Sky. Mordemos e falamos quase junto “é o pãozinho do Roadhouse!”. 😀

Você vai precisar de:

240 mL (1 xícara) de leite integral, morno
2 1/4 colheres (chá) de fermento biológico seco
1/2 colher (chá) de açúcar
80 g (1/4 xícara) de mel
1 ovo + 1 gema
60 g (1/4 xícara) de manteiga sem sal, derretida e fria
1/2 colher (chá) de sal
450 g (3 1/2 xícaras) de farinha para pães – Eu usei metade farinha para pães, metade farinha comum. Tive que adicionar ¼ de xícara de farinha para dar o ponto, porque o clima estava bem úmido. Comece com a quantidade indicada e, se necessário, acrescente mais.

Para a cobertura, que não é opcional:

60 g (1/4 xícara) manteiga sem sal, em temperatura ambiente
2 colheres (sopa) de mel

Pãezinhos de Mel

Na tigela da batedeira planetária (ou em uma tigela grande), coloque o leite, o fermento biológico e o açúcar. Misture e reserve. Passados cinco a dez minutinhos, a mistura deve espumar, como se fosse o colarinho de uma cerveja. Se não estiver assim, algo deu errado: ou o seu fermento está velho ou o leite estava muito quente. De qualquer maneira, descarte a mistura e comece de novo!

Adicione o mel, o ovo, a gema, a manteiga derretida, o sal e a farinha. Sove com o batedor em formato de gancho (ou com a mão mesmo) por mais ou menos cinco minutos, até que a massa não esteja MUITO grudenta e você consiga moldá-la em uma bola. Se for preciso, acrescente mais farinha, mas com cuidado: a massa é um pouquinho grudenta mesmo e não é legal colocar muita farinha, para que aos pãezinhos não fiquem duros! No fim, tive que colocar ¼ de xícara a mais, uma colherada por vez.

Coloque a massa na tigela e cubra com plástico-filme. Deixe crescer em um lugar quentinho, sem vento, até que dobre de tamanho. Aqui, o processo levou 1 hora.

Quando a massa tiver dobrado de volume, dê um soquinho para desinflar e transfira-a para uma bancada enfarinhada. Eu dividi a massa em 32 partes, mas você pode dividir em 12-16 para pãezinhos de tamanho normal. Modele os pãezinhos em bolinhas e coloque-os sobre uma assadeira de 25 x 35 cm, untada ou coberta com silpat. Lembre-se que massa de pão não é brigadeiro – se você tentar enrolar como se fosse um brigadeiro, não vai ficar tão bonitinho. Este vídeo (em inglês, mas não faz diferença) mostra a técnica que eu uso – parece demorado, mas com o tempo você pega a manha e faz rapidinho!

Cubra os pães levemente com plástico-filme ou um pano de prato (não use aqueles felpudos!) e deixe crescer de novo, até que dobrem de volume.

Enquanto isso, prepare a cobertura: misture a manteiga e o mel e reserve em temperatura ambiente, para que não endureça.

Asse-os em forno pré-aquecido por cerca de 20-25 minutos, ou até que dourem e você ouça um som de oco quando der batidinhas na superfície.

Assim que saírem do forno, pincele-os GENEROSAMENTE com a manteiga de mel (eu usei mais da metade da manteiga). Deixe esfriar por alguns minutinhos e sirva com o resto da manteiga.

FREEZER: Se você conseguir essa proeza, coloque os pãezinhos frios em um saquinho ziploc e congele por até 3 meses.

Pãezinhos de Alho

English version

Pãezinhos de Alho

Não sei se vocês já repararam, mas eu sou a louca do alho. Toda receita que pede alho eu já naturalmente dobro a quantidade recomendada, mas reclamo que tem pouco alho… Para esses pãezinhos, o Jaime Oliver falava em 1 cabeça de alho pra 500 g de manteiga, mas a gente só usa 125 g nessa receita – obviamente, não havia razão para diminuir o alho! 😀 #loka

Li essa receita e resolvi fazer, achando que ia ser gostosa, mas nada de muito diferente. Só que a receita tem um truquinho que eu nunca tinha feito: os pãezinhos são assados na assadeira untada com a manteiga de alho e enfarinhada com farinha de rosca. Essa “caminha” forma um fundinho crocante MARAVILHOSO!

Aqui em casa, esses pãezinhos serviram de acompanhamento para uma sopa, mas já estou imaginando com chili, pra servir junto com macarrão (e limpar o molho que sobrou no prato, sabe como?), etc, etc…

Você vai precisar de:

Para o pão:

800 g de farinha de trigo para pães – usei uma mistura de farinha de trigo normal e de pães
7 g de fermento biológico seco
1 colher (chá) de sal
500 mL de água morna
farinha de rosca, para polvilhar a assadeira

Para a manteiga:

Se você for uma pessoa normal, 5 dentes de alho bem picadinhos – eu usei quase 1 cabeça inteira
125 g de manteiga em temperatura ambiente
raspas de 1 limão
1 ramo de salsinha, picadinho
1 colher (chá) de pimenta caiena
Se a sua manteiga for sem sal, 1 colher (chá) de sal

 
Pãezinhos de Alho

Comece preparando a massa dos pãezinhos: em uma tigelona, misture a farinha de trigo, o sal e o fermento biológico. Acrescente a água aos poucos e sove (na mão ou na batedeira com o batedor em formato de gancho) por uns dez minutos, até que a massa fique macia e elástica. Forme uma bola, coloque na tigelona e cubra com um pano de prato. Deixe crescer por mais ou menos uma hora, ou até dobrar de tamanho.

Enquanto isso, prepare a manteiga de alho, que nada mais é do que todos os ingredientes da manteiga, bem misturadinhos! Reserve em temperatura ambiente, para que ela não endureça.

Unte uma assadeira de 25 x 35 cm com 1/3 da manteiga de alho. Polvilhe bastante farinha de rosca, cobrindo bem toda a superfície da assadeira. Reserve.

Quando a massa do pão dobrar de volume, divida-a em 35 partes iguais e faça bolinhas. Sim, essa é a hora de ser multitarefa, fazendo bolinhas e vendo aquele episódio novo… 😀 Lembre-se que massa de pão não é brigadeiro – se você tentar enrolar como se fosse um brigadeiro, não vai ficar tão bonitinho. Esse vídeo (em inglês, mas não faz diferença) mostra a técnica que eu uso – parece demorado, mas com o tempo você pega a manha e faz rapidinho!

Arrume os pãezinhos na assadeira, cubra com o pano de prato e deixe crescer novamente, por mais uma hora e meia, ou até que dobrem de volume.

Passado este tempo, preaqueça o forno e pincele o topo e as laterais de todos os pãezinhos com 1/3 da manteiga de alho. Como aqui estava frio, dei uma leve esquentadinha na manteiga, só para amolecer um pouco.

Asse por 25-30 minutos, ou até que eles estejam douradinhos. Assim que eles saírem do forno, pincele o resto da manteiga sobre os pãezinhos e, teoricamente, deixe esfriar um pouco antes de servir!

FREEZER: como a maioria dos pães, estes pãezinhos congelam bem – coloque-os já frios em um saquinho Ziploc e pronto

Pãezinhos de parmesão

English version

Pãozinho de Parmesão

Tá frio!!! (Pausa pros amiguinhos de Curitiba falarem que lá está mais frio) Com esse tempo, qualquer desculpa pra ligar o forno é válida. E tem coisa mais gostosa do que um pãozinho quentinho recém saído forno?

Para começarmos as Tertúlias de Pãezinhos, que aliás vão combinar super bem com qualquer sopa, resolvi finalmente fotografar um dos primeiros pães que testei!

É importante escolher um parmesão BOM – nada de parmesão de saquinho! O ideal é usar um ralador Microplane (um ótimo investimento pra quem gosta de cozinhar, especialmente pra quem gosta de raspinhas de cítricos nas coisas! #bemqueeuqueriaquefossejabá), mas se você não tiver pode usar o ralo mais fino daquele ralador quadrado que todo mundo tem em algum lugar da cozinha… 😀

Desta vez, modelei em 12 unidades, mas da próxima vou fazer em 24, para pãezinhos ainda mais delicadinhos. Ou talvez modele em 6 e faça de pão de hambúrguer…. #grandesdilemasdacozinhamoderna

Você vai precisar de:

2 colheres (chá) de fermento biológico seco
1 colher (chá) de mel ou açúcar – eu usei mel
160 mL (2/3 xícara) de leite integral morno
350 g (2 ½ xícaras) de farinha de trigo + 2 colheres (sopa) para polvilhar sobre a massa
50 g (1 ½ xícaras) de queijo parmesão ralado bem fininho + um tanto extra, para decorar – a receita original falava em 37 g, eu apelei e usei 50 mesmo. 😀
1 colher (chá) de sal
2 ovos grandes
70g (5 colheres [sopa]) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1 gema, para pincelar os pães

Pãozinho de Parmesão

Em uma tigela grande (eu usei a tigela da batedeira mesmo), misture o fermento, o mel, e 1/3 de xícara do leite morno. Reserve até formar uma espuma – se não espumar em uns 10 minutos, é sinal que seu fermento não está bom (ou que o leite estava muito quente). Jogue fora e comece de novo! :S

Quando espumar, acrescente a farinha, o queijo, o sal e o resto do leite. Bata com o batedor em formato de gancho (ou com o batedor de massas pesadas da batedeira manual ou, óbvio, na mão mesmo). Junte os ovos, um a um, batendo bem. Se estiver usando a batedeira, raspe as laterais da tigela de vez em quanto. Continue batendo bem até que você tenha uma massa macia – isso vai levar uns 3 minutos na batedeira. Não se assuste, porque a massa é grudenta mesmo. Resista bravamente à tentação de colocar mais farinha, vai por mim. Junte a manteiga, uma colherada por vez, batendo bem, e bata/sove até que a massa fique elástica – isso vai levar mais uns 3 minutos. De novo: não se desespere, é grudenta mesmo, mas vai dar certo!

Você não vai conseguir fazer uma bola, mas dá pra raspar as laterais da tigela pra deixar a massa bem no centro. Polvilhe com as 2 colheres (sopa) de farinha, cubra com filme plástico e deixe crescer por uma hora e meia, ou até dobrar de volume.

Quando a massa dobrar de volume, unte uma forma retangular de 20x30cm, se ela não for antiaderente. Dê um leve soquinho na massa, pra desinflar, e transfira para uma bancada levemente enfarinhada. Divida a massa em 12 partes (ou em 24, ou em 6, você que sabe!) e forme bolinhas. Massa de pão não é brigadeiro – se você tentar enrolar como se fosse um brigadeiro, não vai ficar tão bonitinho. Este vídeo (em inglês, mas não faz diferença) mostra a técnica que eu uso – parece demorado, mas com o tempo você pega a manha e faz rapidinho!

Pãozinho de Parmesão

Coloque as bolinhas na assadeira, deixando um espaço entre elas. Cubra com um pano de prato – não aqueles felpudos, tá? Deixe crescer novamente até dobrar de volume. (Aqui levou uma hora e meia, mas é porque está frio!)

Pincele os pãezinhos com a gema e polvilhe com mais parmesão. Asse por uns 20-25 minutos – como o meu forno não doura por cima 😦 eu costumo olhar a parte de baixo: se elas estiverem douradinhas, está pronto.

Deixe esfriar na forma por uns 5 minutinhos. Solte os pãezinhos das laterais com uma espátula e retire da forma. O certo seria deixar esfriar sobre uma gradinha por uns 20 minutos, mas que tipo de gente faz isso? 😀

FREEZER: Se você conseguir essa proeza, coloque os pãezinhos frios em um saquinho ziploc e congele por até 3 meses.

Biscoitos Brownie

English version

Biscoitos Brownie

Sabe quando você lê uma receita, acha fácil, sabe que vai ser boa, pina e nunca mais na vida lembra dela? Normal, né? 😀 Continuando as Tertúlias de Chocolate, resolvi criar vergonha na cara e finalmente fazer esses biscoitos que são praticamente brownies redondinhos!

Além de deliciosos, esses biscoitos são muito fáceis de fazer: não precisa nem amolecer a manteiga e só suja uma panela! Eu não tinha chocolate não adoçado em casa, então usei um chocolate 70%. Ficou muito bom, mas da próxima vez usarei um chocolate 80% cacau ou mais forte. Mesmo que você não seja muito chegado em chocolate amargo, não acho que essa receita funcionaria com chocolate ao leite – ficaria doce demais!

Você vai precisar de:

115 g (½ xícara) de manteiga
115 g de chocolate não adoçado – eu usei 70%
190 g (1 xícara, bem apertada) de açúcar mascavo
25 g (2 colheres [sopa]) de açúcar branco
2 ovos
1 colher (chá) de extrato de baunilha
½ colher (chá) de bicarbonato de sódio
½ colher (chá) de sal
45 g (½ xícara) de cacau em pó – o que não tem açúcar!
130 g (1 xícara) de farinha de trigo
115 g (2/3 xícara) de gotas de chocolate amargo – você pode usar chocolate picado

Biscoitos Brownie

Em uma panela que caiba todos os ingredientes, derreta a manteiga e o chocolate. Você pode usar banho-maria ou o fogo mais baixo, na menor boca do fogão, mexendo sempre e tomando muito cuidado para não queimar.

Com uma espátula de silicone, misture os açúcares no chocolate derretido. Acrescente os ovos, um a um. Misture a baunilha, o sal e o bicarbonato de sódio. Peneire – é, até eu peneirei, não tenha preguiça! − o cacau em pó sobre a massa e misture. Peneire a farinha de trigo e misture só até não ver mais pontinhos brancos. Agora é só misturar as gotas de chocolate!

Cubra a panela com plástico-filme e leve à geladeira por mais ou menos meia hora. Faça bolinhas (usei mais ou menos 1 colher [sopa] por bolinha), coloque-as em uma assadeira forrada com papel manteiga ou silpat, deixando um bom espaço entre cada bolinha, e leve para assar em forno pré-aquecido. A receita original pedia para assar por 11 a 12 minutos, avisando que eles estariam moles. Eu fiz a primeira fornada assim, deixando na assadeira por alguns minutos antes de mover para a gradinha e deixar esfriar completamente. Desse jeito, os biscoitos realmente ficam quase como um brownie. Na segunda fornada, assei por 15 minutos e achei a textura mais parecida com biscoito normal – e gostei mais assim!

Freezer: Como a maioria dos biscoitos, você pode congelar as bolinhas de massa em uma assadeira coberta com plástico-filme. Quando elas estiverem bem firmes, transfira-as para um saquinho tipo Ziploc. Para assar, basta levar as bolinhas diretamente do freezer para o forno, assando por alguns minutos a mais.

Agua Fresca de Melancia e Menta

English version

Agua Fresca

Para a terceira receita das Tertúlias de Verão, resolvi fazer a primeira bebida do blog! 🙂 Enquanto pesquisava “receitas de verão” no Pinterest, descobri a tal da “agua fresca”, uma bebida mexicana bem refrescante. Ela é um ponto intermediário entre o suco e a água saborizada… ou simplesmente “refresco”, como diria sua avó! 🙂

Dentre as várias opções de agua fresca, resolvi fazer esta do Epicurious, que tem um detalhe diferente: ela leva xarope de menta caseiro. Nunca tinha feito xarope em casa e fiquei surpresa com o quanto é fácil! E o mais legal: você pode usar o xarope para fazer  agua fresca de abacaxi, combina muito bem!

Para uma jarra grande de agua fresca, você vai precisar de:

5 xícaras de melancia sem semente – eu usei meia melancia média e julguei que seria mais ou menos cinco xícaras 😀  Para a versão de abacaxi, usei 2 xícaras de abacaxi picado.

1/4 de xícara de suco de limão

MUITO gelo (eu usei duas formas!)

Para o xarope de menta:

1/4 de xícara de folhinhas de menta fresca

1/4 de xícara de açúcar

1/4 de xícara de água

Agua Fresca

Em uma panelinha, coloque todos os ingredientes do xarope e leve ao fogo médio até ferver. Misture bem para dissolver o açúcar. Retire do fogo e deixe esfriar completamente.

Enquanto o xarope esfria, retire as sementes da melancia e corte em cubinhos. Quando terminei de cortar, vi um abacaxi dando sopa na bancada. Como eu tinha dobrado a receita do xarope, resolvi fazer “agua fresca de abacaxi”: o método foi exatamente o mesmo, só que usei mais ou menos duas xícaras de abacaxi picado.

Coloque no liquidificador a melancia, o suco de limão e o xarope de menta e bata bem.

Coe diretamente na jarra que for servir. Adicione duas xícaras de água, misture bem e complete com bastante gelo. Sirva bem gelada!

Freezer: Coloque a agua fresca em forminhas de picolé e deixe congelar – vai ser sucesso absoluto!