Arquivos de Tag: carne vermelha

[Guest Post] Risoto de Carne com Brócolis

[Guest Post] Risoto de Carne e Brócolis

[Nota: Esta receita foi feita pela Tia Dona Mãe do Rafa
e escrita pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook.]

Cansei! Minha mãe fez tanta receita aqui nessa página que agora ela tem as próprias tag: Tia Dona Mãe do Rafa!

Dessa vez a receita é de risoto. Surpreendentemente fácil de fazer e, ainda por cima, delicioso. Destruímos a panela numa tacada só.

Tempo de preparo: 40 min

Ingredientes:

2 copos de arroz tipo arbóreo (ou qualquer outro pra risoto)
4 a 5 copos de água
1 fio de azeite (ou 1 colher de manteiga)
1 cubo de caldo de carne [Nota: NÃO, usem o caldo de legumes caseiro!]
1 cebola pequena bem picada
3 dentes de alho amassados
400-500 g de alcatra cortada em cubinhos
1 copo de vinho tinto
1 copo de brócolis picado (opcional)
1/2 copo de cebolinha picada
sal e pimenta-do-reino a gosto
queijo parmesão ralado

Modo de Preparo:

A palavra chave pra essa receita ser fácil e dar certo é preparação. Apenas deixe a carne e o brócolis já picadinhos, bem como o restante dos ingredientes à disposição, como mostrado no nosso MISE EN PLACE (aprendi a expressão esse final de semana e vou usar sempre que puder, porque soa CHIQUE #mejulguem). Aqueça a água com o tablete de caldo de carne e mantenha-a sempre quente ao longo de todo preparo.

O resto é fácil. Refogue a carne picada com azeite (ou manteiga), cebola, alho, sal e pimenta até dourar. Acrescente o arroz arbóreo ou qualquer outro tipo que seja próprio para risoto (sim, tem de ser esses. Não, não faça substituições.) e mexa por 3 minutos. Adicione o vinho e mexa até que ele seja absorvido/evapore. Acrescente o brócolis e uma concha daquela água quente com caldo. Vá mexendo SEMPRE até que o líquido quase seque. Mexer é importante para que o grão solte bastante amilose e o risoto fique cremoso. Repita o processo de adicionar concha de água e mexer até que o arroz esteja ‘al dente’ (ir provando é importante, leva cerca de 18 minutos). Desligue o fogo e acrescente o queijo e a cebolinha, sempre mexendo. Sirva e seja feliz.

Para aprender um pouco mais sobre os tipos de arroz para risoto, acessem esse link aqui.

[Guest Post] Carne ao Molho de Mostarda da Ostentação

[Guest Post] Carne ao molho de mostarda

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook. Fizemos aqui em casa também, quando a Anna veio visitar, e digo o seguinte: é obsceno de bom!]

Tempo de preparo: 40 minutos

Trilha sonora: Janis Joplin (YEAAAAH, HONEY!).

Ingredientes:
• 600 g de alcatra [pode ser qualquer outra carne MACIA: contrafilé, filé mignon, etc. Até coxão mole fica bom];
• 1 cebola média partida em pétalas;
• 1 caixa de creme de leite;
• Alcaparras;
• Mostarda ;
• Azeite;
• Temperos: alho, molho shoyu, pimenta do reino, pimenta calabresa, noz moscada.

Modo de Preparo:
Diferentemente das outras receitas que postei, esta exige poucos ingredientes, sendo bem mais rápida e fácil de executar. É uma sugestão bem em conta, que sempre agrada e impressiona quando você precisa receber aquela galera de surpresa em casa. Mais uma vez, devo esta receita à senhora minha mãe, Ana Lucia.

Basicamente o que você precisa fazer é cortar sua carne em tiras (ou cubos) e jogar tudo dentro de uma “tapaué”. Em seguida, adicionar a cebola cortada em pétalas (ver fotos), alho amassado, esguichos generosos de molho shoyu (aproximadamente 1/2 xícara) e temperos a gosto (pimentas e noz moscada).

Nos temperos você pode soltar a imaginação, só NÃO use sal: o shoyu dá conta do recado e você sempre pode adicionar mais, caso sinta falta ao longo do preparo. Minha técnica preguiçosa e eficiente de temperar a carne envolve tampar a referida tapaué e sacudi-la como se não houvesse amanhã.

Feito isso, basta refogar a carne na panela com azeite e esperar até que ela seque um pouco. Quando restar somente um pouco de água, jogue as alcaparras e a mostarda a gosto.

Minha mãe falaria: “Maneire na mostarda, senão fica forte!”. BOBAGEM, pode tacar mostarda e pedir licença para a sua gastrite! O ideal, no entanto, é você ir jogando aos poucos e provar parar ver se está do seu agrado. Só cuidado pra não acabar com a carne!

[Guest Post] Carne ao molho de mostarda

Quando tudo estiver bem quente, é só abaixar o fogo e adicionar o creme de leite, sempre mexendo. Vá dando umas experimentadas no molho e acertando o sal, se necessário. Após o creme começar a borbulhar, o prato está pronto para ser servido.

Como acompanhamento, sugiro fortemente torradas! Aqui em casa fazemos com pão velho, margarina e orégano. Estranhamente, é difícil encontrar torradas prontas nos supermercados de Campinas. As torradas que existem, em geral, são industrializadas e caras. Dessa forma, a opção caseira é bem mais interessante. Cerveja antes, durante e depois do preparo é sempre bem-vinda!

[Guest Post] Bife a Rolêzinho no Shopping

[Guest Post] Bife a rolê

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook]

Tempo de preparo: 40 minutos

Trilha sonora: roncos de fome da minha barriga

Ingredientes:
4 bifes de coxão duro [no mercado que fui, já estavam cortados especialmente para rolê];
1 cenoura pequena cortada no sentido do comprimento em quatro partes;
4 vagens pequenas;
4 tiras de bacon;
4 tiras de queijo provolone;
1 cebola média picada em cubos;
1 tomate picado em cubos;
1 ½ xícara de água [na real, cobri os bifes pela metade];
Molho inglês [4-5 esguichadas. Sim, eu não meço nada];
Temperos: sal, alho, pimenta do reino.

Modo de Preparo:
Liberei minha #vó interior e decidi fazer essa receita super caseira de bife a rolê que vi numa revistinha comprada no Walmart por R$2,50. A revista tinha tantos pratos típicos de vó que mais parecia um tutorial para nutrição de netos.

Bem, a primeira coisa a ser feita é temperar os bifes com sal, alho, pimenta do reino e outros temperos que você desejar. Depois disso, deixe a carne em stand by e vá tirar as pontinhas das vagens, cortar a cenoura, o bacon e o provolone. Feito isso, coloque o bife numa superfície lisa, ajeite os recheios e enrole. Prenda tudo com dois ou três palitinhos de dente.

O próximo passo é dourar os bifes numa panela de pressão com um pouco de óleo. Procure virá-los para que fritem por igual. No meio do processo, jogue as cebolas picadas e, quando tudo estiver douradinho, jogue o tomate picado e o molho inglês.

Assim que tudo ficar bem refogado, jogue a água e tampe a panela de pressão. Cozinhe por 10 minutos após a panela começar a chiar. Menos que isso o bife vai ficar muito duro e você vai se sentir o Rei Arthur tentando tirar aqueles palitinhos da carne.

[Guest Post] Bife a rolê

Tudo pronto, basta retirar os bifes e servi-los em alguma tigela, pois fica muita água na panela. Não desperdice os tomates e a cebola: recolha-os e jogue por cima do bife. Para acompanhar, fiz arroz branco, mas confesso que, para ser uma receita completa de #vó, seria preciso um tutu de feijão. Prometo essa receita pro futuro! ;D

[Guest Post] Arroz Carreteiro estilo P.F. de estrada

[Guest Post] Arroz Carreteiro

[Nota: Esta receita foi feita (e escrita) pelo Rafael e foi originalmente postada na página do Facebook]

Tempo de preparo: 1 hora

Trilha sonora: Zezé di Camargo & Luciano (1992)

Ingredientes:
1 pacote de carne seca 500 g (quanto menos gordurenta melhor, please)
Arroz (usei 4 xícaras para essa receita)
Bacon frito*
½ lata de milho verde
½ lata de ervilha
Azeitonas picadas
Queijo muçarela em cubos (pode usar outra coisa, era o que tinha aqui…)
Ovos cozidos cortados em rodela
Pimentão cortado em cubinhos (usei o vermelho, mas dizem que o verde é bom pra memória, já que você fica se lembrando dele o resto do dia)
Temperos: alho, azeite, cebola, sal (cuidado!), pimenta do reino, pimenta cumari, noz moscada, páprica picante, etc. (sim, são os mesmos do fricassê, me julguem).

Modo de Preparo:

Comece no dia anterior! Mas calma, é só pra deixar a carne seca de molho na água, dessalgando. Troque a água quantas vezes você se lembrar. Eu lembrei três vezes, pois sou uma pessoa muito ocupada (uhum…). Após cozinhar a carne, basta desfiá-la. Dessa vez eu, sinceramente, não gostei muito do resultado do processador: os fiapos da carne ficaram muito pequenos e o recipiente ficou todo ensebado e chato de lavar. Após desfiar a carne, eu a refoguei com alho, cebola e os temperinhos. Fui adicionando depois a ervilha, o milho, o pimentão e a azeitona. Nessa etapa, eu evitei colocar sal, dado que a carne seca já é extremamente salgada. Deixe para acertar o sal depois.

Minha mãe, Ana Lucia, a quem devo essa receita, testou sem refogar a carne e disse que fica a mesma coisa. A preguiça, às vezes, recompensa as pessoas. Beijo mãe =D. Reserve a carne refogada (ou não) e parta para a próxima etapa: cozinhar o arroz.

Aqui basta fazer o arroz normalmente, apenas cuidando para não colocar muito sal. Quando o arroz estiver quase pronto, com a água já no nível dos grãos, é só pegar a carne, misturar e deixar a água terminar de secar. Fica meio grudentinho, mas faço assim porque gosto. Quem não curte arroz desse jeito, pode cozinhá-lo mais soltinho e misturar a carne na hora de levar à mesa. No fim, quando estiver quaaase na hora de servir, é só jogar os cubinhos de queijo e esperar eles derreterem um pouco.

Os enfeites: eu gosto de decorar o prato com rodelas de ovo cozido (estão tortos, reclamem ca galinha) e bacon frito em cubinhos. Pode ser na própria panela mesmo (olha a preguiça aí novamente). No caso, como a receita iria para a página, eu me aventurei a fazer uma ~flor de tomate~ (me julguem novamente). A flor está meio troncha porque o Zé, meu “des-ajudante”, achou que eram cascas de tomate aleatórias e me fez o favor de tentar jogá-las fora. Ok, eu reconheço que elas não estavam com cara de que serviriam como decoração, mas foi minha primeira tentativa pô. O resultado final está aí nas fotos. Como acompanhamento, fica bom uma salada de rúcula com cebolete.

*Dica do bacon: eu aprendi, num vídeo do America’s Test Kitchen, a deixar o bacon mais crocante. Basta cobri-lo com água, na panela, e deixá-lo cozinhar em fogo alto. Quando a água acabar, é só reduzir um pouco a chama e terminar de fritá-lo. Fica BEM melhor, acreditem.

Yakisoba Turbinado e Descarado

Yakisoba

Explico o descaramento: não tem quantidade exata, é tudo aproximado. Eu sei, eu odeio isso, mas fiz de olho – e na sua casa, você faz do jeito que achar melhor. Explico o turbinado: pus bacon! Não tem nada de tradicional, mas ficou espetacular, recomendo fortemente!!!!!

Ingredientes
– 500 g de carne (usei porco, mas você pode usar carne de vaca ou frango, ou uma mistura…. Ou pode fazer a versão #vegana, pulando a carne e o bacon!)
– 150 g de bacon
– 2 cenouras grandes, cortadas em palito
– 1 cebola grande, cortada em cubinhos
– ½ pimentão vermelho, cortado em palitinhos ou cubinhos
– 1 xícara de repolho roxo picadinho
– 1 xícara de brócolis – só as flores, guarde os talos pro caldo!
– 1 maço de acelga, cortado do jeito que a sua vó cortava couve – se a sua avó for mineira, claro
– 500 g de espaguete – se você quiser fazer com macarrão para yakisoba, melhor. Até parece que eu ia achar isso aqui no Uruguai!
– ½ xícara de molho de soja
– 1 xícara de água
– 3 colheres (sopa) generosas de maisena
– 1 colher (sopa) de açúcar – é, é isso mesmo, e não esqueça dele
– Mais ou menos 1 colher de sopa de gengibre ralado fininho (opcional porém essencial na minha opinião)

Modo de preparo:

Corte a carne em cubinhos ou em tirinhas e tempere com alguma pimentinha esperta. Corte o bacon em cubinhos (ou compre o que já vem em cubinhos). Refogue e avalie se precisa de sal. Eu não coloquei, porque achei que o sal do bacon deu conta do recado. Reserve.

Corte todas as verduras. Enquanto está cortando tudo, coloque a água do macarrão para ferver, porque sempre demora mais do que a gente imagina que vai demorar, é incrível.

Em uma panela grande, refogue a cebola com um pouquinho de azeite e acrescente a cenoura, porque ela precisa de mais tempo. Acrescente a carne e dê uma boa mexida.

Faça o molho, misturando em uma cumbuca/tigela/bowl/whatever o molho de soja, a água, o açúcar, a maisena e o gengibre. Misture bem até dissolver a maisena e despeje sobre as verduras.

Quando a cenoura já tiver amaciado um pouquinho (coisa de 5/10 minutos), coloque o brócolis, o pimentão e o repolho roxo e deixe cozinhar por mais uns outros 5 minutinhos. Agora é hora de acrescentar a acelga, mexendo sempre. Não se assuste com o volume. A acelga vai murchar MUITO, mas a ideia é essa mesmo. Quando a acelga murchar e o seu molho estiver meio grossinho no fundo, desligue o fogo.

Com sorte, a água do macarrão já vai ter fervido. Coloque o macarrão na panela, salgue a água e cozinhe conforme as instruções do pacote. Escorra o macarrão, acrescente o molho quente e se empanturre!!!