Arquivos de Tag: alecrim

Patê de Feijão Branco e Castanhas

Patê de Feijão Branco e Castanhas

Se hommus é o patê vegano basicão, este é o patê ostentação. Não é tão fácil quanto “bate tudo no liqui”, mas vale muito a pena sujar uma panelinha a mais…. 🙂

A receita veio da musa Papacapim – se você não conhece, está perdendo tempo!

Este patê pode ser servido com qualquer vegetal/pão/etc, mas com o pão australiano a coisa fica meio obscena de tão boa.

2 xícaras de feijão branco cozido (sem tempero e escorrido)
½ xícara de castanhas de caju (de molho por 6 horas)
4 colheres (sopa) de azeite
3 dentes de alho picados
1 galhinho de alecrim fresco (mais ou menos uns cinco centímetros. Já fiz com o seco. Fica bom, mas com o fresco fica melhor)
4 colheres (sopa) de suco de limão
¼ xícara de água
sal e pimenta do reino a gosto (eu coloco páprica e pimenta caiena também)

Patê de Feijão Branco e Castanhas

Seis horas antes de pensar em comer, coloque ½ xícara de castanhas de caju de molho. É só colocar em uma tigela e cobrir com água mesmo, nada sofisticado. Passadas as seis horas, escorra e reserve.

Em uma panelinha, aqueça o azeite. Antes que ele ferva, desligue o fogo, junte o ramo de alecrim e deixe descansar por 10 minutos, pra pegar gosto.

Patê de Feijão Branco e Castanhas

Passado este tempo, descarte o ramo de alecrim (se usar o seco, não precisa nem catar, porque ele é mais fraquinho), aqueça o azeite e frite o alho.

Coloque no liquidificador o feijão branco, as castanhas (já escorridas), o azeite, o suco de limão, a água e os temperos. Bata até que a mistura fique cremosa. Está tecnicamente pronto, mas vale a pena bater 30 segundos – fazer uma pausa, dar aquela misturadinha – bater mais 30 segundos, pra deixar mais aerado/cremoso/delicioso/perfeito.

Em tese, dura uma semana na geladeira. Na vida real, não vai durar além do almoço/jantar. #fatos

Anúncios

Foccacia

Foccacia

Tem dias que você só quer um belisquete pra tomar com cerveja. De preferência, algo que você não tenha que fritar, com ingredientes fáceis, etc., mas mesmo assim bem gostoso. E às vezes você precisa de algo pra acompanhar uma salada e já enjoou dos croutons da vida. Pra esses dias, a solução é a focaccia.

Eu segui a receita do Chef John – sim, ele de novo – e cobri a minha somente com alecrim e sal grosso, mas você pode fazer com o que quiser: queijo ralado, um molhinho de tomate pra ficar tipo uma pizza simples, azeitonas picadinhas…. Dá pra fazer uma diferente a cada fim de semana! 🙂

Para a massa, você vai precisar de

1 pacote de 10 g de fermento biológico seco
1 xícara de água morna
6 colheres (sopa) de azeite, acrescentadas aos poucos.
¾ de colher (chá) de sal
2 colheres (chá) de alecrim picado
2 1/2 xícaras de farinha de trigo (você pode precisar usar um pouco mais, dependendo do clima da sua cidade)

Para a cobertura:

Aproximadamente 4 colheres (sopa) de azeite
Sal grosso ou flor de sal (usei flor de sal, era o que tinha em casa)
Alecrim

Misture o fermento, a água, 2 colheres do azeite, o sal, o alecrim e a farinha de trigo em uma tigela. Eu usei uma tigelona para não precisar sujar a bancada – sovei lá mesmo e fui feliz. Se você não tiver uma tigelona, transfira a massa para uma superfície enfarinhada.

Sove por mais ou menos 3 minutos e acrescente mais 2 colheres de azeite. Sove por 2 minutos, acrescentando um pouquinho de farinha se a massa estiver muito grudenta – a minha não precisou. Adicione as 2 colheres de azeite restantes e sove por mais alguns minutinhos. Faça uma bola, cubra com plástico filme e deixe crescer por 1 hora ou até dobrar de volume.

Coloque a massa sobre a assadeira untada com azeite e forme um retângulo. Deixe este retângulo descansar por 20 minutos, cubra generosamente com azeite e, com os dedos, faça buracos sobre toda a massa (veja a foto). O buraco precisa ir até praticamente o fundo – sinta a assadeira, mas não “rasgue” 😀

Foccacia

Deixe crescer por mais ou menos 40 minutos. Pincele delicadamente uma fina camada de azeite e acrescente sal grosso e alecrim sobre toda a massa – não tenha medo, não vai ficar muito salgado! Outra opção é pincelar a massa com uma camada de molho de tomate e acrescentar queijo ralado.

Leve para assar por mais ou menos 15 minutos, ou até começar a dourar. Assim que sair do forno, pincele uma última camada de azeite (ou molho de tomate, se for o caso) e deixe esfriar. Sirva com uma cerveja geladíssima! 🙂

Frango de Natal (Ou Frango com Laranja)

1

Se você acha peru uma ave super sem graça, se você vai passar o Natal sozinho ou com poucas pessoas, ou ainda se você mora no Uruguai e um peru de 4,5 kg custa inacreditáveis 170 reais (importado dos EUA! Juro! #sustentabilidade #sqn), esse frango é pra você.

Vi a ideia no Pimenta do Reino (http://www.pimentanoreino.com.br/coxas-de-frango-com-laranja-e-alecrim/) e adaptei pro meu gosto.

Você vai precisar de:

Um frango (cê jura?) – eu usei quatro coxas, duas asinhas e duas sobrecoxas. Você pode usar o frango inteiro, se quiser.

Para a marinada:

1 raminho de alecrim
3 dentes de alho gordos, amassados
Um pedaço de mais ou menos 1 cm de gengibre, ralado
1 xícara de suco de laranja
4 colheres de sopa de shoyo
2 colheres de sopa de azeite
Páprica picante
Pimenta do reino
(Eu não botei sal porque já tinha o shoyo, mas vai do seu gosto, da sua pressão arterial, etc.)

Comece fazendo a marinada. No pirex em que você for assar o frango, junte todos os ingredientes e dê uma misturadinha boa. Acrescente o frango, envolvendo bem as peças no tempero. Cubra com plástico filme.

Se for usar o frango inteiro, coloque a marinada (e o frango, óbvio) em um saco plástico, para que o tempero possa penetrar melhor.

Deixe na geladeira por pelo menos três horas, mas o ideal é deixar por 12 horas. Eu deixei da noite pro dia, ficou classe (e facilita muito a vida, porque é uma coisa a menos para se estressar no dia!).

Cubra o pirex com papel alumínio e leve ao forno pré-aquecido. Passados uns 20 minutos, retire o papel alumínio e regue bem o frango com o caldinho que está se formando no fundo. Como o meu frango era em peças, aproveitei para virá-las.

Deixe assar por mais 30 minutos, mais ou menos, e está pronto! Fica MUITO suculento e com um sabor… festivo. 😀

Pãezinhos de Azeitona

Pãezinhos de Azeitona

Receita original e bem escrita no Technicolor Kitchen 

Calorias: uma faxina na cozinha por porção
Tempo de preparo: 3 horas, contando com os tempos de fermentação e leseiras

1 colher (chá) de fermento biológico seco
1 colher (chá) de açúcar refinado
240 ml de leite integral morno
350 g de farinha de trigo comum
1 colher (chá) de sal
1 colher (sopa) de azeite de oliva
½ xícara generosa de azeitonas pretas [Tinha a verde, usei a verde]
1 ½ colheres (sopa) de folhinhas de alecrim [Não tinha, não usei, não me julguem]
Mais farinha [leia o modo de preparo para entender]

Modo de preparo: Na tigela da batedeira, coloquei o fermento, o açúcar e o leite e dei uma leve misturada. Quando ele ficou com aquela carinha de espuma de cerveja, adicionei a farinha, o sal e o azeite.
UMA AVÓ NORMAL sovaria em uma superfície enfarinhada. EU bati na batedeira com o batedor em formato de gancho – sim, eu percebi o uso excessivo do radical bat-, mas, veja bem, dane-se.
Paul Hollywood (se você não sabe quem ele é, PARE E VÁ VER The Great British Bake-Off) fala que, nesse momento, você deve transferir a massa para uma tigela levemente untada com óleo. Eu, que tenho preguiça, levantei a massa, dei uma untada com azeite igual a minha cara e botei a massa de volta na mesma tigela. Cobri com filme plástico, o que naturalmente cassaria meu diploma de vó, mas neste caso a culpa é novamente do Tio Paul Hollywood.
Fui pra academia, sofri, reclamei, passei no mercadinho pra comprar mais azeitona e quando voltei a massa já havia dobrado de volume, o que é a ideia. Tomei um banho veloz e coloquei a massa sobre uma superfície de mármore enfarinhada. Se você for um tipo FRESCO de pessoa que não come azeitonas, coloque outras coisas ou simplesmente pule o próximo passo. Sovei a massa com as azeitonas e fui acrescentando farinha para compensar a umidade das bichinhas. Fiz umas bolinhas meio tronchas (consegui 12) e coloquei-as em um pirecão redondo. Eu untei com azeite, mas não sei de onde tirei essa ideia. Deixei crescer novamente, enquanto cancelava os benefícios da academia com cookies (receita no futuro).
Quando cresceram, resolvi reler a receita e percebi que era para ter pincelado com azeite POR CIMA e não untado. Pincelei com azeite porque vai que, né, e assei por mais ou menos 25 minutos em forno médio.
Eles acompanharam a sopa do jantar de ontem e misteriosamente desapareceram antes do café da manhã!#mistérios #ocasodopãozinhoeoutrashistórias